2 de dezembro de 2016

Não gosto nada...

Destas novas opções do blogger.
Sinceramente estava tão bem como estava.
Não existe uma única vez que abra isto e que não de erro... isso chateia tanto.
Mas mesmo não gostando desta nova versão, acho que ainda não vai ser isto que me vai fazer desistir do blog... eh eh eh.
Vou ali passar a ferro que hoje tenho a tarde livre. 

1 de dezembro de 2016

Dezembro sê meiguinho...

E sê bomzinho. 
Preciso que venhas com calma e que me ajudes muito a ter um mês tranquilo.
Vem ser meu amigo.
Vem trazer-me um pouco da felicidade que tenho vindo a perder.
Vem por-me um sorriso no rosto e uma alegria no coração vem instalar em mim a época natalícia.
É só isso querido Dezembro.... obrigado!!! 

29 de novembro de 2016

Ohh como eu adorava dizer que a minha vida é bela...

Mas não é.
E esta bem longe disso.
Adoro ver blogs e essas coisas com vidas fantásticas, parece que esta sempre tudo bem, tudo em sintonia.
Pois eu não posso dizer o mesmo.
A minha vida esta um caos.
Um verdadeiro caos.
As vezes nem sei se tenho vontade de rir ou de chorar.
Se tem um dia em que me encontro bem disposta tem sempre que existir uma alma que me venha dar cabo da cabeça, com coisas sem sentido... o problema é que depois eu falo e as pessoas gostam de espicaçar, de atazanar a paciência mas não querem ouvir a seguir e na fase em que eu ando ouvem, ouvem o que querem e o que não querem... mais a segunda opção.
Porque eu não tenho que ser humilhada muito menos rebaixada por causa de gente que acha que é mais que os outros, isso não, nem eu nem ninguém.
Se existe coisa que me revolta profundamente é o ser humano ser assim tão desprezível a esse nível, de gostar de ver os outros sofrer e ficar a rir-se, como se isso lhe fosse melhorar a vida...e eu conheço tanta gente assim... infelizmente.
Encontro-me numa fase muito difícil a nível de saúde, esta mau, muito mau mesmo, mas não é isso que vai fazer com que acabem com o pouco raciocínio que posso ter.
Nem são os olhares do "bem feita" que me vão deitar a baixo... sim tenho gente desta na família, na própria família vejam bem.
Eu jamais fiz mal a alguém, falo com quem quero e com quem fala comigo, se por algum motivoas pessoas deixam de falar eu não tenho problema nenhum com isso, a única coisa que eu quero é viver a minha vida em paz, sempre fui assim não vai ser agora com esta idade que as coisas vão mudar.
Assim sendo eu só quero melhorar a nível de saúde, baixar estas dosagens doidas de hidrocortisonas e fludrocortisonas e voltar a ter a normalidade que tinha na minha vida, os tratamentos, as consultas e o meu dia a dia... é isto o que eu quero e só isto... é isto que me faz uma pessoa feliz, simplesmente andar bem, dentro do que é normal para mim.
Tão simples não? E tão difícil de algumas pessoas entenderem isso.


28 de novembro de 2016

Do fim de semana...

Simplesmente poderia dizer que foi mais um.
E foi, sem nada de especial, mais um fim de semana.
Caseiro, sem saídas, sem nada.
A única diferença, talvez tenha sido o nervoso miudinho que me tem acompanhado nos últimos dias.
E o porque?
Isso nem eu sei... ah mas como gostava de saber o porque de me sentir assim.
Continuei a ler "Pássaros feridos", estou a gostar imenso, se no inicio não estava a ser fácil gostar, agora estou a adorar.
A ver vamos como corre esta semana.
Pelo menos eu vou "lutar" para que seja melhor.

25 de novembro de 2016

Falta tudo...

Inspiração...
Vontade...

Força...
Coragem...

Alento...
Animo...
Estamos a um mês do natal e eu sinto-me "perdida", nada me lembra a época, nada me lembra nada.
Não tenho vontade de nada apesar de me esforçar para dar a volta à situação.
Aliás eu sempre fui teimosa e orgulhosa o suficiente para me deixar "enterrar" de vez e se existem dias em que ainda me agarro a isso existem outros que deus me livre parece que fui enterrada de uma vez por todas, não me reconheço.
Mas eu não desisto.
Nem pensar nisso.
Tem dias que nem sei como me seguro de pé.
Bem tento ir buscar forças e coordenação mas já não sei onde, mas continuo sempre em busca de algo mais, algo que me dê força e que me faça seguir em frente.
Algo que me tire deste estado "estupido" se assim lhe posso chamar.
Algo que me faça novamente ter vontade de algo, que me incentive, que me faça sorrir e olhar para trás e pensar "já passou".

23 de novembro de 2016

Ontem....

Adormeci a chorar.
Não sei se foi cansaço, se desilusão, se ambos.
Sei que me deitei, sei que deixei cair umas lágrimas, sei que pensei em tanta coisa e ao mesmo tempo em nada e simplesmente adormeci.
Não gosto nada desta fase em que esta a minha vida.
Nada mesmo.

19 de novembro de 2016

Planos para o fim de semana...

Isto é um plano... apenas isso e só isso... não quer dizer que vá acontecer assim à letra.
Vou daqui a nada para o tratamento até as 22:30.
Chegada a casa declaro finalmente aberto o meu fim de semana.
Estou a pensar em comer ao pequeno almoço papas de aveia mas feitas de café ou cevada porque eu e o leite não temos grande relação.
Hoje já me informaram que o almoço para o domingo ia ser cozido... ohh depressividade é daquelas comidas que sinceramente não vão à minha missa, mas pode ser que se arranje outra coisa qualquer para mim.
Dito isto não faço intenções de sair de casa antes de segunda feira lá para o meio da manha.
Sendo assim podem constatar que quero mesmo um fim de semana caseiro, sem confusões, sem dramas nem gente para me chatear.
Como vêem até não peço grande coisa.
A ver vamos se vai ser assim.

18 de novembro de 2016

Dia de exames...

