29 de outubro de 2010

Se estivesses quieta


estavas bem melhor...
Tive a triste ideia de hoje começar a fazer as trocas de roupa de Verão pela de Inverno.
Conclusão: nunca mais acabo com isto, já não me seguro de pé... coisa normal em mim nos ultimos meses; ainda tenho a cama cheinha de roupa para arrumar...
Eu devia era de ir aqueles moços que andam na praxe com umas orelhas de burro feitas de cartolina, pedir emprestadas e colocar-me bem em frente ao espelho a ver se ganho "tino" nesta tola, porque já está mais do que na hora disso.
Podia ter esperado para amanhã e assim teria a ajuda da minha mãe, ela bem me disse... mas não esta mania de que faço tudo, de que estou bem e coisa e tal acaba sempre igualzinha... sempre... sempre... que é eu acabar que não me posso mexer com dores.
Enfim, tem dias que nem me consigo compreender... e penso para mim,"vai ser burra ao carago rapariga!"

Finalmente o regresso

Posso mesmo escrever/dizer que finalmente regressei a casa, foi na quarta-feira ao fim do dia, mas foi tão bom, tão bom que me sinto repleta de felicidade.
Meu Deus, como estava na estufinha não tinha a noção do frio que já se faz sentir, até faz doer a alma, lol... mas nada que não se combata com um pijaminha polar bem quentinho... muito booommm.
Ontem quinta-feira foi o meu primeiro dia de hemodiálise fora do hospital, fui para a clinica de Canelas a Caledial, aquilo é fantástico, tem umas instalações muitissimo boas, atrevo-me a dizer que perfeitas mesmo, o pessoal que lá trabalha uma simpatia enorme, sempre disponiveis e o director é uma pessoa cinco estrelas o Dr. S. não fazia ideia quem era, mas quando o vi o meu coração encheu-se se alegria, conheço este Dr. desde os meus 11 anitos e é tão bom saber que ele "vai tomar conta de mim, novamente".
Depois o pessoal que anda no meu turno são todos uma simpatia, tudo gente já com uns anitos a miuda do turno sou mesmo eu lol... apesar de termos que lá estar as 4 horas e sair de lá de rastos, falo por mim que mal me seguro de pé, aquilo é engraçado pelo facto de estarem sempre a pegar uns com os outros.
Outra coisa optima é que nessa clinica trabalham alguns enfermeiros que já conheço do hospital logo sinto-me muito mais à vontade.
E pronto, esta irá ser a minha rotina as terças, quintas e sabados, sempre no turno da noite lá vai ela, costumo dizer que vou ao cinema lol.
Assim foram os meus dois ultimos dias, espero que esteja tudo bem convosco, eu vou ali para o sofa ressacar mais um bocadito do tratamento de ontem porque a vida para estes lados não dá para mais.
Beijinho enorme para todos.

26 de outubro de 2010

Distracção


No meio desta aberração que é estar aqui dentro à 1mês existe uma coisa optima, os enfermeiros deste serviços foram escolhidos a dedos... como diria a outra, perfeitinhos perfeitinhos :)
Fazem qualquer santa ficar com boa disposição novamente, eu cá tenho as minhas preferências... claro... o enfermeiro M. que já conheço à muitos anos e neste caso podemos aplicar a máxima de que ele é como o vinho do Porto, quanto mais velho melhor, depois tem o outro M. que me encanta profundamente só com o olhar, gosto da ideia de dia para dia conversamos mais é um encanto este rapaz... levava-te para casa que era um mimo loool.
Foi o momento da parvoice de hoje gente boa, mas como eu já estou a ficar com os neurónios atrofiados de estar cá dentro resta-me consolar a visão e a alma que se sentem aos pulos com estas maravilhas.
Beijão a todos...

25 de outubro de 2010

Estou parva, parvinha


Então não é que o Big Boss, a mulher e a minha colega de trabalho vieram visitar-me... ainda estou de queixo caido.
Foi surpresa... não estava mesmo à espera.
Mais uma vez deu para reparar que no meio daquele blá blá que o Boss tem, tem um coração muito sensivel, eu vi os olhos dele vidrados de lagrimas a olhar para mim e as suas brincadeiras a pegarem comigo por estar aqui à tanto tempo.
Agradeço a Deus ele não terem vindo antes quando estive bem pior, não iria gostar que me vissem naquele estado, naquele sofrimento, foi melhor assim, apesar de continuar na luta, estou com muito melhor aspecto alias quem não me conhece iria dizer que não tenho nada, tenho é que disfarçar bem o cateter que tenho no pescoço lol coisa facil cachecol e tal.
E pronto mais um post meu em directo do Centro Hospitalar do Porto mais conhecido como Hospital Santo Antônio.
Gente boa, obrigado por aturarem os meus desabafos, geralmente não converso com ninguem sobre tudo o que esta a acontecer e o blogue tem sido como um meio de desabafo, uma fuga intima para me sentir melhor.
Um super beijinho a todos e uma excelente noite.

