29 de maio de 2014

"Estou nua, e agora?" de Francisco Salgueiro...


"Alex, uma nova-iorquina, vive uma vida perfeita: acabou o curso e tem um emprego garantido. Está prestes a cumprir os sonhos que desenharam para ela. Mas um desgosto de amor leva-a a viajar pelo mundo. Precisa de se conhecer melhor e ultrapassar os seus medos. Da Tailândia ao Brasil, da Austrália a Marrocos, faz Couchsurfing dormindo em colchões, beliches, camas limpas, camas sujas, parques públicos - até em minha casa, em Lisboa. Nudismo, algum sexo, ilhas paradisíacas, jantares românticos, protestos de rua, festivais no deserto, um encontro com Nelson Mandela, mulheres que disparam bolas de ping pong das suas zonas íntimas - tudo isto faz parte desta história real passada nos sete continentes, ao longo de um ano, que representa tudo aquilo que gostaríamos de fazer.
Há pessoas que cometem erros por se acomodarem e outras que cometem erros por tentarem. A Alex preferiu errar tentando. E vocês?"

Foi um livro fácil de ler.
Gostei, foi diferente nem sequer conhecia esta coisa do couchsurfing não fazia ideia que tal coisa existisse nem como funcionavam. Para quem tiver a coragem, aquela que eu não tenho certamente deve ser uma aventura andar assim de país em país a conhecer novas culturas e novas pessoas.
No início fiquei um pouco apreensiva e pensei "ah não isto não aconteceu" mas depois com o desenrolar da história e com as fotografias comecei a pensar "se calhar estas mesmo enganada Mary isto aconteceu mesmo" e entrando neste pensamento comecei a apreciar mais as aventuras da Alex. É um bom livro, diferente mas bom. Fiquei foi um pouco deprimida por ter acadado assim tão de repente fiquei com uma série de curiosidades por satisfazer. Acho que vou contactar o Francisco Salgueiro... o escritor... para ver se ele me conta o que é feito da Alex ou então se ela ficou com o Boobby... tenho cá para mim que sim que ficaram juntos. 

27 de maio de 2014

Hoje deram-me 16 anos...

Pois está certo sim senhor o problema é que eu tenho mais 13 que os 16 (29 para quem não quer estar a fazer contas). 
Fiquei foi sem saber se o senhor tem miopia ou algo do gênero, porque nem 8 nem 80 sei que existem pessoas que ficariam felizes mas a mim sinceramente é indiferente, gostei foi mesmo foi da observação dele "já viu vai ser uma velhota assim com ar de novinha e sem nenhuma engelha"... hmmm... hmmm pois está claro como é que eu não tinha pensado em tal pormenor. 

26 de maio de 2014

Sobre "o poder do amor", o novo programa da sic...

