27 de fevereiro de 2015

"O meu nome é Alice"...

"Alice Howland, uma mulher de 50 anos, com um casamento feliz e três filhos já adultos, é uma reconhecida professora universitária de linguistica que começa a esquecer palavras... Quando lhe são diagnosticados sinais prematuros de Alzheimer, Alice e a sua família vêm os seus laços arduamente testados. A luta de Alice para manter a ligação à pessoa que sempre foi é assustadora, comovente e inspiradora."


Assustadoramente real e comovedor.
A minha avó paterna tinha Alzheimer... embora naquele tempo eu fosse pequenina tenho vários episódios de momentos menos bons que aconteceram gravados na memória.
O que senti ao ver este filme é algo que quase não consigo colocar em palavras.
Deve ser triste uma pessoa ver a vida a desaparecer aos poucos.
Ficou mais do que provado que o prêmio de melhor atriz entrega a Julianne Moore foi mais do que merecido, é uma mulher linda, bonita e elegante e a sua prestação foi fantástica. 

26 de fevereiro de 2015

Sobre a Júlia Pinheiro...


Das duas três ou tem muito photoshop ou então anda para aí alguma alma parecidinha com ela.
A sessão da revista está linda, secional, mas para quem a vê todos os dias no seu programa existem pormenores que não se enquadram.
Sou admiradora do trabalho dela e dela como pessoa, mas a pessoa que vemos na revista transporta uma jovialidade que ela não demonstra minimamente no dia a dia.
Ainda não li a reportagem, mas depois de ver as imagens que traz só me resta perguntar: onde anda esta Júlia Pinheiro com este tão bom aspecto todo hmmm???

25 de fevereiro de 2015

Estão malucas estas mulheres...

Se calhar o "estão tolas" tinha sido a escolha mais correta para o título deste post. 
Conheço umas senhoras bem mais velhas do que eu que foram ver as cinquenta sombras de Grey e ficaram malucas, ninguém as aguenta, afirmam até que vão ver outra vez ao cinema.
Perante tanta convicção e tanta histeria perguntei qual o motivo para ficarem assim não malucas da cabeça e deram-me como resposta "tudo, o ator as cenas, o filme" e eu só disse "hmmm"... que fique bem explicito que eu não sou nenhuma tarada, que não levo nem dou porrada a ninguém, mas o filme não me deixou assim tão maluquinha como esta gente que conheço, chego à conclusão que a culpa é da menopausa... elas estão nessa fase, só pode ser não encontro outra explicação possível para tanta histeria e javardice, parecem aquelas miúdas na fase da adolescência, Deus me livre, ninguém pode com tanto... eu que as ature... deve ser castigo só pode.

24 de fevereiro de 2015

É que nem a avisar...

No tratamento como não jantamos dão um lanche.
1 ou 2 pães com fiambre ou manteiga e café, galão ou chá.
Como gosto muito de chá optei pelo chá, sem açúcar, sendo que quando uma pessoa esta internada no hospital e o único chá que nos dão é chá de cidreira, enjoei bastante e só o cheiro já é capaz de deixar o meu estomago as voltas.
Na clinica as auxiliares sabem disso e a maior parte trazem um chá qualquer menos o de cidreira.
Uma das auxiliares uma vez veio à minha beira e disse "a outra auxiliar falou qualquer coisa de ti e do chá e já não me lembro" e eu disse "qualquer chá menos o de cidreira e sem açúcar, pode ser por favor" e levo como resposta "sim, claro que sim menina, vou já tratar disso"
Chegou a hora do lanche e o que foi que a santa me trouxe???
Adivinhem lá...
Um pequenino esforço...
Pronto eu digo...
Chá de cidreira e não tinha açúcar tinha muitíssimo açúcar, optei por não dizer.
Depois ela perguntou "tava bom o chazinho" e eu disse "sim , sim, tirando ser de cidreira e com muito açúcar" "aii não pode ser eu enganei-me" e eu lá disse "deixe para lá"... foi da maneira que mal bebi chá.
Sai-me cada postal as vezes que eu até fico com os neurônios atrofiados... era quem te enfiasse um fardo minha santa.

23 de fevereiro de 2015

"Namoro à Espanhola"...


"Um dos maiores sucessos espanhóis de todos os tempos. Um jovem andaluz, Rafa, conhece Amaia, uma mulher do país Basco, por quem se apaixona. Quando esta abandona Sevilha e regressa ao norte, Rafa decide ir atrás dela até à sua pequena aldeia mas para se aproximar da sua amada, terá de conquistar o pai da rapariga e isso significa fazer passar-se por Basco."