Horas e horas de jejum.
Uma pessoa já não tem força nas pernas normalmente e sem comer pior ainda.
Chegas ao hospital e dizem "ah estão de greve, mas aguarde até as 14:15h que pode ser que eles façam".
Enquanto aguardas, por muito que feches os olhos só te passa comida pela frente e a sede? Oh diabo que tristeza.
14:35h "Por favor oiçam, não vai haver exames (estávamos 5 pessoas) podem ir embora que o exame será remarcado".
E vim embora.
Mais do mesmo.

16 de novembro de 2016

"Travessia de Verão" de Truman Capote...


"Em 1966, Truman Capote, muito enriquecido graças à recente publicação de A Sangue-Frio, abandonou o seu humilde apartamento em Brooklyn, juntamente com o seu recheio - que incluía uma caixa de documentos que o porteiro salvou da beira do passeio. No final de 2004, este tesouro de documentos de Capote foi a leilão na Sotheby's. No conjunto, estavam incluídos quatro cadernos de escola que continham o manuscrito de Travessia de Verão, romance que Capote começou a escrever em 1943, e que acabou por deixar de lado quando as suas atenções se voltaram para aquilo que seria a sua espectacular estreia literária, Outras Vozes, Outros Quartos. (No entanto, Capote continuaria a retocar Travessia de Verão intermitentemente durante dez anos até o pôr de lado definitivamente.) Desde a sua morte em 1984, que os estudiosos e biógrafos de Capote davam o manuscrito como perdido, e para sempre.


A noção de amor e de juventude tenaz está mais que viva na espantosa história que encerra este manuscrito esquecido. Passado em Nova Iorque, logo a seguir à Segunda Guerra Mundial,Travessia de Verão é a história de uma jovem abastada e descontraída, Grady McNeil, que os pais deixam por sua conta no apartamento com terraço de família na Fifth Avenue durante todo o Verão. Largada à sua sorte, Grady deixa subir a temperatura no caso secreto que anda a ter com um judeu nativo de Brooklyn, veterano de guerra, que trabalha como vigilante de um parque de estacionamento. À medida que a estação passa, o romance torna-se mais sério e moralmente ambíguo, e Grady acaba por ter de tomar uma série de decisões que irão afectar para sempre a sua vida e as vidas de toda a gente em seu redor."


Ora bem...
Se querem que vos seja sincera, não gostei muito.
Já li outros livros do Capote que adorei, mas este foi um balde de água fria, uma desilusão.
Chegou uma altura em que já estava a ler simplesmente por ler, sem o minimo entusiasmo, o que não gosto muito mas pronto.
Sinceramente não percam tempo com este livro.

14 de novembro de 2016

E aqui continuo eu nesta vidinha....

Esta difícil de me mandarem embora.
Mas pronto tenho que ter paciência, pois sinceramente eu gostava de sair daqui e este ano não ter mais nenhum internamento, porque está a ser um abuso.
Hoje sinto-me um bocadinho mais bem disposta, já me seguro bem de pé, sem tonturas, vómitos, dores de cabeça fico muito feliz  por poder por-me em pé bem.
A comida é que pronto sem pormenores se não ficais já todos deprimidos.
Vamos ver como correm os próximos dias.

11 de novembro de 2016

Ai Deus da-me paciência porque se me deres força ainda a mato...

Estes dias aqui fechada no hospital, apesar da minha excessiva calma, começam a enervar-me lentamente.
Como sempre e em todos os lugares vemos coisas que nos desagradam.
O que mais me têm desagrado e que sinceramente me começa a enervar imenso é a forma como uma auxiliar trata as pessoas mais velhinhas, principalmente as que estão sempre na cama.
Antes de ontem já tinha apreciado umas cenas deprimentes mas esta noite deu-me uma volta ao estômago mesmo ao ver como falava e tratava as senhoras idosas.
Além de só dizer merda, que é a palavra certa, goza com as senhoras e depois ri-se, o problema é que cada vez que olha para mim e se ri como se estivesse a querer ver se eu concordo com ela, o que na realidade faço é por a minha pior cara, abano a cabeça em forma negativa e muitas vezes ainda digo "sincramente", mas o que eu tinha mesmo  mesmo, vontade de fazer era ir fazer queixa dela, só que infelizmente nunca fiz queixa de ninguém nem tenho coragem.
Mas que a senhora me mete impressão e nojo isso é verdade não era de todo mau que quando ela for mais velha alguém a trata-se de igual modo.
Para mim tratar idosos mal é um crime mas quando eles precisam de  ajuda a nível de saúde é horrível. 

10 de novembro de 2016

É cada coincidência...

Estes dias falava eu sobre a minha boa experiência num hospital privado e à uns dias que estou fechada num hospital público.
Isto se tivesse sido combinado nunca teria saído tão bem.

Não consigo formatar o texto aqui.

7 de novembro de 2016

"Capitães da areia" de Jorge Amado...


"Capitães da Areia é o livro de Jorge Amado mais vendido no mundo inteiro. Publicado em 1937, teve a sua primeira edição apreendida e queimada em praça pública pelas autoridades do Estado Novo. Em 1944 conheceu nova edição e, desde então, sucederam-se as edições nacionais e estrangeira, e as adaptações para a rádio, televisão e cinema. Jorge Amado descreve, em páginas carregadas de grande beleza e dramatismo, a vida dos meninos abandonados nas ruas de São Salvador da Bahia, conhecidos por Capitães da Areia."

Bem, já tinha ouvido falar deste livro, mas ler só agora é que tive a oportunidade.
É uma história um pouco triste, mas mesmo assim vale bem a pena.
O meu sobrinho falou qualquer coisa de irem dar este livro na disciplina de Português, e sinceramente acho que era muito interessante que isso acontecesse, primeiro porque ensina muito, segundo porque estão a entrar na idade da parvalheira e pode ser que a história "toque" em alguns neurônios meios atrofiados.
Houve ali momentos na leitura que me fizeram pensar mais profundamente.
Se existe coisa que mexe muito comigo são as crianças de rua, se já os adultos me deixam triste, não fazem ideia como fico quando vejo uma criança.
Gostei muito desta leitura, apesar de ter a escrita meia Brasileira o que fez com que demorasse um bocadinho mais a ler.
Nota positiva para este livro o primeiro de Jorge Amado que leio... agora sim entendo o alarido à volta do famoso Jorge Amado.