É certo que a curiosidade é uma filha da putice das grandes, mesmo estando completamente consciente que que ia sair asneira quis ver o primeiro episódio.
E vi... e tirei umas ricas conclusões como é meu hábito.
Mais uma vez está mais do que comprovado que existe gente que pela fama e pelo dinheiro fazem qualquer coisinha... é triste e deprimente mas é a verdade. 
Quando em que momento eu seria capaz de me meter no meio do estrume e bosta e por aí fora??? Jamais... jamais mesmo.
Depois existe ali umas "peças" que tem a mania que são populares e conhecidas e por aí fora que já têm idade suficientes para deixarem de fazer as figuras tristes e deprimentes que fazem... tipo a Gisela e a Claudia. Digamos que fiquei com vontade de pregar um par de estalos à Gisela por ela falar como um bebezinho muito pequenino... coitadinha, coitadinha.
A Cláudia e o respectivo acho que é Max é só amor e baby para trás e para a frente... tenham dó sim.
Depois tem lá uma loira que deve de ser cá de cima... infelizmente tenho a mencionar... que além de ser uma bronca de primeira maltrata aquele rapaz que até tem cara de bom moço, eu não percebi o que ele viu nela porque se ela na vida real for como se apresentou ontem só vos digo é muito mau.
A Cátia é um caso completamente perdido até dá dó.
O Zé e a Sónia parecem-me ser um bom casal uma vez que estão casados à 17 anos mas continuo sem compreender o que foram fazer para um programa destes.
Quimbé???? Não faço a minima ideia de quem o fulano é, disseram que era uma figura conhecida... se calhar até é, ninguém tem é culpa de eu não acompanhar toda a porcaria gerada neste país.
Não consigo ter opinião sobre o casal o Artur e a Catarina, não mesmo.
Eddy e Tina o moço até parece ser divertido e tal, fala muito bem apesar de ter um "poucuxinho" de mania já a moça Deus me livre está sempre de focinheira e excesso de mania.
O Micael e a Cristina, para mim são os mais normaizinhos apesar dela ter chorado baba e ranho por ter perdido a prova, mas foram os únicos a quem achei piada.
E por último o Paulo e a Marta que foram os que saíram logo e ainda bem, pois a fulana é uma arrogante e uma convencida de primeira... "eu é que sei, eu é que faço e o que eu digo é o que é" menos mal que foram os primeiros a sair, só não entendi uma coisa se estava grávida para que foi para um programa destes??? Eu sei ninguém tem culpa de eu ser uma ignorante mas pronto que fazer, fiquei foi com a ideia que ela quis ficar "conhecida" e ao mesmo tempo que toda a gente soubesse que estava grávida... "balha-me" cristo.
Ahhhh!!! Não tinha associado aqui umas coisas, o Carrilho voltou a aparecer nas capas de revista... vi lá no quiosque quando fui comprar o jornal... e eu pensei "lá vem este outra vez" e só depois disso é que os meus neurônios acordam  e fizeram o raciocínio "Barbara a apresentar um novo programa, cheia de tiques e mania e toca a vir o Carrilho armar a tenda outra vez" eu cá para mim isso já é combinado entre eles o primeiro circo foi quando foi a ela apresentou o factor X e a segunda tenda do segundo circo  é armada  quando ela apresenta está pérola de programa... hmmm cá para mim andam combinados para aumentar  o falatório sobre eles.
Resumindo e concluindo... esta foi a minha opinião sobre o primeiro episódio, primeiro e último pois não faço intenções de perder mais tempo a ver esta javardice... à primeira cai quem quer, à segunda já é mais difícil.

23 de maio de 2014

E as minhas escolhas dos globos de ouros foram...



Para mim sem dúvidas que a Inês Castelo-Branco estava linda da cabeça aos pés, simples como eu gosto mas muito elegante e bonita... para mim a melhor da noite. 



Também gostei da Dânia Neto, simples simples mas muito bonita...



 Melânia Gomes... isto para mim é um look arrojado uma vez que eu gosto tudo liso e pouca mistura de cores e essas coisas... mas gostei imenso do vestido e aquele decote das costas... tão giro.


 Outra que também adorei foi a Victoria Guerra só fazia uma pequena alteração tapava aquela abertura à frente de resto perfeito, adoro estas coisas das costas à mostra... está miúda é mesmo gira oh se é.


Portanto estão a ver que o meu conceito de moda roda a simplicidade, cores simples sem grande aberrações e na maior da loucura renda mas preta. 



22 de maio de 2014

Livro a ler # 55...


"Alex, uma nova-iorquina, vive uma vida perfeita: acabou o curso e tem um emprego garantido. Está prestes a cumprir os sonhos que desenharam para ela. Mas um desgosto de amor leva-a a viajar pelo mundo. Precisa de se conhecer melhor e ultrapassar os seus medos. Da Tailândia ao Brasil, da Austrália a Marrocos, faz Couchsurfing dormindo em colchões, beliches, camas limpas, camas sujas, parques públicos - até em minha casa, em Lisboa. Nudismo, algum sexo, ilhas paradisíacas, jantares românticos, protestos de rua, festivais no deserto, um encontro com Nelson Mandela, mulheres que disparam bolas de ping pong das suas zonas íntimas - tudo isto faz parte desta história real passada nos sete continentes, ao longo de um ano, que representa tudo aquilo que gostaríamos de fazer.
Há pessoas que cometem erros por se acomodarem e outras que cometem erros por tentarem. A Alex preferiu errar tentando. E vocês?"

É mais um livro do Francisco Salgueiro e para quem ainda não sabe eu gosto imenso do Francisco pois tem uma escrita simples que se compreende bem e não anda as voltas para dar a entender o que quer... adoro isso... além de que é simpático e comunicativo com os seus leitores em português simples não é cheio de "caca" como muita gente que anda para aí.
Neste livro vamos conhecer a história de Alex, uma jovem que parte em busca da aventura... como sempre depois dou a minha opinião.... ah vou fazer uma pausa no Guerra e Paz II para ler este livro. 

