22 de setembro de 2016

Querido Outono...


Eu até gosto de ti.
A única coisa que dispenso é essa tua mania de seres engraçadinho e trazeres um monte de alergias atrás de ti, essa parte dispenso bem, acredita.
De resto tu és mágico.
Esses tons diferentes nas folhas, esse teu reboliço típico de Outono, é muito bom.
Chega a hora da comida mais "quente", mais reconfortante como eu costumo chamar, das castanhas e dos dióspiros que eu adoro mas que tem uma carrada enorme de potássio.
Mesmo assim estou a apostar em ti este ano.
Quero que me deixes andar bem, que me faças sorrir e ser feliz.
Dá-me paz é só o que te peço.
E sê bem-vindo mais uma vez.

21 de setembro de 2016

Adoro aqueles dias...

... em que sinto uma calma e paz imensa.
Existem dias em que quase que nem me reconheço.
Esses dias fazem-me bem.
Além de me sentir calma, sinto-me segura, parece que tenho uma espécie de segurança extra a sensação que tenho é que nada nem ninguém me vai conseguir chatear.
Como era bom que esses dias fossem mais frequentes. 

20 de setembro de 2016

No que diz respeito a leitura...

... estou pior do que a lesma.
Tenho andado mais cansada e com muitas dores de cabeça, logo não tenho dedicado grande tempo aos livros. 
Espero que esta pasmaceira passe e volte em força a vontade de ler.

15 de setembro de 2016

Assim não dá...

Já são poucas as vezes em que vou ver montras, mas tenho que começar a perder esse habito de vez, é que cada vez que vou venho sempre com a cabeça cheia de coisas lindas a navegar.
Ahh não, assim não dá.
É que depois uma sisma é pior do que uma doença.
E lá vou eu com aquela história do "é só desta vez" e acabo por gastar dinheiro sem necessidade e fico muito chateada comigo mesma.
A solução é evitar grandes saídas para esses locais.
Esta decidido.
A ver vamos é até quanto tempo dura esta minha convicção.  

14 de setembro de 2016

Acabei a 2ª temporada do Narcos...


A cada temporada que passa parece que fico mais viciada.
No outro dia li no jornal que vai existir a terceira e a quarta temporada e eu toda contente, venham elas.
O homem é terrível, Deus me livre, mas os outros traficantes também são jeitosos são, são.
Desse lado alguém que assista a esta série???

13 de setembro de 2016

Por acaso achei-lhe piada....

Tenho uma prima com quem agora não tenho grande relação... eu sou daquelas pessoas que só depois de bater com a cabeça muitas vezes na parede é que aprendo, foi o que aconteceu neste caso, mas como se diz mais vale tarde do que nunca.
Quando a gente se vê, raramente e ainda bem a gente cumprimenta-se faz conversa de momentos e esta bom.
Estes dias apercebi-me de algo muito engraçado.
Quando andava com o meu ex namorado e ele colocava fotografias nossas e outras coisas no facebook aquela rapariga nunca colocou um gosto... e atenção que nem era preciso... desde que eu e o rapaz nos separamos é vê-la a colocar gosto em tudo e mais alguma coisa.
É do caraças.
Ai enfim, mas que acho piada lá isso acho.

12 de setembro de 2016

"O fim de semana" de Bernhard Schlink...


"Após mais de vinte anos de afastamento, um grupo de velhos amigos e amantes reúne-se durante um fim-de-semana. Numa casa de campo isolada desenterram memórias e comentam os diferentes rumos que as suas vidas tomaram. Mas esta não é uma simples reunião de amigos, nem as suas conversas sobre os velhos tempos constituem as típicas reminiscências de juventude. A verdade é que se juntaram para celebrar a libertação de um dos membros do grupo: após vinte e três anos de prisão, Jörg, condenado por terrorismo e homicídio, acaba de ser libertado. 
No passado, estes amigos partilhavam ideais revolucionários. Agora, todos eles asseguraram o seu lugar na sociedade: Henner é jornalista, Ulrich é um homem de negócios, Karin é pastora de uma pequena igreja e Ilse professora. Para trás parecem ter definitivamente ficado os dias de luta e idealismo…"

Demorei um bocadinho a ler este livro apesar dele ser bem pequeno, porque chocou um bocado com o meu pensamento, ou seja, deixou-me a pensar demais.
É interessante a história que o livro nos dá a conhecer e faz com que a gente pense um pouco na nossa vida, na maneira como antigamente pensávamos no que iria ser a nossa vida e no rumo que ela seguiu.
No que diz respeito à minha realmente nada segui o que eu alguma vez pudesse ter imaginado ou planeado.
Quanto ao livro é interessante não é nada de fenomenal mas lê-se bem. 

10 de setembro de 2016

Hoje vou falar do menino Paulo...