Lá se foi a paz


Então já à dois dias que eu estava na enfermaria sozinha, uma maravilha, sem ninguem quer de um lado quer do outro, podia ver o canal que queria sem ter que estar com aquela dúvida e esperar para ver tudo o que os outros querem... eu sou assim nesse aspecto não me manifesto, para mim está sempre tudo bem.
Eis que me chega agora aqui uma rapariga, a L. segundo a enfermeira, ela tem 19 anos, mas também parece que tem o nariz um bocadinho para o ar nem bom dia nem o raio... txiiii é que eu detesto pessoas assim, detesto mesmo, tenho dito.
Enfim, vou ali ler mais um bocadinho do livro "Comer, Orar e Amar" da Elizabeth Gilbert, estou a amar o livro, já pedi o filme mas esta a tardar a chegar e não estou a achar piada nenhuma à demora... mas pronto.
A todos um bom inicio de semana e um bom trabalho.
Beijinhos...

24 de outubro de 2010

1 mês


No hospital...
Esta a ser demais, estou a entrar na fase da tristeza, depressividade, aborrecimento e sei lá mais o que.
Sinto a minha vida de dia para dia a andar para trás, melhora numa coisinha piora em duas e já são poucas as pessoas e os momentos que me conseguem fazer sorrir.
O cansaço começa a ser mais que muito e já não conheço mais nenhuma estratégia para que o meu pensamento e a minha coragem sigam em frente.

22 de outubro de 2010

Estas noticias de ultima hora

Até fazem doer a alma.
Looololol que tristeza tão grande Deus nos livre e nos salve...é daquelas notícias muitissimo importantes que o país esta mesmo interessado em saber, é que ainda por cima ninguem merece tal coisa... ai credo que desgraça tão grande... atenção, olhem lá que a notícia ainda esta em actualização.

Sinto saudades

De quando tinha a minha rotina, ia para o meu trabalhinho, andava de carro, jantava com os meus pais, havia sempre aquela "guerrinha" por causa da tv da sala mas acabávamos sempre na risota.
Mas desde o dia 29/09/2010 que estou enfiada neste hospital, apesar de no sabádo ao meio da tarde me deixarem ir a casa, não deu para matar o minimo de saudades sequer.
Sei que segundo as informções médicas de dia para dia as coisas vão entrar num ciclo menos agradavel e mais doloroso.
Tenho aguentado bem as 4 horas de hemodiálise que tenho feito, coloco sempre um sorriso no rosto, tento estar sempre bem disposta, mas a verdade é que cada dia que passa sinto-me mais em baixo e mais derrotada, com vontade de chorar e pedir para disistir de tudo, mas ao mesmo tempo não tenho coragem de o fazer principalmente pelo sofrimento que vejo que os meus pais estão a passar.
Enfim os dias não tem sido lá muito fáceis, estão a tornar-se cansativos e repetitivos demais para mim.

18 de outubro de 2010

Que descanse em paz


Conheci a Srª Dª M. aqui no hospital, uma das minhas colegas de quarto, uma senhora com 80 anos, daquelas senhoras com um olhar cheio de ternura, muito bonita, toda a sua vida foi costureira.
O Senhor D. marido desta tem 83 anos também com um ar querido daqueles que faz qualquer pessoas sorrir, o D. trabalhou nos CTT, orgulha-se de dizer que ama a M e que durante os muitos anos em que trabalhou nunca teve que mostrar a sua carta de condução a um agente de polícia, nem nunca foi mandado parar.
São um casal encantador, ele pedia sempre cada vez que cá vinha para que tomasse conta da M. dele, referia sempre que não tinham filhos, mas as sobrinhas vinham cá muitas vezes, bem como outros familiares... a M. era muito acarinhada e eu sentia-me feliz ao ver aquilo.
Hoje, a M. faleceu, estava a dormir a sesta quando acontecu, mas quando vi que corriam as cortinas e ouvi desligarem o oxigenio pensei logo no que pudesse ter acontecido, fiquei logo que nem uma criança a chorar, só pensava em como seria a reacção do D. depois de tantos anos ver o seu amor como ele dizia partir não deveria ser facil.
O D. chegou derigia-se ao quarto quando foi barrado por um médico que lhe disse que precisava de falar com ele, pouco depois ouvi o D. dizer "deixe-me vê-la antes de a levarem" foi ai que o vi em lágrimas e não me consegui conter... "a minha M deixou-me" dizia ele.
Cada vez que penso na M. e no D. quando a viu choro que nem uma desgraçada
Agora resta-me desejar que a M. descanse em paz e que tenha encontrado todo o conforto, relativamente so D. gostava de o voltar a ver mas sei que vai ser impossivel não tenho qualquer contacto dele.
É a vida... assim é a vida mas que é triste, muito triste lá isso é.
Escrevo este texto ao som do tema "She" do Elvis Costello, não sei porque mas faz-me lembrar a M. ficará para sempre como a sua música... descansa em paz Srª Dª M.