Esta comédia foi bem divertida.
De vez em quando gosto de ver uma comédia para desanuviar um bocadinho.
A história em si é bastante engraçada e divertida pois na verdade eu não sabia que os sevilhanos e os bascos tinham este pequeno problema de não se darem muito bem, na minha opinião estão muito bem retratados neste filme.
Tem alguns momentos um pouco mais sentimentalistas... poucos mas tem... que faz uma pessoa pensar nas loucuras que se pode fazer por amor, coisa que eu não faria... sim, sim vocês já sabem que eu sou pouco romântica e dada a essas coisa, que fazer, fui assim toda a vida não vai ser agora que vou mudar, que fazer.

22 de fevereiro de 2015

Fui ver as cinquenta sombras de Grey...

Eis as minhas conclusões:

1- Se o filme durasse mais 5 minutos eu adormecia, dormi mal a noite antes e estava cansada e o excesso da duração do filme estava a deixar-me com um sono enorme.
2- Não é assim tão mau como muita gente fala/escreve, mas também não é nada de especial.
3- Existem muitas falhas do livro para o filme, muitas mesmo.
4- Para quem não leu os livros pode ficar um pouco a "navegar" com o filme.
5- Gostei da banda sonora do filme.
6- A Anastasia, ou seja, a Dakota Johnson, é a única que esteve mais perto fisicamente da personagem que eu criei enquanto li os livros.
7- Fiquei desiludida com a escolha de algumas personagens.
8- Que fique de lição... para mim claro... que não vou voltar a cair nas conversas exageradas dos/as puritanos/as ou dos que acham que aquilo é uma taradice sem limites, nada disso gente.
9- Vou ficar por aqui pelo comentários, acho que já deu para entender o que eu achei do filme. 

Bom domingo!!!!!!

21 de fevereiro de 2015

"O clube de elite"...


"Entre a elite privilegiada da Universidade de Oxford, "O Clube de Elite" conta a história de Miles (Max Irons) e Alistair (Sam Claflin), dois alunos do primeiro ano determinados a juntarem-se ao infame e restrito "Riot Club", onde as reputações podem ser construídas ou destruídas ao longo de uma única noite. "O Clube de Elite" realizado por Lone Scherfig , produzido por Pete Czernin e Graham Broadbent é baseado na aclamada peça de Laura Wade: "Posh" que estreou no Royal Court Theatre, em Londres, em 2010."

Este filme para mim foi pior que um chapada e um balde de água gelada em cima de mim.
Bem sei que existem exageros nas universidades, escolas e essas coisas, mas existir extremos desta maneira é que me fazem muita confusão.
Não haver respeito e educação para com todo e qualquer ser humano, uma vez que ninguém é mais do que ninguém, fez-me pensar em muita porcaria... sinceramente.
O filme choca, pois mostra uma realidade que muitas vezes não estamos à espera, mas é isso uma realidade.... infelizmente.
Vejam, é bom e vai ajudar muita gente a ter um bocadinho mais de pensar dentro daquelas cabecinhas. 

20 de fevereiro de 2015

Aiiii, aiii, aiii...

... que eu estou tão malzinha.
... que estou a ficar tão tola desta cabeça.
... que hoje é que eu estou mesmo mal.

Ouço isto todas as terças, quintas, sábados e domingos se não é a minha colega de tratamento é uma das minhas tias, até da náuseas. 
E no meio destas queixas todas volta e meia para pegar com a minha mãe começo "aiii que eu estou a ficar tola desta cabeça" e a minha mãe primeiro diz "oh" mas depois começa a rir-se que nem uma perdida.
Mais vale a gente rir do que chorar.
Conhecem a história do Pedro e do lobo?
Pois um dia vai ser mesmo verdade e já ninguém acredita em tantos lamentos... e não é mal feito não.

19 de fevereiro de 2015

"Wild card - jogo duro"...

"Nick Wild é um ex-viciado em jogo que trabalha garantindo segurança. No entanto, um ajuste de contas com um líder da máfia que abusou da sua amiga Holly, irá levá-lo a ter de enfrentar sérios problemas, com consequências imprevisíveis."

Não é precisamente um filme fantástico, mas pronto até gostei, não fosse pelo simples facto de ter o Jason Statham... que eu adoro... o mais não seja o filme valeu pelo menino porque muito mais do que isso não, pois é bastante violento, mas com muita "lógica"... se assim lhe podemos chamar... à mistura.

18 de fevereiro de 2015

Sobre o carnaval...

Não sou pessoa de festejar o carnaval, primeiro porque adoro estar em casa, segundo porque qualquer confusão por mais pequena que seja, não serve para mim.
Mas ontem a "minha" dupla de enfermeiros preferidos... o enfermeiro José Pedro e o enfermeiro João... vestiram-se a rigor e pronto quando entramos na sala de tratamento e os vimos foi uma enorme gargalhada, não estávamos nada à espera.
Resumindo fica aqui uma fotografia para lembrar o momento.