Comecei a trata-lo por menino Paulo na brincadeira.
O Paulo trabalha numa padaria aqui na freguesia.
É um moço engraçado no sentido de ser todo modernaço, volta e meia faz assim uns cortes de cabelo diferentes e põem um loiro platinado, algo assim arrojado.
O engraçado é que até nem fica assim tão mal, mas gabo-lhe a coragem do loiro platinado, sem dúvidas.
Toda a gente sabe que o menino Paulo é amigo das farras, dos sunset  e essas paneleirices novas que se usa agora e também é amigo de apanhar uma farda de vez em quando.
Acho-lhe piada pela forma como fala, atenção com educação e sempre com boa disposição.
Estes dias estava na padaria e ele veio ver o que queria, pedi um café cheio.
Passados 5 minutos café nem vê-lo, nisto dirige-se à minha beira com um ar distraído e diz "desculpe lá mas o que foi que pediu que não me lembro?" eu sorri e disse "um café cheio", "ok" e sorriu e lá foi, entrou no balcão, saiu e estava a chegar novamente ao pé de mim e disse ao colega "eh pá dá-me um café cheio" e eu comecei a rir-me, achei tão engraçado aquele estado de distração dele, que até nem é assim muito normal e fiquei a pensar "deves ter tido uma grande noite".
Bebi o meu café e continuei a rir-me.
As senhoras da mesa ao lado estavam na hora da cusquice e ficaram a olhar muito sérias a olhar e a abanar a cabeça logo a mandar vir com o moço... enfim.
Muitas vezes fico a pensar, qual será a opinião que esta ou aquela pessoa têm da outra pessoa?
Fico sempre com essa dúvida no meu pensamento.

9 de setembro de 2016

Acho que vou criar uma nova rubrica...

Onde posso falar de alguém que eu conheço, ou alguém que tenha visto e me tenha chamado a atenção por qualquer motivo.
Vai chamar-se assim "Hoje vou falar do..." do ou da claro.
É engraçado que dou conta que muitas vezes observo as outras pessoas, a forma como agem e como são, algumas conheço outras não, mas fico ali um bocado a observa-las a ver como são.
Enfim, vou dar a conhecer-vos gente interessante, assim interpretados por mim.

7 de setembro de 2016

Estou desanimada...

Ando tão cansada que o desanimo mais parece que tomou conta de mim.
Não tenho força nem grande energia.
Só quero silêncio, nem livros, nem séries nem nada.
Não gosto de me sentir assim.
Mas tenho que seguir com o meu dia a dia em frente, porque a vida não para.
Vou acreditar que amanha vou estar melhor.
Fé nisso pelo menos.

6 de setembro de 2016

Caso ainda não tenha mencionado...

Detesto este calor, sinto-me a morrer.
O que vale é que dizem que amanha vem temperaturas mais baixas.
Graças a Deus.

5 de setembro de 2016

Ai mãe, mãe...

Sábado fomos ao cabeleireiro e no meio da conversa a cabeleireira disse "ah estas com o cabelo muito saudável" vem logo a minha mãe a correr "ah pois tem que estar à quantidade de mixórdias que ela lhe deita, é champo, condicionador, mascara, sérum, creme, mais creme tem que estar muito saudável."  
A cabeleireira riu-se e disse "assim, sim"
E eu metida a envergonhada só disse "escusavas de me estar a envergonhar mas olha se eu não me cuidar mais ninguém o faz por mim".
E eu, raio de mulher sempre atenta ao que eu faço ou deixo de fazer... dass.

1 de setembro de 2016

Querido Setembro...


Vem com alegria...
Traz paz, sossego, calma, felicidade, sorrisos, saúde, boa disposição e bom humor.
Traz tudo de bom, já que é para pedir vamos pedir em condições.
Estou à tua espera com os braços e o coração aberto.


31 de agosto de 2016

O nosso último sábado de Agosto foi assim...

Fomos passear até à praia e fomos experimentar um restaurante novo o Mau Maria que fica em Espinho.
Além de sushi tem outro tipo de ementas também.
Encontrei um parceiro para me acompanhar no sushi o meu pai.
Eu e ele adoramos, já a minha mãe recusa-se simplesmente a experimentar, quanto mais a comer.


Comemos de entrada ceviche e tempura ebi que para quem não sabe é tempura de camarão que por acaso esqueci-me de tirar fotografia. 


Depois eu e o meu pai comemos um freestyle 25 que é este da imagem, apesar de não dar para ver muito bem, porque na verdade eu estava mesmo vocacionada era para comer, mas pronto.


A minha mãe como não vai nessas conversas de sushi comeu espetada de gamba, que além de bom aspecto, cheirava ainda melhor. 


Eu e o meu pai optamos por mandar vir mais uns quantos rolinhos como nós lhe chamamos.


Eh eh eh este era meu, quando me lembrei já tinha dado uma trinca, era um éclair com um recheio diferente, um chocolate muito levezinho, mas delicioso


A minha mãe optou por um brownie de chocolate com uma bola de gelado e só vos tenho a dizer que vai ser a minha próxima sobremesa quando lá voltar, porque é muito bom.

Resumindo e concluindo, quem não conhece o Mau Maria em Espinho podem confiar e ir lá que é muito bom.
A comida é deliciosa e o atendimento é fantástico... clicam no link lá em cima e vão ter direitinhos ao face deles.