Fim de semana, surpresa


Sabia que no sabádo à noite tinha sessão de hemodialise, logo nunca me passou qualquer outro tipo de planos... Mas eis que a Drª L.S me disse "irei antecipar a tua sessão de hemodialise para o primeiro turno, logo de manhazinha e vou deixar-te ir a casa neste fim de semana, com a condição de que se sentires o minimo problema venhas logo para cá e na segunda-feira quero-te cá logo de manhazinha" ... fiquei admirada com ar de criança que recebe um monte de lambarices, aquelas palavras deixaram-me mesmo muito feliz.
Quando sai já eras quase 16 horas, senti uma enorme felicidade ao sentir aquele solzinho quentinho na cara, ao ver aquelas confusão de carros e pessoas... senti-me feliz e cada vez que olhava para o meu irmão que me veio buscar a minha felicidade aumentava a cada segundo.
Outra coisa que me deixou muito feliz foi fazer uma viagem no meu carrinho, quando o vi o meu coração pulou de alegria e de felicidade, já temos uma grande cumplicidade como eu costumo dizer esse sim é um amor verdadeiro e sem limites, sei que por enquanto não posso conduzir por ordens médicas mas só de ir ali ao lado foi o suficiente para ficar contente.
E pronto o regresso a casa é sempre do melhor, principalmente porque tenho os meus queridos pais à espera, e tudo o que tenho passado tem feito com que o meu amor e admiração por eles seja muitissimo grande, cada vez entendo melhor que eles são o meu verdadeiro suporte, a minha verdadeira felicidade.
Agora enquanto vos escrevi este post já estou no hospital na minha caminha nº 8, loool, ficou reservadinha para mim... e pronto... agora vamos ver o que vai vir por ai, estou pronta para tudo, como sempre, seja bom ou mau, aqui estou eu para dar luta.
Desejo a todos um bom inicio de semana e que tudo corra da melhor forma.
Beijinho enorme para todos...

15 de outubro de 2010

Chamar-te cabra ainda era pouco


Como em todas as profissões existem aquelas pessoas que realmente fazem o que gostam mas outras que as pariu parecem que andam a fazer um frete daqueles de todos o tamanho.
Onde estou isso acontece à enfermeiros/as, funcionárias e médicos que vê-se mesmo que nasceram para isto mas no meio desta gente boa nessas mesmas areas anda cá cada cabra que até faz doer a alma de tão insossas que são.
Não aguento, não é por mim porque para mim é basicamente igual ao litro, mas a forma como tratam as pessoas velhinhas, como se fossem o maior monte de m... do mundo... detesto isso fico nas horas do carago, dá-me logo vontade de explodir, mas infelizmente não me podem dar os 5 minutos... onde estou...infelizmente.

Não era 1 eram 10


Futuros médicos, à minha volta, 9 raparigas e 1 rapaz, cheios de catrapassos a escrever como se não houvesse amanha.
Parecia uma jet a dar uma entrevista, era só "Porque isto?", "Porque aquilo?" a santinha da minha paciência já estava a ficar um bocadinho cansada mas pronto tem que ser alguém e calhou a mim contar todo o meu histórico de saúde.
Até foi engraçado porque eu sou um postal de primeira e de vez em quando lá soltava a gargalhada para eles se descontrairem um bocadinho.
A parte que não achei muita piada foi a do aperta aqui ali e acolá, ver tensões, pernas, pés enfim lá andaram na pesquisa como eu costumo dizer.
Espero que a Doutora L.S. não se lembre de trazer mais nenhum grupo de alunos hoje, ja chegou ontem.
Em suma, desejo do fundo do meu coração que saiam excelentes profissionais e que nunca se esqueçam de ser humanos com as pessoas porque às vezes encontra-se cada um que é de fugir... tenho dito!