6 de novembro de 2016

Factos sobre um hospital privado e um público...

Pois sexta feira assim sem contar tive uma breve passagem... umas horas... num hospital privado.
Estou a falar do hospital da Lapa no Porto.
Os meus contactos com hospitais privados baseavam-se em ir fazer exames e coisas do gênero.
Desta vez apesar de terem sido só horas, fui ao bloco fazer uma intervenção à minha fistula no braço.
Verdade seja dita, aquilo é um luxo... é lógico que se paga tudo.
Tem umas instalações fantásticas, tudo extremamente limpo, tudo impecável, trouxeram-me um chá num bule e uma chávena em loiça mesmo, com dois pacotes de bolachas para escolher; tem um atendimento do melhor, desde recepção, a enfermeiros, médicos e auxiliares, fui muito bem atendida, todos muito educados e simpáticos; tive um tratamento em que sinceramente não consigo apontar nenhum defeito.
Lá esta que se paga tudo isso... no meu caso não paguei nada porque isso é entre a clínica e o hospital.
Acredito que com estas condições todas para todos os que trabalham neste hospital até se sintam mais confortáveis e até tem outro incentivo para trabalhar.
Já num hospital público a conversa é bem diferente... neste caso falo do Centro Hospitalar Gaia/ Espinho unidade 1... porque a unidade 2, deus me livre, pelo menos estive lá com a minha mãe em 2012 e aquilo estava uma desgraça, não sei se entretanto já arranjaram alguma coisa.
Apesar de encontrar excelentes profissionais, acredito completamente que muitas vezes não conseguem fazer melhor por falta de condições e de incentivos.
Existem serviços que aquilo é mesmo terrível, paredes a cair a baixo, tudo velho, tudo sem condições, enquanto que existem outros serviços que já foram renovados e que parecem verdadeiros hotéis de 5 estrelas o caso da cardio torácica e cardiologia que foi onde estive em 2013, tudo novo e tudo muito organizado.
As novas obras por exemplo a ligação do pavilhão central ao satélite também estão excelentes e era mesmo necessário essa ligação.
Lembro-me o ano passado quando fui operada e estava internada no pavilhão central, para ir fazer os meus tratamentos tinha que me deslocar ao pavilhão satélite, o transporte era feito de ambulância e apanhava-se tudo frio, chuva, além de se demorar bastante tempo nestas deslocações. Hoje em dia com o túnel de ligação as coisas são muito mais simples e eficazes quer para nós doentes quer para o pessoal que nos levam de um lado para o outro... os maqueiros acho que é assim que se chama.
Para finalizar este post, sou da opinião que toda a gente que necessita de cuidados hospitalares deviam de poder ter esta experiência de experimentar um hospital privado e o público, embora saiba perfeitamente que o hospital privado é muito caro.
Valeu a experiência.
  

2 de novembro de 2016

Como é Novembro????

Que cena foi aquela ontem ah???
Passei o dia bem disposta, com umas tonturas mas nada de grave, entrei bem disposta para o tratamento e saiu de lá a morrer.
Não pode, ando à anos nesta vida e nunca sai naquele estado, nem me segurava de pé.
E como eu sou teimosinha que chegue... graças a Deus... não fui pedir ajuda como já estava na sala de espera, aguardei que os bombeiros me fossem buscar.
Verdade seja dita. até ontem nunca tinha necessitado da ajuda dos bombeiros, mas ontem foi dia, o senhor R. ficou tão preocupado, coitado que me queria levar para a urgência... sai-te... que quando chegamos a casa tocou à campainha e disse aos meus pais para me virem ajudar que eu não podia nada... e não podia mesmo, nem sei como cheguei cá em cima.
Passei uma noite miserável, mal descansei sequer.
É só dores, má disposição, tonturas, sem forças, vômitos, olha enfim uma miséria estou a ver que em vez de melhorar cada dia volto a piorar, já para não falar que não aguento o tratamento até ao fim.
Por isso Novembro ainda estas a começar, faz o favor de te colocares em sentido e trazer umas coisas boas, tipo eu andar assim bem sem grandes stresses, pode ser? Bolas anda uma pessoa a ser fofinha contigo a fazer-te um post de boas vinda e tu começas logo com estas coisas.

1 de novembro de 2016

Olá Novembro...


Espero que venhas com vontade de me ajudar.
Sei que trazes contigo os dias mais frios, a lareira que eu tanto gosto, as castanhas, as tardes de domingo perdidas no sofá no meio das mantas quentinhas e infelizmente costumas trazer também umas gripezinhas e tosse, muita tosse.
Sim porque este ano apanharam-me na clínica e deram-me a vacina da gripe lá.
Por favor sê um mês calmo, tranquilo e ajuda-me a encontrar paz e pequenas alegrias, pode ser pequeninas mesmo, dá-me força e coragem de seguir em frente mesmo que esteja muito cansada.
Novembro estou a contar contigo!!!




31 de outubro de 2016

Hoje foi dia de consulta...

Lá fui eu mais uma vez ao hospital... para variar... uma semana em que não tenha que lá ir nem que seja uma vez até parece um milagre.
Hoje fui fazer a revisão do pacemaker.
Esta tudo dentro do normal... menos mal.
Mal entrei no consultório a médica disse logo "oh Mary esta com anemia?" e eu disse "não faço ideia que elas na clínica só sabem dizer ahh esta tudo mais ou menos, mesmo que uma pessoa esteja a cair para o lado esta sempre tudo bem".
A médica lá se riu e disse "estas muito branca isto não é normal" e digo eu em jeito de brincadeira "é já ando a experimentar a mascara para logo à noite".
Raios me partam se eu não vou começar a por base e blush e essas coisas todas antes de ir para as consultas, é que toda  a gente diz a mesma coisa que estou muito branca e agora a tomar a cortisona é que estou o máximo, com bochechinhas e tudo... aiiii deus que eu detesto tomar cortisona, mas tem que ser para o meu bem.
Hoje bem pode ser o dia das bruxas mas eu tenho que ir para o tratamento, hoje e amanha outra vez mesmo sendo feriado... ahhh castigo. 