30 de agosto de 2016

"Perdoa-me" de Lesley Pearse...


"O instante em que encontrou a mãe sem vida nunca se extinguirá da memória de Eva Patterson. Num bilhete, as suas últimas e enigmáticas palavras: Perdoa-me.
O mundo seguro de Eva ruiu naquele momento devastador. Mas o inesperado suicídio de Flora vai marcar apenas o início de uma sucessão de acontecimentos surpreendentes. No seu testamento, Flora deixa a Eva um estúdio em Londres. Este sítio é a primeira pista para o passado secreto de uma mulher que, Eva percebe agora, lhe é totalmente desconhecida.
No sótão do estúdio, a jovem encontra os diários e os quadros da mãe, provas de uma fulgurante carreira artística mantida em segredo. O que levou Flora a esconder tão fundo o seu passado? Ao aproximar-se da verdade, Eva descobre um crime tão chocante que a leva a questionar-se se alguma vez conseguirá, de facto, perdoar."


Já à algum tempo que não lia um livro da Lesley Pearse.
Uma vez que tinha lido todos os livros dela, fiquei com alguma curiosidade neste e a verdade é que gostei.
Bem sei que no meio de tanta tragédia a história acaba sempre bem.
Gostei da história da Eva, confesso que me fez "sonhar" um pouco na parte em que ela luta para estabilizar a sua vida.
Quem dera que as coisas fossem assim "tão fáceis", mas infelizmente não é.
É um livro que se lê rápido e é interessante, gostei. 

29 de agosto de 2016

Livros a ler...

Estes dias emprestar-me vários livros para ler.
Fiquei super entusiasmada uma vez que já estou no último livro meu.
Pensei em ir à biblioteca, uma vez que tenho cartão e posso lá ir requisitar.
Mas a patroa da minha mãe tem muitos livros e disse para ir lá buscar os que eu quisesse e pronto trouxe estes, já dá para me entreter durante um bom tempo, depois é só ir lá colocar e trazer mais.
Vejam lá então os que vieram comigo.

Alguém já leu algum destes livros???













26 de agosto de 2016

Este post é um pedido de ajuda...

Olá a todos...
Vou aproveitar aqui o meu cantinho para fazer um pedido.
Convidaram-me para fazer a divulgação da página do facebook dos Doadores de Sangue do Hospital de Gaia é só clicarem no link, já sabem.
Pediram também que desse o meu testemunho como receptora.
E foi com enorme carinho, emoção e uma enorme gratidão para com todos que lá trabalham que dei o meu testemunho.


Quem puder façam gosto na página acima mencionada e tornem-se doadores.
Obrigada a todos, do fundo do coração. 

23 de agosto de 2016

Uma pessoa vê cada coisa...

No outro dia quando fui almoçar com o meu sobrinho, na mesa ao lado sentou-se um casal, com duas meninas.
Bem eu já nem tenho memória de ver alguém a discutir daquela maneira num restaurante.
É que ficamos nós, as pessoas das outras mesas e os funcionários a olhar.
Houve um momento em que pensei "bem se isto é assim fora de casa, nem quero imaginar como é quando estão em casa, deve de parecer um campo de batalha".
E tudo por não concordarem com o que iam almoçar.
Confesso que fiquei com pena das miúdas, afinal de contas elas não têm culpa das "pegas" dos pais.
Enfim, eu só acho que as pessoas as vezes deviam de lembrar-se que é escusado fazerem esse tipo de cenas assim em público, na minha opinião, não é lá muito bonito assistir a estas coisas.

19 de agosto de 2016

Quarta-feira foi assim...

Decidimos ir dar uma volta até ao Porto e almoçar por lá.
Como o meu sobrinho não se lembrava de ter andado de metro, optei por deixar o carro em Gaia e lá fomos nós de metro passear.
Fomos almoçar à pizza hut que que ele queria lá ir e depois de termos almoçado apareceu o meu irmão.
Lá teve que pedir outra coisa para comer, porque nós os dois já tínhamos comido tudo, até decidimos tirar uma foto com aquele ar de quem fomos obrigados a comer... lol, era quase isso.  




Depois fomos lanchar à Nut para quem ainda não foi lá recomendo é muito bom, passem por lá.



Também fomos dar uma volta numas lojas que o rapaz quis ir comprar uma roupa e eu lá me perdi e acabei por comprar uns botins, que achei muito bonitinhos, estava na dúvida se havia ou não de os comprar, mas depois acabei por trazer.


Trouxe também umas pulseiras


E comprei três vernizes na Kiko...
A ver vamos como vão ficar.

Foi um dia diferente e giro.
Ele já pediu para voltarmos a repetir e eu já lhe disse que vou pensar no assunto.
Pois é o raio do miúdo só pensa em andar a passear, mas pronto eu gostei.

17 de agosto de 2016

"Enfermeira saturada" de Saturnina Gallardo...