19 de maio de 2014

Como é que é???


Este ano o pessoal não dá a opinião sobre os vestidinhos dos globos de ouro???
Esta mal... todos os anos mal chego à net na segunda é só posts sobre as indumentárias, este ano que eu até tenho curiosidade em ver umas opiniões está tudo muito caladinho. Geralmente eu não comento essas coisas uma vez que não entendo nada de modas, para mim tudo muito simples sem grande artilharia está fantástico, mas só tenho a minha opinião bem formada depois de ver a caras onde vem lá todos os pormenores. 

18 de maio de 2014

Frase do dia # 86...



E não é que não é mesmo verdade... as vezes dá vontade de fazer.

E se assim fosse ainda iam com sorte é que eles colocaram cá na rua um asfalto novo, isto está lindo, lindo, lindo, parece uma auto estrada... logo não iriam ficar muito mal, digo eu assim de repente.

16 de maio de 2014

A sério mãe???

Hoje fui fazer umas análises daquelas tretas do colestrol e xpto porque o resto faço na clínica.
Chego entro com a enfermeira e a menina da secretaria pergunta à minha mãe "oh d. A a data de nascimento da Mary qual é?" ao que a santa da minha mãe responde "29/05" e eu lá de dentro bem gritei 04 mas ela não ouviu... passado uns minutos a minha mãe diz "e o ano é 1985" e eu para a enfermeira "possa demorou mas chegou lá" lógico que a enfermeira se riu comigo, quando abro a porta para sair digo "possa tu não sabes mesmo a minha data de nascimento?" ao que a minha mãe responde "ah sei sim estava a confundir com o teu irmão como ele faz anos agora em maio" e eu "ahhhh"... tenho cá para mim que se não tivesse as fotografia da minha pessoa acabadinha de nascer, quase que acreditava que tinha sido adotada.

Música do dia...

Não me perguntem o porque de achar um piadão a esta música... coisas que não se compreendem... definitivamente. 


15 de maio de 2014

A minha mãe costuma dizer...

"Não te rias das desgraças dos outros" ou então "não peças mal ao teu vizinho que ele vem logo pelo caminho".
Mas aconteceu mesmo o seguinte: pedi a primeira e depois usei a segunda loollol... mas a minha mãe ainda tem a terceira que é "Deus te assinalou algum defeito te achou" assim sendo isso verdade só me resta colocar isto ah ah ah ah ah... agora cada um que interprete ou enfie a carapuça como bem quiser estejam à vontade, quer dizer à vontade não é mais à vontadinha.

13 de maio de 2014

Hoje estou com a "telha"...

É que não existe outra palavra para substituir, quer dizer, existir existe mas é feia... à frente.
Antes de começar o tratamento fiquei a saber de uma novidade... acho que pode chamar assim... de uma colega lá da diálise, eu comento no shiuuu de vez em quando e por pontaria fantástica comentei o segredo da rapariga, nunca imaginando sequer que fosse ela... ah mundo pequenino... e ela ontem veio ter comigo simpaticamente perguntar se eu era a Mary do shiuuu... primeiro pensei que não tinha ouvido bem, segundo disse "tem dias" e terceiro respondi "sou, sou" tudo isto como se estivesse a levar com um balde de água gelada mesmo no centrinho da minha focinheira, depois enquanto fazia o tratamento la acedi ao shiuu e vi o segredo novamente e os comentários todos... ainda estou digamos que confusa, não pelo segredo nem pela pessoa a quem pertence, nada disso compreendo-a tão bem que acho que ela não deve ter percebido o quanto a compreendo mas essa parte do compreender e o porque fica para outro post, mas à frente, fiquei confusa porque sei que vem direitinha aqui... ao blog... não é preciso pensar muito para cá chegar, mas pronto hoje pensando bem não existe mal nenhum nisso, depois o tratamento na fase final não correu lá muito bem, deu-me câimbras... odeio profundamente essas gajas a única coisa que elas me sabem fazer é deixar num estado reles a sofrer... hoje acordei de madrugada pois esqueci-me de fechar a janela do meu quarto, portanto logo de madrugada começou a entrar claridade, a minha vontade era pregar um par de estalos a mim mesma por me ter esquecido de fechar a janela, mas já que estava acordada e tinha promessa fui à missinha. Assim sendo neste momento estou assim virada para o k.o em modo off bem prolongado... só espero que isto passe e de preferencia rápido. 