16 de fevereiro de 2015

Durmo muito bem de noite...


.... sendo ou não rancorosa.
Situação:

Primo que nunca nos ligou um caralho... que é mesmo assim que se escreve... ficou no hospital.
"Ah devíamos de ir visitar é da família" e eu questiono "e nós somos o que a ele?" e levo como resposta "família" eu olho e digo "exatamente que eu saiba quando estive no hospital... infelizmente já foram muitas vezes... nunca ninguém me foi visitar, nem telefonou, nem mandou sms, por alma de quem é que eu tenho que estar preocupada agora com quem nunca se preocupou com nós?" "ah tens razão também quando fiquei internada do meu joelho ninguém me foi ver"
Por isso pelo que as pessoas possam dizer, pensar ou querer para mim é igual tenho a minha consciência tranquila, tão tranquila que durmo que é um sonho.
Adianta muito andarem por aí a dizer que eu sou rancorosa, por acaso é algo que me atrapalha imenso, muito mesmo. 

15 de fevereiro de 2015

Ora essa...

Ontem disseram no cabeleireiro que eu era a menina da família e a menina do papa.
Eu olhei, ri e disse "hmmm a dor de cotovelo é uma coisa horrível" e assim de repente a conversa parou ainda mais rápido do que começou.
Como se alguém tivesse alguma coisa a ver com isso. 

12 de fevereiro de 2015

Existem dias...


Que são maus.
Uma pessoa sofre, sofre e sofre.

É cansaço, é chatices, é a decepção, o medo, a falta de coragem, é tudo.
Tudo satura,  tudo mete impressão.
Só queria paz e sossego.
Só queria poder ir para a cama e acordar já com todos os problemas resolvidos.
A cada dia que passa parece que já não tenho força, fé, coragem e vontade de seguir em frente. 
Nunca esta frase teve tanta lógica... "Quero chorar, pensou. Quero ser confortada, estou tão cansada de ser forte. Quero ser tonta e assustada, por uma vez. Só por um bocado, é tudo... um dia... uma hora..." a única diferença é que só quero estar sozinha.

11 de fevereiro de 2015

É isto...


9 de fevereiro de 2015

"A fúria dos reis" de George R. R. Martin...


"Quando um cometa vermelho surge nos céus de Westeros encontra os Sete Reinos em plena guerra civil. Os combates estendem-se pelas terras fluviais e os grandes exércitos dos Stark e dos Lannister preparam-se para o derradeiro embate.
No seu domínio insular, Stannis, irmão do falecido Rei Robert, luta por construir um exército que suporte a sua reivindicação ao trono e alia-se a uma misteriosa religião vinda do oriente. Mas não é o único, pois o seu irmão mais novo também se proclama rei, suportado por uma hoste que reúne quase todas as forças do sul. Para pior as coisas, nas Ilhas de Ferro, os Greyjoy planeiam a vingança contra aqueles que os humilharam dez anos atrás.
O Trono de Ferro é ocupado pelo caprichoso filho de Robert, Joffrey, mas quem de facto governa é a sua cruel e maquiavélica mãe. Com a afluência de refugiados e um fornecimento insuficiente de mantimentos, a cidade transformou-se num lugar perigoso, e a Corte aguarda com medo o momento em que os dois irmãos do falecido rei avancem contra ela. Mas quando finalmente o fazem, não é contra a cidade que investem...
O que os Sete Reinos não sabem é que nada disto se compara ao derradeiro perigo que se avizinha: no distante Leste, os dragões crescem em poder, e não faltará muito para que cheguem com fogo e morte!"


Estou mesmo a gostar desta coisa da guerras dos tronos... digamos que estou um bocadinho viciada. 
Esta coisa de todos eles quererem ser reis e passarem a vida a tentar arranjar aliados ou a matarem-se uns aos outros até torna a história cada vez mais divertida.
Uma nota especial neste volume, este Tyrion Lannister esta a sair melhor que a encomenda, é uma pessoa limitada no tamanho mas a nível de inteligência mete muita gente no saco... bem me tinham dito que me iria surpreender com o anão.
Pois bem, vamos lá para "o despertar da magia" que é o livro IV. 

8 de fevereiro de 2015

12 anos...

Pois é  faz hoje 12 anos que nasceu o meu sobrinho/afilhado.
Uma vinda prematura mas com muito amor,  carinho e mimo demais.
Ainda me lembro de quando o vi a primeira vez tão pequenino e querido que até tinha medo de pegar nele.
12 anos depois esta quase maior do que eu, tem dias que me deixa a paciência a torrar, mas mesmo assim não deixo de o adorar.
Parabéns meu querido, que a gente possa festejar esta data ao longo de muitos anos.

6 de fevereiro de 2015

Ofereço...