"Senhora Enfermeira, o soro tem ar e vai-me matar. Senhora Enfermeira, eu é que sei em que veia me deve picar. Senhora Enfermeira, está aqui para me ajudar e eu é que tenho de trabalhar? 
Sim, tens a certeza de que mais facilmente verás um ministro da Saúde aumentar-te o ordenado do que um só penso que tenha o tamanho certo. Mais depressa te dão um cacifo do que um lugar no quadro. Trabalhas de pijama e sentes-te um DJ no turno da noite. A tua mãe confia mais no senhor que inventou o Actimel do que em ti. Tens pesadelos com campainhas a tocar. Já viste mais frasquinhos de urina em papelote do que médicos com letra legível. E o teu sonho é ter um paciente que acredite que sabes mesmo o que estás a fazer. 
Sim, este livro é para ti. Bem-vindo ao mundo da Enfermeira Saturada, onde o delírio se mistura com o humor, às vezes negro, mas sempre muito refinado. O mundo onde o dia-a-dia do hospital supera sempre a ficção."

Para quem anda nestas vidas de hospitais, tratamentos e afins este livro é o retrato mais puro e mais divertido do que se passa nesses locais.
Eu como doente presencio muitas das passagens descritas neste livro.
E também tenho umas saídas do gênero.  
Este livro foi oferecido por uma enfermeira amiga que eu adoro imenso mesmo.
Uma vez ela estava a ler e eu achei piada o livro... porque será que eu achei piada, porque sei que é tudo extremamente real o que lá vem escrito.
Houve momentos em que ainda deu para dar umas boas gargalhadas, era eu a ler, a rir e a pensar, "ahhh já assisti a isto".
É um livro divertido e fácil de ler.

16 de agosto de 2016

Oh diabo...

Não é mentira nenhuma que nos últimos dias tenho andado em baixo, muito cansada, com muito sono, enfim, é normal que quem me conhece note isso.
Hoje fui a uma consulta e o médico estava em stress desde que entrei na sala, porque começou a dizer que eu não era eu, que estava abatida, com ar de cansada, magra, muito branca... ohh pá e o meu belo bronze de dois dias e meio de praia que já se esta a ir embora, lol.
Lá tentei explicar que me encontro numa fase em que me sinto, bastante em baixo e cansada, mas que basicamente deve de ser só isso.
Olhou para mim muito sério e disse "oh diabo só isso? Não acha que já tem tido problemas que chegue?".
Ter tenho, só espero é que não tenha mais nada de novo, que já chega bem o que tenho, era neste sentido que estava a raciocinar.
Mas que tenho andado K.O lá isso tenho onde me encostar um bocadinho adormeço logo.

14 de agosto de 2016

"A rapariga Inglesa" de Daniel Silva...


"Madeline Hart é uma estrela ascendente no partido britânico no poder: bonita, inteligente, motivada para o sucesso por uma infância pobre. Mas Madeleine tem também um segredo sombrio: é amante do primeiro-ministro, Jonathan Lancaster. Os seus raptores descobriram o romance e decidiram que Lancaster deve pagar pelos seus pecados. Receoso de um escândalo que lhe destrua a carreira, ele decide lidar com o caso em privado, sem o envolvimento da polícia britânica. Trata-se de uma decisão arriscada, não só para si próprio, como para o agente que conduzirá as buscas.
Tens sete dias, depois a rapariga morre.
Entra em cena Gabriel Allon — assassino implacável, restaurador de arte e espião —, para quem as missões perigosas e a intriga política não são novidade. Com o relógio a contar, Gabriel tenta desesperadamente trazer Madeleine de volta a casa em segurança. A sua missão leva-o do mundo criminoso de Marselha a um vale isolado nas montanhas da Provença, depois aos bastidores do poder londrino e, finalmente, a um clímax em Moscovo, uma cidade de espiões e violência, onde há uma longa lista de homens que desejam ver Gabriel morto.
Desde as páginas de abertura até ao chocante final, em que se revelam os verdadeiros motivos por detrás do desaparecimento de Madeleine, A Rapariga Inglesa irá deixar os leitores completamente mergulhados na história."

Mais uma estreia de um escritor, desta vez o Daniel Silva.
Já tinha ouvido falar muito bem dos livros dele e a verdade é que gostei imenso.
Neste livro podemos ver a história de Madeleine Hart e todo o passado e seus segredos.
Adorei o Gabriel Allon, assim como a sua esposa a Chiara.
A história em si foi muito interessante, pois dá umas voltas lá para o meio, exatamente como eu gosto, leva-me a pensar uma coisa, as tanta começo a desconfiar de outra e pronto eis o sentido real da história.
Sem dúvida alguma que vou querer ler mais livros do Daniel Silva. 

12 de agosto de 2016

Não acho piada nenhuma estes convites de última hora...