14 de outubro de 2010

Salvai-me


Quando se esta enfiado numa cama de hospital já à muitos dias e começas a conhecer os olhares fogosos entre enfermeiras, as bocas que usam umas com as outras e os comentários nas costas... garanto vos que isto é melhor do que uma ida ao cinema ou quizas ao circo... é do melhor mesmo.
Não havia necessidade... penso eu... ai não mesmo mas enfim.
Pelos menos dá para passar o tempo e arrancar umas minis gargalhadas de vez em quando com as trombas que ficam uns com os outros.
Mundinho triste...

13 de outubro de 2010

Tão lamechas que eu sou


Posso estar a sofrer do pior que só me sai uma lágrima quando já não aguento mais mesmo e para isso é preciso muitissimo.
Mas os 33 mineiros Chilenos deixam-me em lágrimas, hoje ao ver o Jornal de Notícias na net, ao ver aquelas imagens as desgraças as lágrimas involuntariamente invadiram-me deixando-me desfeita em lágrimas e deixando o enfermeiro L. a olhar para mim com ar de quem não sabe o que se passa, quando se aproximou de mim sorriu e disse "ah ja estão a sair os 33", vimos as imagens os dois todas novamente e ele ficou com os olhinhos cheinhos de agua que eu bem reparei.
De resto pessoal, continuo no hospital, nas minhas sessões de hemodiálise que vai ser a minha vidinha, mas graças a Deus mantenho a boa disposição e o bom humor dentro do possível... lá está.
Então para todos um beijão enorme.

10 de outubro de 2010

De volta, mas com más noticias

Pois é afinal o fim de semana de reflexão foi o inicio de um enorme pesadelo.
Á 15 dias atrás tal como tinha dito fui a um fim de semana para reflectir um bocadinho sobre o que devia ou não fazer á minha vida... fui a Fátima, é um local que adoro ir pois apesar de me sentir sempre com imensa vontade de chorar sempre que lá entro sinto-me muita paz.
Fomos no sabádo, sentia-me muito cansada tal como já andava á muitos dias, mesmo assim no sabádo à tarde optei por ficar a descansar no hotel uma vez que me sentia muito em baixo.
No domingo foi a surpresa acordei com a visão completamente turva, não via quase nada á minha frente além da sensação de que a qualquer momento iria cair para o lado de tão fraca que me senti.
Durante a missa de domingo não aguentava as dores de cabeça e a visão turva tiveram mesmo que me levar para o centro de saúde de urgência que exise lá no santuário... diagnostico, tensões super altas e extrema alteração da visão, foi-me aconselhado que mal voltasse ao Porto deveria de me dirigir as urgências.
Mas como sempre teimosa como sou senti que já estava melhor.
Na segunda feira acordei ainda com a visão pior e andei o dia todo sem ver um palmo á frente e a sangrar pelo nariz, mas mesmo assim continuei a trabalhar e ignorei tudo.
Na terça, ma indisposição tipo sensação de que tinha comido "meio mundo" ao fim do trabalho quando regressei a casa era só vomitar e mal estar toda a noite esta ramboia.
Como não me segurava de pé na quarta pedi à minha mãe que me trouxesse à urgência uma vez que não me aguentava com tantas doress principalmente na barriga.
Dia horrivel... exames, exames e mais exames, primeiro que o diagnostico fosse feito foi uma eternidade, até que na sexta decidiram que tinha mesmo que ser operada de urgência aos intestinos pois tinha aperecido qualquer coisa que não conseguiam ver, so abrindo mesmo, paea juntar à festa o meu rim transplantado resolveu parar... Meu Deus, de um momento para o outro vejo a minha vida toda a andar para traz e cada vez mais depressa.
Seguiu-se a operação, montes de fios medicação e cuidados intensivos 8 dias.
Finalmente à dois dias passaram a minha pessoa para a enfermaria, aqui já tenho acesso ao telemóvel e o meu querido paizinho teve a ideia de pedir autorização para eu ter aqui o computador... o que esta a ser bom pois distrai-me.
E pronto pessoal por enquanto continuo na recupereção, a fazer hemodialise a ver se o rim acorda um bocadinho e instalada no hospital.
Agora sim vou ter tempo de me actualizar quer no meu blogue quer a ler e a comentar o vosso.
Desculpem o desabafo, mas precisava de o fazer.
Um beijinho enorme para todos e até uma proxima que seja breve se Deus quiser.