Dores de cabeça, espirros, nariz tapado, dores no corpo e alguma tosse.
E para que não duvidem de que até sou uma pessoa bondosa vai tudo de graça sem apresentarem um único cêntimo.
Quem é que é amiga, quem é?
Estou que nem posso...

5 de fevereiro de 2015

Estou tão viciadinha...

... nesta série "Revenge" que as vezes até me dói a alma só de querer ter uns minutos livres para ver um episódio. 






Aqui vai o resumo para quem quiser ficar a saber do que se trata.
"Emily Thorne, cujo verdadeiro nome é Amanda Clarke, volta aos Hamptons para vingar-se das pessoas que destruíram a sua família e causaram a morte do seu pai. Quando Amanda era criança, o seu pai foi acusado injustamente de terrorismo, sendo julgado e condenado, acabando por morrer na prisão. Amanda sente que teve a vida destruída por essas pessoas que conspiraram contra o seu pai, fazendo com que ela passasse a sua infância na detenção juvenil. Quando completou 18 anos, ela foi libertada e recebeu a herança do seu pai, além de uma caixa que continha detalhes sobre as pessoas que arruinaram a vida deles. Esta resolve assim mudar de nome e vingar-se de cada um deles."

4 de fevereiro de 2015

Tem dias...

... que falo demais.
Devia era estar caladinha e sossegadinha.
Mas não continuo com esta ideia estupida e imbecil de querer ser sociável e simpática.
Quem me dera que muitas vezes quando me põem entre a espada e a parede eu pudesse levar um puto de um estalo... assim em forma de aviso... antes de ceder aos caprichos e conversas de gente parva.
Não aprendo mesmo.

3 de fevereiro de 2015

Pobre lobo mau...

... que continua a levar com as culpas todas.
Quando era mais nova ouvia sempre a história do capuchinho vermelho, hoje em dia ainda existe quem a conte mas os miúdos gostam de desenhos animados bem mais violentos.
Ontem estava no el corte inglês e estava uma senhora com um carrinho de compras... no supermercado... e pequenino sentado.
O miúdo insistia em querer sair e a mãe disse-lhe "queres que chame o lobo mau? Queres?" e o miúdo parou quieto e disse "lobo mau não" e eu desfiz-me à gargalhada perante a cara de horror do miúdo quando falou no lobo mau.
Calma miúdo que o lobo mau comparado com muita gente que anda por este mundo fora  é um poço de ternura.

2 de fevereiro de 2015

E sobre o sábado...

Que nada fazia prever que sábado fosse um bom dia... aliás é aquele dia da semana em que geralmente dispenso bem, é ir as compras, enfeitar o cemitério, limpar a casa as coisas normais para pessoas que não têm empregadas como é o meu caso.
Resolvi jogar uma raspadinha... como faço muitas vezes.
Compro uma de 1€ e outra de 2€... uma vez que as de 1€ tinham acabado... pois bem saiu-me 5€ e pensei "sim senhora mas que bem" a senhora do café começou "joga agora uma de 5€, joga anda lá" e eu continuei o meu debate interno "fica com os 5€ que mais vale um pássaro na mão do que dois a voar, vais ficar sem nada, vais, vais" mas algo em mim dizia-me "joga lá que se perderes olha paciência" então lá pedi a raspadinha dos 5€.
Começo a raspar e nada as tantas só me lembro de estar a dizer "ah ah ah eu vou ganhar 50€, vou vou" e ao meu lado o meu pai dizia "isso era o que tu querias" e eu sempre a bater na mesma tecla "já ganhei 50€" e lá continuou o meu pai "deixa-te disso que não te vai sair nada" as tantas eu disse "prontinho, dona Maria José ganhei 50€" isto eu toda metida a vaidosa e diz ela muito depressa para o meu pai "e ganhou mesmo os 50€" e o meu pai "não pode ser" e eu "pode, pode, olha vê aqui" e pronto lá vim embora com os 50€ toda contente e com o meu pai atrás de mim sempre a dizer "fogo existe gente com sorte se fosse eu não me saia nada... blá blá blá" mas nada ia estragar o meu humor.
Antes de ir para o tratamento costumo ir a um café perto da clínica e ao sábado eu e o T. costumamos jogar duas raspadinhas de 1€ cada um, mas até lhe disse que não jogava mais naquele pois já tinha tido a minha parte de sorte naquele dia.
Mas o moço insistiu e pronto lá joguei e saiu-me 1€ e outro a ele, trocamos por mais duas e saiu-me novamente 2€ e a ele 4€ e ele insistiu em "vamos jogar uma de 1€ e outra de 5€" e aí já não nos saiu nada, nadinha mesmo.
Resumindo ao todo ganhei 58€ o que veio fazer um rico jeito.