A pior coisa que me podem fazer é um convite de última hora, seja para o que seja.
Não imaginam como fico furiosa.
Detesto ter que ir comprar o que quer que seja à pressa.
À pouco recebi um convite para um aniversário de casamento neste fim de semana.
Fiquei logo com uma azia que nem é bom.
Não me digam lembraram-se ao lanche que lhes apetecia fazer uma festa querem ver.
Detesto quando fazem estes convites assim tão em cima do dia.
Estou tão chateada e irritada que até me apetece fazer birra como os miúdos.
Adeus euros que estavam em poupança para algumas peças de decoração cá de casa... 
Adeus...

9 de agosto de 2016

"Adoro" quando me mandam uma sms a dizer...

"ASSÉRIO"
A sério digo eu.
Já disse um milhão de vezes que é separado mas existe quem insista no "assério".
Isso já não é distração é mais burrice, mas pronto.
E sim é gente da família... ah ah ah.
E sim eu as vezes também me engano a escrever, mas não é sempre, sempre eh eh eh.
Haja humor pelo menos...

6 de agosto de 2016

Ora coloquem-se todos no meu lugar...

Sim vamos fazer uma experiência engraçada.
Coloquem-se no meu lugar.
Eu não posso ingerir líquidos só o minimo possível... divertido não  é? Com este calor horrível e uma pessoa anda por aí a penar, mais parece que estamos no deserto.
Ai um gelado tão bom... blá, blá blá... pois o gelado tem liquido, que rico.
Tens fruta agora com o calor... pois além de ter liquido tem uma carrada enorme de potássio... e potássio em excesso o que é que faz, adivinhem? Mata.
Ah também tem os iogurtes fresquinhos são bons... pois claro que são. 
E então qual é o mas do iogurte? O líquido e o fósforo, que quando  esta elevado também pode ser super fofinho e matar.
Agora digam-me se uma pessoa sofre ou não sofre com este calor?
Claro que sofre e não é pouco.
Se eu não tivesse estes entraves todos e fosse uma pessoa sem estes problemas... oh pois bem aí até eu amava o sol, o calor e todas essas coisas, como não é o caso vou ali amuar para a clínica que daqui a pouco é dia de mais uma sessão de dialise.
Ok entenderam?
Volte para os vossos lugares.

4 de agosto de 2016

Foi uma super e rápida consulta...

Hoje fui a uma consulta com o operador mal entrei ele disse "bem que bom aspecto que tem".
Lá olhou para os exames e disse "ainda não tenho o resultado do tac, mas eu vou deixa-la ir embora e ligo-lhe mal tenha o resultado, porque não me posso fiar nesta sua boa aparência tenho mesmo que ver os exames porque você é uma caixinha de surpresas".
E pronto lá vim eu embora, agora aguardo o contacto do médico para  me dar os resultados e marcar os próximos exames e consulta.

2 de agosto de 2016

Vejam só se alguém me salva pelas almas...

Andam cá em casa o pintor a pintar casa toda por dentro e o eletricista a mudar os interruptores todos.
Trouxeram dois modelos de interruptores, uns brancos e uns bejes para eu escolher, escolhi os bejes e imaginem quais é que o senhor trouxe... os brancos portanto, enfim valha-me a minha paciência pelo menos.
Já vai na segunda semana de pinturas.
Estou tão farta de pó, de barulho e obras que quando isto acabar até vou pensar que é mentira.
Fui eu que escolhi as cores novas da casa.
Estava farta do branco.
Passei e passo grande parte da minha vida a ver paredes branca... hospitais, clínica, coisas desse gênero... como estou tão farta e saturada os meus pais deixaram-me escolher todas as cores novas... xo branco, a circular vamos lá.
Toca a mudar a ver se fica tudo com um ar mais alegre.
E como se costuma dizer quem muda Deus ajuda... a ver vamos.

30 de julho de 2016

"Em troca de um coração"... de Jodi Picoult...


"Aceitava realizar o último desejo de um condenado para salvar a vida de um filho? Com uma sensibilidade literária invulgar, Jodi Picoult conduz uma vez mais o leitor a uma encruzilhada moral. Como é que uma mãe concilia a trágica perda de um filho com a oportunidade de salvar a alma de um homem que odeia?
Shay foi condenado à morte por matar a pequena Elizabeth Nealon e o padrasto. Onze anos mais tarde, a irmã de Elizabeth, Claire, precisa de um transplante de coração e Shay, que vai ser executado, oferece-se como dador. Este último desejo do condenado complica o plano de execução, pois uma injecção letal inutilizaria o órgão. Entretanto, a mãe da criança moribunda debate-se com a questão de pôr de parte o ódio para aceitar o coração do homem que matou a sua filha. Picoult hipnotiza o leitor com uma história de redenção, justiça, e amor."

Este foi o primeiro livro da Jodi Picoult que li.
Gostei tanto, mas tanto que o li o livro num abrir e fechar de olhos.
Uma história linda, simples e que me cativou logo desde o início.
Gostei principalmente o facto de  história me fazer percorrer um caminho e de repente ter mudado o seu rumo.
Houve alguns momentos em que deixei escapar algumas lágrimas.
Sei o que é estar numa lista para transplante, não de coração mas sim se rim... e sei ainda melhor o que  é o "ter que ser urgente".
Fiquei com muita vontade de ler mais livros da Jodi.
Adorei simplesmente.