12 de maio de 2014

"Ó boa, fazia-te um filho lindo"...

Pois bem, para quem não sabe eu sou daquelas pessoas que acha um piadão ler os artigos que vem assinados por este ou aquele, as vezes pessoas conhecidas outra vezes nem por isso. Acontece que a semana passada o excelentíssimo senhor Paulo Farinha provocou em mim uns belos momentos de gargalhadas... como é hábito... não fosse logo pelo título da coisa, algo como... "Ó boa, fazia-te um filho lindo"...  ainda me ri bastante com o conteúdo da história em si, como tal decidi partilhar com vocês. Deixo também o site onde podem encontrar mais pérolas jeitosas, façam o favor é só clicarem aqui.

"Há cerca de um mês na Av. Duque de Loulé, em Lisboa, pela hora de almoço, uma carrinha de caixa aberta parou num semáforo. Na cabina do condutor, três homens. Um deles, braço de fora da janela, cigarro entre os dedos, ao ver quatro raparigas a passar no passeio, não se conteve e virou a cabeça. «Agora fazia-te um filho ou dois.» Pouco importava a qual delas se dirigia o fino galenteio. Era para quem apanhasse. A coisa podia ter ficado por ali. Mas não ficou. Uma das raparigas, não devia ter mais de 20 anos, abrandou o passo. E alto, muito alto, para garantir que toda a gente na rua ouvia, soltou: «Era preciso era teres pila para isso.»
Perdoem o quase vernáculo, mas não há outra forma de o descrever. Tal como não houve forma de conter sorrisos e gargalhadas. Meus, de quem passava e dos companheiros do cavalheiro. Ele também se riu. Mas o tom amarelado não deixava dúvidas sobre o melão encaixado.
Não sei se ela teria tido a presença de espírito para dar aquela resposta se estivesse sozinha. Ou se a cena tivesse ocorrido à noite, numa rua mal iluminada. Ou como seria se ele fervesse em pouca água e tivesse pouca capacidade de encaixe. Ou se ao sentir-se humilhado entre os companheiros – e com as gargalhadas deles a aquecerem ainda mais a raiva do rapaz – resolvesse pedir contas à moça que, afinal, teve apenas jogo de cintura.
Não pensei muito nisto até esta semana ao ler no insuspeito Times um artigo com chamada de primeira página: «Feministas VS Chauvinistas machistas». A propósito de um documentário sobre a exploração da imagem feminina e o aparente crescimento de fenómenos de misoginia entre os homens no reino de Sua Majestade, o jornal britânico lançava a discussão: afinal os homens estão mais sexistas? O programa em questão – cujo nome não foi revelado – será emitido brevemente na BBC e talvez não passe despercebido num país onde os homens gostam de se embebedar em pubs e cantarolar alegres cantigas sobre belas donzelas – e o que gostariam de lhes fazer.
Isto não nos diz muito sobre os machos britânicos, mas serve de pretexto para pensar nos lusitanos. Por cá, não se sabe de nenhum documentário sobre comportamentos machistas a estrear, nem tão-pouco está agendado para breve nenhuma iniciativa como a que em agosto do ano passado fez furor nas redes sociais: a realização de um debate sobre o piropo, promovido por duas militantes do Bloco de Esquerda, a propósito do Fórum Socialismo 2013. Elsa Almeida e Adriana Lopera queriam pôr a sociedade a «discutir o assédio verbal». De certa forma conseguiram. Não da melhor maneira, tal a chacota de que foram alvo, nem com os melhores objetivos atingidos, tal a quantidade de mulheres que acharam a ideia apenas ridícula.
Eu sou suspeito, porque também me ri daquilo. E também achei a coisa patética. Mas, apesar de considerar que o fenómeno do piropo deve ser devidamente enquadrado e relativizado, dou por mim a pensar que parte da minha opinião sobre o tema se deve a duas questões. Uma biológica: sou homem. Outra de educação: fui criado por uma mãe e duas irmãs mais velhas (com o devido respeito pelo meu pai e pela influência que ainda hoje tem em mim). Por isso, a partir de agora, cada vez que penso no assunto, penso na única coisa ao meu alcance: como não posso alterar a educação dos tipos que soltam piropos destes, posso educar as minhas duas filhas a terem resposta pronta. E a saber usá-la em contexto próprio. É que as palavras, como se sabe, podem deixar uma pessoa sem roupa."