29 de outubro de 2016

Ah ah ah estas a falar a sério...

Estes dias encontrei um amigo nosso... cá de casa.
Começou a perguntar como iam as minhas leituras e como era o novo livro do José Rodrigues dos Santos, e por aí fora.
As tantas diz-me que agora também vai lendo e tal e que até anda a ler um escritor muito conhecido, muito bom.
Que os livros dele são do melhor.
E eu "então quem é o escritor?".
"Ahh é o Nicholas Sparks"
Ahhhh imagino a minha cara de enterro a olhar para ele.
Brincamos queres ver.
É assim existem livros dele interessantes... que é como quem diz... mas daí a serem muito bons a conversa já é outra, quer dizer pelo menos na minha opinião.
Mas eu não disse o que penso, pois cada qual tem direito a gostar do que quer, sorri e calei-me, não ia cortar o entusiasmo do homem pela leitura, longe de mim fazer tal coisa, ora essa.

28 de outubro de 2016

Deve de ser karma só pode...

Os meus pais não acreditam nessas coisas e eu para ser sincera nem sei, tem dias que acredito e outros não.
Mas a verdade é que são muitas vezes fico a pensar no caso e quando quero "irritar" digamos assim a minha mãe começo logo "é impossível eu devo ter sido uma grande filha da mãe em outra vida só pode não existe outra justificação" e a minha mãe começa logo "que outra vida, isso não existe, não digas asneiras".
Ontem cheguei a casa e vinha possuída.
Saí do tratamento e mal me segurava em pé, tive um tempão à espera do outro senhor e como se não bastasse apanhei um bombeiro que começando a falar o homem não se cala um segundo.
A verdade é que eu só dizia "hmmm, pois"... mal conseguia falar... mas já estava tão saturada mas tão saturada de ouvir o homem que até comecei a suar e estava a ver que ia ficar ali estendida na sala de espera.
Sou incapaz de mandar calar alguém.
Acontece que depois cheguei a casa com os meus calores, respirei fundo e disse "isto é karma, só pode, eu devo ter sido uma cabra em outra vida, não me seguro de pé, estou tão cansada e ainda tive que aturar um bombeiro que me falou de tudo e mais alguma coisa,  antes de ir telefonou a A. a dizer que se separou do fulano e para eu ver se o via para o vigiar, pelo amor da santa eu mereço, só pode, era só o que me havia de faltar, eu é casa, hospital e clínica não vou a mais lado nenhum praticamente e agora querem que sirva de espia, vê só se pode".
A minha mãe estava muito séria a olhar para mim e disse "realmente, as tantas essa coisa do karma existe mesmo".
Dito isto da boca da minha mãe, já não tenho mais nada a acrescentar. 
  

27 de outubro de 2016

Cada dia que passa...

Tenho mais a certeza que existem pessoas que não valem mesmo a pena.
Desde família a amigos e conhecidos.
Não tenho por hábito nem gosto "de desistir" de ninguém, mas cada vez mais me convenço que o melhor é mesmo deixar andar.
Nem estou sequer para me chatear, era só o que havia de faltar.
Enfim... foi um pequeno desabafo.

26 de outubro de 2016

Por falar em natal...

Já tenho algumas prendas em vista, outras encomendadas e umas quantas mais que não faço a minima ideia do que será que vão ser.
Tenho um orçamento como todos os anos, se bem que o ano passado passei um bocadinho... grande... o orçamento, queria ver se este ano isso não acontecia.
Tem também uma série de pessoal que este ano não vai receber prendas, vieram com aquela conversa que só se vai comprar prendas para os mais pequenos e não seja por isso, já risquei os nomes da minha lista.
Vamos lá ver como me vou sair este ano. 

24 de outubro de 2016

"Vaticanum" de José Rodrigues dos Santos...


"Um comando do estado islâmico entra clandestinamente no Vaticano e o Papa desaparece. Horas depois surge na internet um vídeo em que os terroristas mostram o Sumo Pontífice em cativeiro e fazem um anúncio chocante: O PAPA SERÁ DECAPITADO EM DIRECTO À MEIA-NOITE. O relógio começa a contar. O rapto do Papa desencadeia o caos. Milhões de pessoas saem à ruas, os atentados sucedem-se, mutiplicam-se os confrontos entre cristãos e muçulmanos, vários países preparam-se para a guerra. 
Apanhado no epicentro da crise quando trabalha nas catacumbas da Basílica de São Pedro, Tomás Noronha vê-se envolvido na investigação para descobrir o paradeiro do Papa e cruza-se com um nome enigmático: OMISSIS. A pista irá conduzi-lo ao segredo mais sombrio da Santa Fé.
Usando informação genuína para nos revelar o que se esconde nos bastidores do Vaticano, o escritor preferido dos portugueses está de regresso com o thriller do ano. Com Vaticanum José Rodrigues dos Santos mostra mais uma vez por que razão é considerado mestre do mistério real."