27 de julho de 2016

Era suposto...

... que com a troca de óculos eu me sentisse melhor.
Mas a verdade é que esta a ser difícil adaptar-me a usar óculos o dia todo e também tem acontecido dar-me umas náuseas jeitosas.
Isto não esta fácil.
Eu que não sou pessoa de suar até me sinto a transpirar cada vez que uso os óculos.
Vamos lá ver como é que isto corre.
Estou a acreditar que vai melhorar, a ver vamos. 

26 de julho de 2016

Foi uma gargalhada jeitosa...

Estes dias estava a falar com uma médica.
Ela perguntou se tinha tido alguma consulta ultimamente e eu disse que tinha ido a uma consulta de cardiologia e que estava tudo bem, excepto as tensões estarem baixas de mais.
Toda a gente sabe que os cardiologistas preferem as tensões baixas do que altas, mas é que as minhas tem abusado no que diz respeito a estarem baixas.
Nisto eu perguntei à médica se havia alguma coisa que ajudasse a subir as tensões.
"Existem apenas pequenos truques mas que nunca resultam assim muito, a canela, o café" e eu "ah sim eu uso canela, por exemplo coloco no café, no chocolate quente" e diz ela "vês alguém já te falou que isso ajuda a estimular o coração" e eu comecei a rir-me e disse "por acaso eu uso a canela com outra intensão tipo acelerar o metabolismo, sei que é um bom ingrediente para isso".
Bem começamos a rir as duas e a médica disse "tás a falar a sério?"
Eu ri-me e disse "sim estou" e ela disse "não estava nada à espera desta, pensei que era porque tinham recomendado por causa do coração, mas tens toda a razão a canela é um ótimo estimulante para o metabolismo acelerar, mas queres acelerar o metabolismo para que?".
"Ora para emagrecer" e diz ela "para desaparecer do mapa é?"
Isso é que já é mais difícil. 
Pois é eu ando sempre a tentar aprender coisas novas.

25 de julho de 2016

Tinha tudo para ter sido um bom dia...

Tudo mesmo...
Aniversário da madrinha, festa em família apesar de existirem coisas que eram desnecessárias.
Fui até ao pé do mar apanhar ar.
Já disse que não levo mais a minha mãe se for nos dias em que quero ir distrair a mente, porque a mulher está sempre cheia de pressa.
Hoje alguém que não conheço de lado nenhum deu-me um sorriso, tão puro, tão genuíno que me encheu o coração.
Alguém que eu não conheço foi capaz de preencher o meu dia apenas com um sorriso.
E assim fui para a festa de anos, contente por ainda existir gente tão genuína.
Os almoços são sempre confusos porque as pessoas geralmente não falam, berram... tornando tudo numa grande confusão.
Vim para casa para tomar conta da nina a gatinha do meu irmão, uma vez que eles foram sair uns dias.
Digam o que disserem a gata esta triste, meiguinha de mais, nota-se que sente a falta dos donos.
Tenho tratado dela da melhor maneira possível, dentro daquilo que me ensinaram e do que sei também.
A verdade é que sinto pena da bicha porque se nota mesmo tristinha.
Fomos jantar.
Mais uns quantos temas de forma a se poder discutir em alto e bom som.
Voltei para casa feliz, apesar de um ou outro contratempo o dia tinha sido bom... muito bom.
E de repente vejo algo no Facebook que me faz "abanar" e sentir-me triste, muito triste.
Nesses momentos quero sempre fazer questão de lembrar aquele sorriso daquele desconhecido que me encheu a alma a ver se alivia a dor que ela sente.
Tem dias em que tudo parece tão bem mas que de repente fica tudo tremido e nesses momentos contínuo a perguntar a mim mesma "porque?" 
E nunca tenho resposta, nunca

21 de julho de 2016

"A química da morte" de Simon Beckett..




"Ao fim de trinta segundos, a sua pele começa a arrepiar-se.

Ao fim de um minuto, o bater do seu coração ter-se-á tornado audível.
Ao virar a última página, dará graças por se tratar de uma obra de ficção.Simon Beckett é um autor que rapidamente mobilizou a atenção de um público internacional com este seu primeiro thriller protagonizado por um especialista em antropologia forense. Após a perda da mulher e da filha de seis anos, David Hunter escolhe refugiar-se numa aldeia isolada de Norfolk, a tratar dos vivos, tentando esquecer a sua tragédia pessoal. Mas, mesmo aí, o destino obriga-o a lidar com aquilo de que ele pretende fugir... A Química da Morte foi finalista do mais importante prémio deste género literário, o Duncan Lawrie Dagger Award de 2006."

