Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Segundo teste do covid...

E segundo negativo, graças a Deus. Amanhã tenho que ir fazer uma endoscopia, logo hoje tive que ir fazer o teste. Correu bem, se formos pacientes e respirarmos fundo não custa tanto, tirei também sangue para controlar o Inr. Quer  a enfermeira que me fez o teste, quer a que colheu o sangue, muito simpáticas e profissionais e o melhor de tudo super rápido, graças à forma extremamente organizada da forma como estão a trabalhar.

Uma das coisas que eu mais detesto...

É ter que discutir, seja o que seja com alguém. Não gosto mesmo. Eu sou aquela pessoa que só quer paz e sossego, detesto que me venham chatear com discussões, não tenho "estofo" para isso e nem gosto sequer. Mas algumas pessoas parece que só vivem bem a discutir por tudo e por nada, até metem impressão.

Isso significará alguma coisa...

Ontem tive que voltar às minhas meditações, um pouco, mal feitas é verdade ... que entretanto começou a dar-me sono... mas senti necessidade de voltar a integrá-las na minha vida. Ultimamente tenho sentido que ando mais apreensiva, cansada, inquieta, tudo junto. Fiz uma meditação um bocadinho mal feita, mas fiz, tenho que voltar a dedicar nem que seja apenas 5 minutos por dia, tenho que concentrar-me na minha respiração, que ultimamente anda descontrolada. O nervosismo de tudo o que  tem acontecido esta a acumular de dia para dia, resta-me tentar combater um bocadinho que seja. Não está nada fácil para estes lados, mas também quero acreditar que é possível que melhore nem que seja um pouco. 

Juro que não consigo entender...

Qual é a dificuldade de algumas pessoas em entender a gravidade da situação que o nosso país está a atravessar. Não consigo compreender que atitude é aquela como a que vimos no fim de semana ao pé das praias. Se nos pedem para ficarmos em casa, é para ficarmos em casa, não é para arranjar pretextos e justificações para sair constantemente, e arranjar sempre desculpas para sair. Estamos todos cansados disto, isso é verdade, mas é necessário mais um esforço, e temos que ser todos a fazer esse esforço, só a união consegue vencer. O mais não seja parem para pensar em quem trabalha nos hospitais, no estado físico e psicológico em que essas pessoas estão, dia após dia e pensem também nos que estão em casa a muito custo a tentarem cumprir tudo o que lhes pedem. Custa? Custa Sim. É cansativo e deprimente? É sim senhora. Se sinto que a cada dia que passa tenho menos forças, um maior cansaço e um medo terrível de cair num hospital? Tenho sim, medo, muito medo, porque tenho plena noção que se c

"Festa de família" de Sveva Casati Modignani...

  "É quase Natal. Em Milão, num restaurante da Piazza Novelli já decorado de forma festiva, a proprietária prepara-se para receber as habituais clientes das quintas-feiras. Andreina, Carlotta, Gloria e Maria Sole: quatro jovens amigas que a cada semana se permitem um momento de conversa fiada e confidências. Duas solteiras, duas casadas, todas se debatem com as dúvidas do coração: relacionamentos que as fazem infelizes, homens que após grandes declarações e presentes preciosos desaparecem ou entram no modo chinelo e pensam que o maior desejo de qualquer mulher é um robot de cozinha. Naquela noite, há um aniversário para comemorar. Mas há também uma confissão inesperada: Andreina está à espera de bebé. Com um novo ano em perspetiva, e enquanto procura um pouco de paz na bela Villa Sans-souci de Paraggi, que herdou da avó materna, Maria Sole relembra o grande engano que foi o seu casamento e questiona-se sobre como foi possível não notar que o marido não era o que parecia, mesmo con

Como tudo muda num instante...

Na sexta-feira estava eu muito feliz da vida, com a notícia de que a minha amiga tinha sido chamada para transplante, mas foi felicidade que durou pouco. Pouco  depois de escrever esse post, uns 5 minutos, recebo um telefonema da esposa de um outro amigo de tratamento a dizer que ele tinha falecido. Fiquei incrédula, não podia ser, não queria acreditar, era mais isso, mas infelizmente era verdade.  Foi uma confusão  de sentimentos,  se por ela estava feliz, por ele fiquei profundamente abalada, ambos eram meus amigos e companheiros, um estava à  minha esquerda, ela à minha direita, assim de repente fiquei sozinha. O tratamento de sexta-feira foi bastante esquisito, olhava para um lado e sentia a felicidade da minha amiga não precisar mais daquela porcaria,  olhava para o outro lado e pensava que nunca mais vou ver o meu amigo. Ainda hoje sinto em mim a tristeza da partida dele, jurei a mim mesma não  me "aproximar" de mais ninguém, começou em finais de 2019 e até hoje já perd

"Lupin"...

E o quanto eu adorei esta minissérie? Não fazem ideia, é quase impossível não adorar a personagem principal. Ouvi dizer que vai continuar, numa outra temporada, sinceramente espero que sim, pois gostei imenso. Uma série com personagens bem construídas,  principalmente a principal, misteriosa e ao mesmo tempo fascinante e com  uma história bem definida. Estava embaladinha para mais uns quantos episódios , confesso, agora ficou assim o suspense no ar e a minha cabeça a imaginar mil e uma opções para a continuação. Agora é aguardar, mas a sério veja, que vão ver que vale a pena.