Ora vamos lá então falar sobre este livro.
Gostei, mas... houve ali umas partes esquisitas.
Gosto do tema Vaticano, porque já lá estive e gostei muito.
Sabia que existia umas falcatruas quais queres para lá, só não tinha noção que fossem assim tantas.
Fiquei a conhecer um pouco mais sobre a jihad e essas coisas da xaria sagrada e de pagar a jiziah não tinha conhecimento destes pormenores.
Sempre ouvi falar no paraíso de Alá, só não sabia que se chamava jannah e verdade seja dita acho que eles são mesmo crentes ao pensarem que vão ter lá as virgens de fartos seios à espera deles, mas crenças à parte cada um sabe das suas. 
Quanto ao Tomás Noronha, é um "homem" com sorte a mais na vida e acho que essa sorte nos últimos livros tem vindo a ficar um bocadinho exagerada de mais.
Também aquela parte final em que revela a essência do livro esta um bocadinho exagerada.
Não gostei da intervenção da Maria Flor neste livro, principalmente na parte final, era escusado, digo eu.
Para mim a personagem com mais humor desta história sem dúvida nenhuma que foi o inspetor Trodela. 
Não sei se estava com a fasquia elevada demais, mas sinceramente esperava algo um pouco diferente, houve umas partes ali para o meio que me estavam a deixar um pouco desmotivada mas depois lá começou outra vez a despertar o meu interesse. 
Estava à espera de "mais" não o posso negar.
Ah outra coisa consegui identificar o principal culpado antes do fim,cheirou-me que fosse aquela personagem e fiquei muito contente por ter acertado, não sei se começa a ser o excesso de leituras mas ando a descobrir os maus das histórias muitas vezes. 

23 de outubro de 2016

Isto vai ser cá um domingo, vai, vai...

Com esta chuva toda nem penso sequer em voltar a sair de casa.
Hoje tenho a festa de aniversário da cunhada, o que vale é que é no andar de baixo e é só descer as escadas.
Depois do almoço, vou fazer questão de me dedicar à sorna mesmo, nem sei se depois lá para o meio leio algum livro, ou vejo alguma série, por aí, nada de mais, afinal de contas hoje é domingo e ainda por cima não tenho que cozinhar nem arrumar nada... aiii que maravilha.
Entretanto já fui à farmácia.
Já fui também comprar limas novas e já arranjei as minhas unhas que estão muito bonitinhas mas isso é sol de pouca dura, mas pronto paciência.
Resumindo e concluindo: hoje já não saiu mais de casa... yupppiii.

20 de outubro de 2016

Estou tão...

... cansada e ainda por cima daqui a nada tenho que ir para o tratamento.
Nem é bom pensar nisso mas lá terá de ser. 
Ufff só me apetecia fazer birra como os putos, mas pronto não me adianta de nada e não por isso paciência... aguenta-te.

18 de outubro de 2016

Por vezes o meu cérebro parece que para...

Regra geral não dá grande resultado, pois começam a aparecer muitas vezes o SE.
Ora tentem acompanhar o meu raciocínio.
Tenho reparado que o senhor X (vamos identificar assim) todas as santas segundas-feiras e com excepção de uma sexta-feira que também aconteceu, quer dizer que eu vi porque regra geral não o vejo á sexta... 
Usa as mesmas meias.
Ou tem vários pares iguais.
Ou reserva aquelas para a segunda-feira e naquela caso sexta também, fico na dúvida se também as usa à quarta.
Mas, existe sempre um mas...
Fiz um filme do caraças, quer dizer os meus neurônios é que fizeram.
sim eu sei as vezes para-me o cérebro com estes pormenores todos, mas que fazer e eu sei que não tenho nada a ver com o assunto que cada um anda como quer e como pode, mas que é coisa que me deixa a pensar lá isso é.

17 de outubro de 2016

Ontem...

Foi dia de excessos.
Duas festas de aniversário, eram para ser três mas uma desistiu à ultima da hora.
Não que tenha exagerado, mas acabasse sempre por cometer um erro aqui e outro ali.
Previsão para o próximo fim de semana?
Mais uma festa de aniversário
Graças a Deus Outubro é um mês recheado de aniversários.

14 de outubro de 2016

Coisas que me estão "atravessadas"...

* Não acho piada nenhuma quando as pessoas acham que são o centro do mundo e que os outros tem que andar à mare deles, hoje estou muito simpática, daqui a nada fico de tromba e vocês tem que seguir o que eu quero e como eu quero... pois sim já foste.

* Já disse que detesto convites de última hora??? Acho que sim que já falei nisso, é mesmo à cara podre.

* Achei muita piada estes dias comerem bolo de aniversário e depois de comerem dizerem "ah era doce demais"... hmmm era suposto o bolo de aniversário não ser doce é???

* Todos os santos dias as 06:30 da manha consigo ouvir no meu quarto, no andar de cima, com a porta fechada e a porta do andar de baixo fechada também o telemóvel da minha cunhada a tocar, aquilo mais parece a passagem de nível dos comboios... eu bem tapo a cabeça, mas aquilo esta exageradamente alto, já para não falar de quando eles vem cá jantar e estão sempre com o telemóvel na mão tipo os putos... enfim.

* Estes dias um familiar colocou um blá blá blá tão comovente no facebook que se eu fosse uma pessoa com mais sentimentos quase, quase que ficava a chorar com a emoção... mas não foi o caso.

* Anda lá um fulano na clínica que o homem deve ter algum transtorno naquela cabecinha, a contar o número de vezes que estica o lenço e os lençóis, já para não falar que manda por a televisão num canal e depois tapa os olhos com o dito lenço, sempre que chega à clínica vai pentear-se e puxa e tira e torna a puxar a camisa, olha enfim à frente que atrás vem gente.

* Mais dia menos dia vai ser dia que me vai saltar a tampa com a senhora da mercearia que quando compramos fiambre além de o mandar todo enrodilhado nunca manda uma fatia inteira é só meias fatias, eu bem sei o porque disso acontecer que já vi o cenário é que eles vão tirar aquela gordura à volta para dar ao cão e partem sempre torto, daí depois nunca sair nenhuma fatia em condições, mas hoje já a lixei não comprei lá o fiambre, comprei no talho que além de ser de melhor qualidade vem a fatia inteira.

* Ao tempo que não vejo uma das minhas doutoras, se eu não soubesse que ela até é boa pessoa e coisa e tal ia jurar que ela anda a fugir de mim como o diabo da cruz... porque será? Eis a questão.

Acho que chega por hoje, era só isto que tinha atravessado. 

13 de outubro de 2016

Sobre os blogs...