Eis o primeiro livro que leio do Simon Beckett.
Posso dizer que foi uma agradável surpresa.
Gostei da história, embora existisse ali aquela parte que fala muito das moscas e das varejeiras que para mim era escusado, mas entendo perfeitamente o porque de ele a usar.
David Hunter conquistou-me, assim como a Jenny.
O mais engraçado deste livro é que nos faz duvidar de muitas personagens . cheguei a pensar que este ou aquele é que eram os assassinos mas depois com o desenrolar da história, esta empurra-nos para a realidade e vemos que afinal a personagem não são assim tão más.
Algures no meio do livro desconfiei que o assassino era umas das personagens principais.
Afinal o meu gosto pela leitura cada vez mais esta a ajudar-me a desenvolver esta "faceta" de descobrir os maus da fita... lool, nem sempre consigo chegar lá, mas neste descobri um dos assassinos.

18 de julho de 2016

E o meu fim de semana foi assim...

Sábado de manha fui fazer uma massagem de relaxamento que me soube pela vida.
Desde que descobri esta massagem estou a levar à letra a cena de ir à massagem pelo menos uma vez por mês, lá esta o velho ditado "se eu não cuidar de mim quem cuidará".
Depois fui cometer um leve pecado ao ir almoçar ao mcdonald's e à tarde lá fui para mais um tratamento.
Quando cheguei do tratamento comi uma sande, vi um pouco de televisão e foi dormir... ahhh coisa mais boa.
No domingo fui à praia de manha com o meu irmão, cunhada e sobrinho, almoçamos lá e viemos para casa à tarde porque estava muito calor e além de não me dar com o excesso de sol, também não posso abusar por ordens médicas.
Aproveitei para ver um filme que tinha gravado "as serviçais" sei que já tem algum tempo, mas eu não tinha visto, adorei, mas depois faço um post a dar a minha opinião.
Resumindo foi um fim de semana de descanso, uma vez que os meus pais tinham ido passear o fim de semana.
Adorei este fim de semana.
Pode repetir-se se faz favor.

16 de julho de 2016

Sempre sou muito croma...

No outro dia ia a caminho do tratamento ia a conduzir e de repente começo a suar... note-se que eu não sou pessoa de suar... e começo a ficar enjoada, tão enjoada que já estava a ver-me a parar o carro e a vomitar meio mundo.
Olho para a frente e vejo uma farmácia e pensei "tenho que ir comprar alguma coisa antes que caia para o lado".
Parei o carro disse ao meu pai que vinha num instante entrei pela farmácia dentro, sorte a minha que estava vazia e disse "bom dia queria uma caixa de primperan por favor" e a farmacêutica disse "pequena ou grande?" e eu aflita só queria o raio dos comprimidos e disse "pode ser grande" estava a pagar e diz ela "contribuinte" e eu a pensar meus deus vou vomitar isto tudo, lá lhe dei o contribuinte e diz ela "bem estou a ver que esta mesmo mal, também estou a ver que sabe o que quer e para o que quer e também estou a ver que esta aflita" e eu a abanar a cabeça que nem um burro a dizer sim a tudo e a pensar "passa para cá o raio da caixa mulher" ela lá deve ter percebido a minha urgência deu-me a caixa eu agradeci sai porta fora e enfardei dois comprimidos.
Respirei fundo e pensei "calma, calma agora".
E continuo a ver senhora a espreitar pela vidraça da farmácia.
Faço ideia a minha cara, faço, faço.  

15 de julho de 2016

Chegaram as minhas compras...

Como tinha mencionado num post a trás, comprei pela primeira vez no site da Parfois.
Já fiz várias compras na net, em especial livros e nunca tive qualquer problema.
No caso da Parfois, posso dizer que fiquei muito contente por ter sido tão bem "atendida".
Encomendei na quarta feira por voltas das 14:30 por aí e chegou hoje ainda não eram 11:00 horas.
Então passo a mostrar os miminhos que comprei para mim.


A embalagem por fora era tão fofinha, a maneira como vinha embrulhada, depois tinha esta caixa com as encomendas e por dentro vinha cada coisa na sua respectiva embalagem, tudo muito bem embrulhado e arrumado.


Eis as minhas novas sandálias, tão simples mas tão lindas, escolhi em azul marinho uma vez que achei que ia ficar muito bem com as calças de ganga, que é o que eu uso com frequência.


Isto é um porta documentos, andava atrás de um para colocar a minha papelada do hospital e eis que este encheu todas as medida do que eu queria, só gostava que fosse em escuro, mas não havia, paciência, não se pode ter tudo ;) 


Aqui é o porta documentos aberto, como podem ver tem imenso espaço para organizar a papelada.


E esta pulseira em dourado, super simples, são folhinhas toda alinhadinha, super delicada e muito bonita, pelo menos eu adoro.

E pronto foram estas as minhas últimas compras.
É de dar os parabéns ao pessoal que trabalha na Parfois porque o atendimento foi fantástico, e se o pessoal se acha no direito de reclamar por tudo e por nada, eu acho que tenho direito também de salientar o bom atendimento, quando é o caso, fica aqui o meu testemunho.

14 de julho de 2016

Dizem que vem aí mais calor...