8 de maio de 2014

6 de maio de 2014

Muito prazer Lotepegui...

... mas não sei porque papita-me que não vamos ser muito felizes mas pronto sigamos em frente a ver no que vai dar... na realidade nunca tinha ouvido nem visto o homem, logo não faço a minima ideia do seu percurso. 

5 de maio de 2014

4 de maio de 2014

Sobre os últimos dias...

* Obrigada a todos pelos parabéns e pelas mensagens que deixaram, desculpem não ter passado por aqui antes mas não tive mesmo oportunidade.

* Recebi muitas prendinhas ;) e foi um bom dia.

* Tenho que ir fazer a ronda aos vossos blogs não tive grande tempo para o fazer com gosto, ou seja, com calma.

* Ah... outra coisa... como já perceberam eu gosto de ler, logo leio bastantes livros, principalmente e enquanto não me sinto mal nos tratamentos, depois passo cá e deixo a minha opinião e como é lógico existem livros que me agradam e outros que não têm grande significado, li mas pronto não gostei, por este ou aquele motivo...  o facto de a pessoa A ter gostado e a X ter detestado não me influência eu gosto de ler para ter a minha opinião e para ficar a conhecer... sim eu sou assim... agora quando eu não gosto de um livro não me venham dizer que eu tenho que ler outra vez o livro porque não o interpretei como devia de ser e que o livro é muito bom e eu é pronto... sou esquisita... digo eu... porque Deus que é Deus não agradou a todos imaginem eu... acho que tenho o direito de gostar ou não independente da opinião dos outros... digo eu assim de repente.

* De resto esta tudo bem, tudo controlado ;) 

"A ilha dos amores infinitos" de Daína Chaviano...


"Comparada a Laura Esquivel, Isabel Allende e Gabriel Garcia Marquez, Daína Chaviano tem-se destacado não só na América Latina como na Europa e Ásia. A Ilha dos Amores Infinitos é uma trepidante saga histórica sobre três famílias pautada por elementos mágicos. Cecília, uma jornalista cubana refugiada em Miami tem em mãos um trabalho de investigação sobre uma casa assombrada. Certo dia entra num bar e conhece uma anciã, encantadora contadora de histórias que a leva a recuar no tempo até ao século XIX. O objecto das suas conversas concentra-se em três lugares do mundo: um suicídio na China, uma estranha maldição que persegue determinadas mulheres de uma povoação em Espanha e uma jovem arrancada da sua casa na costa africana e levada para um mundo desconhecido. Decisões inesperadas e descobertas incrédulas são reveladas ao longo do livro, um romance inspirador de esperança e sonhos desfeitos. O passado é continuamente entrelaçado com o presente até ao momento em que finalmente se encontram quando as personagens conhecem o seu destino. O género que escolheu diferencia-a de outros escritores ao explorar zonas escondidas da mente humana como a consciência, elevando Chaviano à categoria dos autores mais conceituados no seu país."

Vejamos, gostei imenso das três histórias relatadas no livro.
As dúvidas e fantasmas do passado de Cecília, o amor chato e insuportável que viveu e a sua recompensa final de um grande amor o Miguel... é de falar da  chata da caturra Fidelina, da tia Lolo e do falecido Demetrio... da luta da vida de Amalia e do amor desta e Pag Li e dos seu pais... ah e do duende que volta e meia aparecia... enfim entre outras personagens... são história muito bonitas apesar de existir algum sofrimento lá para o meio... sinceramente adorei o livro. 

Livro a ler # 54...


"Guerra e Paz narra a invasão da Rússia por Napoleão e os efeitos que esse acontecimento teve na vida da aristocracia, dos militares e de toda a população.

Neste romance surgiram algumas das mais perduráveis personagens da literatura de sempre, o príncipe Andrei, Pierre Bezúkhov e a fascinante Natacha Rostova, que se tornaria indispensável para qualquer um deles."



Pois está certo que gostei do primeiro volume e gostei imenso da história além disso fiquei muitooooo curiosa por isso faço muita questão de ler este segundo volume.
Vamos lá ver como vai correr, como sempre depois dou a minha opinião.