Existem blogs que me inspiram.
Blogs que me fazem sorrir.
Outros fazem-me sonhar.
Uns as vezes fazem com que acorde para a vida.
Outros fazem-me questionar se será assim sempre tudo tão "perfeito".
Fico com uma admiração profunda por quem os escreve.
Em outros caso, fico apenas com a sensação de "pena" dessas pessoas.
Existe gente com vidas tão fascinantes.
Outros com vidas deprimentes de mais.
Existem aqueles que sigo à anos.
Outros que vou descobrindo dia após dia.
Uns que admiravas e que de um momento para o outro passas simplesmente a não ligar nenhuma.
O mundo dos blogs é enorme... e eu adoro.
Leio muitos blogs... todos os dias.
Tem dias que comento... outros não, só passo para ler.
Já foram tantos os blogs que "desapareceram" e que eu adorava.
Fico sempre triste quando alguém se vai "embora".
Ter um blog não é ter que escrever obrigatoriamente todos os dias, mas sim quando queremos, quando necessitamos, essa é a piada dos blogs, na  minha opinião.

12 de outubro de 2016

As últimas da minha mãe...

Se existe ser humano capaz de me fazer rir independente do momento mau que posso estar a passar é exatamente a minha mãe.
Eu bem sei que ela não faz de proposito, mas ela tem umas saídas fantásticas.
Então fiquei internada na ucim e disseram que podia levar o pijama e os artigos de higiene.
O meu pai veio a casa buscar as coisas.
Disse à minha mãe que tinha os pijamas no saco do hospital... sim eu tenho um saco só com pijamas que uso quando fico no hospital, e que tinha a bolsinha no guarda vestido e era só meter o desodorizante, a pasta de dentes, bem como a escova de dentes e a escova de cabelo, que estava tudo à mão.
Qual o meu espanto quando no dia a seguir ao fim de me darem banho vejo que ela me mandou um necessaire dela e em vez de mandar o meu roll on e o meu desodorizante colocou um do meu pai que estava por estrear, ou seja manda-me perfume de homem.
Perante a cara de espanto do enfermeiro e da auxiliar só me ocorreu rir da cena e dizer "ah não posso".
No dia a seguir já ultrapassado este episódio  e já com o meu desodorizante ao fim do banho pedi à auxiliar se por favor me colocava umas meias que tinha os pés gelados, assim o fez a senhora.
Como já estava à muitas horas deitada a médica deu-me autorização para subir a cabeceira da cama.
Vai ao caso descobri que tinha duas meias iguais mas uma amarela e outra cor de rosa.
E digo "oh valha-me cristo" e começo a rir-me e diz a médica "então o que foi?" e eu saco os pés e mostro e ela diz "ah então estão limpinhas, quer dizer vê-se que são novas, se calhar são mesmo assim agora é a moda" e rimos as duas.
Quando digo à minha mãe ela fica muito séria a olhar para mim e só sabe dizer "sume-te diabo, como é que é possível" é possível é.
Só a minha mãe a fazer das delas para me deixar a rir nos momentos em que estou mais em baixo.

10 de outubro de 2016

Parece que as coisas estão a melhorar...

Pelo menos já não tenho vômitos nem tonturas.
As tensões já andam a 8 e a 9 o que eu aguento bem.
Já me seguro em pé sem me falharem as pernas o que é muito bom.
Ainda tremo muito, mas eu quero acreditar que é da medicação e continuo a sentir-me um pouco irritadiça demais para o meu gosto, mas pronto não se pode ter tudo, isto vai passar.
Infelizmente volta e meia tenho falta de ar, dá-me assim umas crises, canso-me bastante o que não acontecia.
Tirando isto acho que estou no bom caminho, pelo menos sinto-me melhor. 

8 de outubro de 2016

Segurança Nacional 5ª temporada...


Eis que já se encontra disponível a 5ª temporada da série Segurança Nacional.
Não sei se vocês costumam ver mas eu cá sou um bocadinho viciada nesta série.
Estou em pulgas para ver esta nova temporada.
Até que enfim, estava a precisar de uma boa série para me distrair um bocado.

6 de outubro de 2016

"Reencontros" de Cathy Kelly...


"Eleanor Levine deixou a Irlanda há setenta anos, levando consigo pouco mais do que uma mala e o livro de receitas escritas à mão pela mãe. Agora, depois de toda uma vida, regressa de Nova Iorque com uma sabedoria duramente adquirida e memórias suas. Psicanalista conceituada, Eleanor sabe que existe uma última viagem que tem de fazer... A jovem e adorável actriz Megan Bouchier não precisava de correr atrás do sucesso, pois este chegava sem esforço. Fama foi o que ela sempre quis, até que um caso de amor desastroso lhe valeu os cabeçalhos que ela não queria. Agora, Megan precisa de um lugar para se esconder... A bela morena Rae é uma esposa maravilhosa, uma amiga leal e uma voluntária empenhada dentro da sua comunidade. No Salão de Chá Titania¿s, distribui chá e simpatia por toda a gente, até que um segredo doloroso do passado ameaça tudo o que mais ama... A professora Connie O¿Callaghan, um coração de ouro, desistiu do amor. Alegremente, aproxima-se dos quarenta, mas porque não encontra nenhum homem igual aos heróis dos romances de amor de que tanto gosta? Enquanto Eleanor relê as palavras reconfortantes da mãe e observa o desenrolar da vida através da sua janela da bonita Golden Square, em Dublin, começa lentamente a envolver-se nas vidas de Megan, Rae e Connie. Mas será que a sabedoria acumulada e transmitida de mãe para filha ainda é relevante nos dias de hoje? E quais são os ingredientes para uma vida bem vivida?"

Foi das histórias que mais adorei ler até aos dias de hoje.
É grande, mas muito belo.
Este livro ajudou-me a compreender algumas coisas da vida que as vezes damos atenção a mais sem qualquer necessidade.
Todas as personagens tem a sua própria história o engraçado é como se ligam no final.
Não consigo especificar uma personagem favorita, pois cada uma com a sua lição de vida conseguiram encantar-me.
É um livro que aconselho a ler, principalmente para as mulheres.
É simples, emocionante e belo.