Calminha com o andor sim...
Que eu não me dou bem com as temperaturas elevadas.
E não se queixem, vá lá, tem estado um tempo muito bom assim.
Nada de excessos tá bem.
Pior do que tudo é que o próximo fim de semana os meus pais não vão estar e o meu irmão quer que vá à praia com ele no domingo, hmmm não sei não com este calor, não tenho paciência nem vontade para lá estar.
Depois a gente vê.

13 de julho de 2016

Hoje foi dia de compras...

Hoje fiz umas compras online no site da Parfois pela primeira vez.
Comprei três miminhos para mim... eu também mereço.
Hoje também fui trocar os meus óculos, porque já não ia à uns anitos e estava mesmo a precisar.
Andava com ideias de comprar uma armação em azul ou roxo mas no fim como podem calcular comprei novamente em preto, assim dá com tudo e não chama tanto a atenção uma vez que vou ter que andar com eles o máximo de tempo possível.
Ah tive direito a uns óculos de sol de graça, não é que me faça falta porque eu tinha investido uns ricos trocos nuns óculos da Vogue, mas vão servir para usar quando for caminhar e nos raros dias em que for à praia que é para não estragar tanto os melhores.
Depois quando receber a encomenda e os óculos eu mostro.




12 de julho de 2016

Já não tenho pedalada para andar na noitada...

É que não tenho mesmo.
Se imaginassem como me sinto cansada, até se riam.
Foi sexta, sábado, domingo e segunda a deitar tarde.
Mais um dia e morria. 
Ontem lá desisti e vim mais cedo embora, estava tão, mas tão cansada, que foi só tirar a roupa e pumba adormeci logo quase sem abrir a cama.
Estava mesmo exausta, estava e estou que ando para aqui a ressacar que é uma coisa louca, parece que mal me seguro de pé.
Vamos lá ver como corre o resto da semana agora sem festas.

11 de julho de 2016

Ontem foi uma noite emocionante...


Eu que faço sempre questão de não me enervar com o futebol.
Eu que digo sempre, ah não quero saber.

Eu que sofro em silêncio.
Ontem não aguentei.
Gritei bastante.
E de um momento para o outro dei por mim a chorar e a tremer.
A chorar de alegria, de felicidade, de emoção.
Vi o jogo no meio de tanta gente na festa das colectividades e foi tão, tão bonito, que acho que jamais irei viver uma experiência tão boa.

Parabéns Portugal, nós merecemos.
Detesto avecs, sempre com a mania que são mais do que nós, sempre a falar mal de nós, amigos, temos pena e como diria o outro "adeus, vocês são o elo mais fraco".


9 de julho de 2016

Fim de semana de festa aqui na terra...

Começou ontem a festa das colectividades aqui da terra.
É uma festa onde se juntam todas as colectividades da freguesia e cada um vende comes e bebes.
Tem também vários espetáculos durante os 4 dias.
É a única festas que vou todos os anos e em todos os dias.
Existe gente que só se vê uma vez por ano, nesta festa, é engraçado que se vê pessoas que raramente se encontra.
É engraçado também ver que de ano para ano aumenta o convívio e a festa.
Adeus, vou dedicar-me a ter um bom fim de semana.

8 de julho de 2016

"O jogo de ripper" de Isabel Allende...


"Indiana e Amanda Jackson sempre se apoiaram uma à outra. No entanto, mãe e filha não poderiam ser mais diferentes. Indiana, uma bela terapeuta holística, valoriza a bondade e a liberdade de espírito. Há muito divorciada do pai de Amanda, resiste a comprometer-se em definitivo com qualquer um dos homens que a deseja: Alan, membro de uma família da elite de São Francisco, e Ryan, um enigmático ex-navy seal marcado pelos horrores da guerra.
Enquanto a mãe vê sempre o melhor nas pessoas, Amanda sente-se fascinada pelo lado obscuro da natureza humana. Brilhante e introvertida, a jovem é uma investigadora nata, viciada em livros policiais e em Ripper, um jogo de mistério online em que ela participa com outros adolescentes espalhados pelo mundo e com o avô, com quem mantém uma relação de estreita cumplicidade.
Quando uma série de crimes ocorre em São Francisco, os membros de Ripper encontram terreno para saírem das investigações virtuais, descobrindo, bem antes da polícia, a existência de uma ligação entre os crimes. No momento em que Indiana desaparece, o caso torna-se pessoal, e Amanda tentará deslindar o mistério antes que seja demasiado tarde."


Mais um livro da Isabel Allende que gostei imenso.
No início estava um pouco na dúvida se devia ou não ler.
Gostei da história, apesar de existirem ali no meio alguns pormenores que não eram necessários... na minha opinião claro.
Gostei imenso da Amanda e do avo, achei engraçado a definição de jogo do ripper, duvidei sempre do tal Gary Brunswick, não sei existia ali qualquer coisa estranha desde o início, gostei da história e da personagem da Indiana.
É um livro fácil de ler simples mas encantador, realmente esta escritora caracteriza tão bem as suas personagens que chega a dar-me a sensação que as conhecia de algum lado.
Leiam que é uma história interessante e bonita, que capta a atenção do início ao fim.