4 de outubro de 2016

De volta de mais uma estadia no hospital...

Pois é afinal a coisa foi indo a arrastar a arrastar e foi parar à urgência...Parece que já andava a ver a cena.
Bem fugi o mais que pude mas não me adiantou muito.
Na sexta feira quando me tentei por de pé e mal consegui vi que realmente tinha mesmo que ir a algum lado.
Depois de um mês a morrer de tonturas, de enjoos, de dia para dia as tensões a baixarem a irem aos 4, de dores de cabeça, má disposição, não me segurava de pé.
Sendo que a ultima semana não aguentei os tratamentos até ao fim e vomitei todos os dias, tinha chegado mesmo a altura de ir verificar o que se passava, uma vez que na clínica dos tratamentos ninguém foi capaz de fazer nada nem de me ajudar, lá tive que ir para a urgência.
Mal entrei na urgência a médica que me atendeu achou um escândalo eu andar naquele estado, depois de me deitar e mandar fazer vários exames chamou um especialista e vai na sorte foi uma das minhas médicas da clínica que ficou muito séria a olhar para mim como se não soubesse como eu andava.
Também achei muita piada essa médica da clínica ter dito à dita doutora que me atendeu primeiramente que tinha dado ordem para eu ir ter com ela ao hospital na quinta feira, que engraçado deu-me logo uma volta ao estomago.
Detesto estas merdas foi literalmente sacudir a água do capote.
Disse à doutora que me atendeu que lhe jurava por tudo o que era mais sagrado que ninguém me tinha mandado ir ao hospital,  eu apresentei-me na sexta porque já não aguentava mais, a doutora que já tinha uma idade só me disse "tenha calma que eu sei perfeitamente como estas médicas são eu confio em si bem sei que se tivesse tido ordem para vir no estado em que esta apresentava-se logo" menos mal que o assunto ficou esclarecido.
Estive sobre vigilância na ucim, foi um tédio terrível, as visitas são escassas e não se pode ter nada com nós, mas o pessoal que lá trabalha são porreiros principalmente as médicas, adorei sinceramente.
Fiz vários exames, alguns ainda não vieram os resultados mas como passei para a enfermaria ontem e ainda lá bactérias por todos os lados optaram por me deixar vir para casa, embora com uma série de condições em cima.
Cheguei à pouco a casa, sinto-me melhor mas longe do meu estado normal, sem dúvidas nenhumas. 

29 de setembro de 2016

Não resisti, foi muito mais forte do que eu...

Tinha mostrado num post atrás que não ia comprar livros, pois tinham emprestado bastantes.
Mas não consegui resistir ao novo do José Rodrigues dos Santos o Vaticanum, apanhei uma promoção simpática e cai em tentação e mandei vir o livro.
Mas que fique bem explicito que foi só este... por enquanto.
É que ainda por cima o livro fala de um tema que eu gosto imenso, estado islâmico e essas coisas e pronto não resisti mesmo.



27 de setembro de 2016

Sobre os últimos dias...

Se podiam ter sido melhores?
Podiam sim, anda uma pessoa um ano inteiro à espera deste fim de semana e quando chega ao momento nada corre como o planeado.
Ai que cansaço, tonturas, náuseas e vômitos, ainda não entendi muito bem como é que me mantenho de pé, mas pronto lá vou andando aos empurrões. 
A ver vamos como vai correr o tratamento hoje, porque ultimamente tem sido uma desgraça.

22 de setembro de 2016

Querido Outono...


Eu até gosto de ti.
A única coisa que dispenso é essa tua mania de seres engraçadinho e trazeres um monte de alergias atrás de ti, essa parte dispenso bem, acredita.
De resto tu és mágico.
Esses tons diferentes nas folhas, esse teu reboliço típico de Outono, é muito bom.
Chega a hora da comida mais "quente", mais reconfortante como eu costumo chamar, das castanhas e dos dióspiros que eu adoro mas que tem uma carrada enorme de potássio.
Mesmo assim estou a apostar em ti este ano.
Quero que me deixes andar bem, que me faças sorrir e ser feliz.
Dá-me paz é só o que te peço.
E sê bem-vindo mais uma vez.

21 de setembro de 2016

Adoro aqueles dias...

... em que sinto uma calma e paz imensa.
Existem dias em que quase que nem me reconheço.
Esses dias fazem-me bem.
Além de me sentir calma, sinto-me segura, parece que tenho uma espécie de segurança extra a sensação que tenho é que nada nem ninguém me vai conseguir chatear.
Como era bom que esses dias fossem mais frequentes. 

20 de setembro de 2016

No que diz respeito a leitura...

... estou pior do que a lesma.
Tenho andado mais cansada e com muitas dores de cabeça, logo não tenho dedicado grande tempo aos livros. 
Espero que esta pasmaceira passe e volte em força a vontade de ler.

15 de setembro de 2016

Assim não dá...

Já são poucas as vezes em que vou ver montras, mas tenho que começar a perder esse habito de vez, é que cada vez que vou venho sempre com a cabeça cheia de coisas lindas a navegar.
Ahh não, assim não dá.
É que depois uma sisma é pior do que uma doença.
E lá vou eu com aquela história do "é só desta vez" e acabo por gastar dinheiro sem necessidade e fico muito chateada comigo mesma.
A solução é evitar grandes saídas para esses locais.
Esta decidido.
A ver vamos é até quanto tempo dura esta minha convicção.  

14 de setembro de 2016

Acabei a 2ª temporada do Narcos...


A cada temporada que passa parece que fico mais viciada.
No outro dia li no jornal que vai existir a terceira e a quarta temporada e eu toda contente, venham elas.
O homem é terrível, Deus me livre, mas os outros traficantes também são jeitosos são, são.
Desse lado alguém que assista a esta série???

13 de setembro de 2016

Por acaso achei-lhe piada....

Tenho uma prima com quem agora não tenho grande relação... eu sou daquelas pessoas que só depois de bater com a cabeça muitas vezes na parede é que aprendo, foi o que aconteceu neste caso, mas como se diz mais vale tarde do que nunca.
Quando a gente se vê, raramente e ainda bem a gente cumprimenta-se faz conversa de momentos e esta bom.
Estes dias apercebi-me de algo muito engraçado.
Quando andava com o meu ex namorado e ele colocava fotografias nossas e outras coisas no facebook aquela rapariga nunca colocou um gosto... e atenção que nem era preciso... desde que eu e o rapaz nos separamos é vê-la a colocar gosto em tudo e mais alguma coisa.
É do caraças.
Ai enfim, mas que acho piada lá isso acho.

12 de setembro de 2016

"O fim de semana" de Bernhard Schlink...


"Após mais de vinte anos de afastamento, um grupo de velhos amigos e amantes reúne-se durante um fim-de-semana. Numa casa de campo isolada desenterram memórias e comentam os diferentes rumos que as suas vidas tomaram. Mas esta não é uma simples reunião de amigos, nem as suas conversas sobre os velhos tempos constituem as típicas reminiscências de juventude. A verdade é que se juntaram para celebrar a libertação de um dos membros do grupo: após vinte e três anos de prisão, Jörg, condenado por terrorismo e homicídio, acaba de ser libertado. 
No passado, estes amigos partilhavam ideais revolucionários. Agora, todos eles asseguraram o seu lugar na sociedade: Henner é jornalista, Ulrich é um homem de negócios, Karin é pastora de uma pequena igreja e Ilse professora. Para trás parecem ter definitivamente ficado os dias de luta e idealismo…"

Demorei um bocadinho a ler este livro apesar dele ser bem pequeno, porque chocou um bocado com o meu pensamento, ou seja, deixou-me a pensar demais.
É interessante a história que o livro nos dá a conhecer e faz com que a gente pense um pouco na nossa vida, na maneira como antigamente pensávamos no que iria ser a nossa vida e no rumo que ela seguiu.
No que diz respeito à minha realmente nada segui o que eu alguma vez pudesse ter imaginado ou planeado.
Quanto ao livro é interessante não é nada de fenomenal mas lê-se bem. 

10 de setembro de 2016

Hoje vou falar do menino Paulo...

Comecei a trata-lo por menino Paulo na brincadeira.
O Paulo trabalha numa padaria aqui na freguesia.
É um moço engraçado no sentido de ser todo modernaço, volta e meia faz assim uns cortes de cabelo diferentes e põem um loiro platinado, algo assim arrojado.
O engraçado é que até nem fica assim tão mal, mas gabo-lhe a coragem do loiro platinado, sem dúvidas.
Toda a gente sabe que o menino Paulo é amigo das farras, dos sunset  e essas paneleirices novas que se usa agora e também é amigo de apanhar uma farda de vez em quando.
Acho-lhe piada pela forma como fala, atenção com educação e sempre com boa disposição.
Estes dias estava na padaria e ele veio ver o que queria, pedi um café cheio.
Passados 5 minutos café nem vê-lo, nisto dirige-se à minha beira com um ar distraído e diz "desculpe lá mas o que foi que pediu que não me lembro?" eu sorri e disse "um café cheio", "ok" e sorriu e lá foi, entrou no balcão, saiu e estava a chegar novamente ao pé de mim e disse ao colega "eh pá dá-me um café cheio" e eu comecei a rir-me, achei tão engraçado aquele estado de distração dele, que até nem é assim muito normal e fiquei a pensar "deves ter tido uma grande noite".
Bebi o meu café e continuei a rir-me.
As senhoras da mesa ao lado estavam na hora da cusquice e ficaram a olhar muito sérias a olhar e a abanar a cabeça logo a mandar vir com o moço... enfim.
Muitas vezes fico a pensar, qual será a opinião que esta ou aquela pessoa têm da outra pessoa?
Fico sempre com essa dúvida no meu pensamento.

9 de setembro de 2016

Acho que vou criar uma nova rubrica...

Onde posso falar de alguém que eu conheço, ou alguém que tenha visto e me tenha chamado a atenção por qualquer motivo.
Vai chamar-se assim "Hoje vou falar do..." do ou da claro.
É engraçado que dou conta que muitas vezes observo as outras pessoas, a forma como agem e como são, algumas conheço outras não, mas fico ali um bocado a observa-las a ver como são.
Enfim, vou dar a conhecer-vos gente interessante, assim interpretados por mim.

7 de setembro de 2016

Estou desanimada...

Ando tão cansada que o desanimo mais parece que tomou conta de mim.
Não tenho força nem grande energia.
Só quero silêncio, nem livros, nem séries nem nada.
Não gosto de me sentir assim.
Mas tenho que seguir com o meu dia a dia em frente, porque a vida não para.
Vou acreditar que amanha vou estar melhor.
Fé nisso pelo menos.

6 de setembro de 2016

Caso ainda não tenha mencionado...

Detesto este calor, sinto-me a morrer.
O que vale é que dizem que amanha vem temperaturas mais baixas.
Graças a Deus.

5 de setembro de 2016

Ai mãe, mãe...

Sábado fomos ao cabeleireiro e no meio da conversa a cabeleireira disse "ah estas com o cabelo muito saudável" vem logo a minha mãe a correr "ah pois tem que estar à quantidade de mixórdias que ela lhe deita, é champo, condicionador, mascara, sérum, creme, mais creme tem que estar muito saudável."  
A cabeleireira riu-se e disse "assim, sim"
E eu metida a envergonhada só disse "escusavas de me estar a envergonhar mas olha se eu não me cuidar mais ninguém o faz por mim".
E eu, raio de mulher sempre atenta ao que eu faço ou deixo de fazer... dass.

1 de setembro de 2016

Querido Setembro...


Vem com alegria...
Traz paz, sossego, calma, felicidade, sorrisos, saúde, boa disposição e bom humor.
Traz tudo de bom, já que é para pedir vamos pedir em condições.
Estou à tua espera com os braços e o coração aberto.