30 de agosto de 2017

Só se lembram de mim quando estão na merda...

Literalmente e sem qualquer dúvidas este é o título mais correto de sempre.
O meu primo telefonou a dizer que precisava muito de falar comigo e que ia passar à minha porta se podia descer para falar com ele.
Logo à partida achei estranho, confesso e pensei logo, não deve de ser para me dar nada.
Meu dito, meu feito.
Disse que precisava de mim para ir a tribunal testemunhar a favor dele em como ele nunca se meteu em grandes confusões e coisas do gênero.
Pois eu fui apanhada de surpresa confesso, imaginei tudo menos isso, e isso deve ter-se reflectido no meu rosto.
Perguntei o que se tinha passado para chegar a ter que ir a tribunal e ele não quis falar muito no assunto.
Eu respirei fundo olhei para a cara dele e disse "esta bem" a verdade é que eu devia era ter trincado a língua toda antes de dizer que sim.
Até ao dia de hoje eu nunca... graças a Deus... tive problemas, nem com polícia, nem com tribunal, nem nada dessas coisas, não conheço esse mundo, nunca tive problemas que chegassem a esse patamar, alias a nenhum mesmo.
Agora sinto-me um bocado incomodada em ter dito que sim e muito irritada por ter caído nessa conversa só pelo ar de aflito dele.
Queria ser capaz de enfiar a cabeça contra a parede várias vezes por ter dito que sim.
Eu não gosto de problemas, muito menos os dos outros.
Se o arrependimento matasse já estava esticadinha, bem esticadinha.

29 de agosto de 2017

O ser humano esta cada vez mais ignóbil...

Sempre gostei da palavra ignóbil... por ser diferente.
Em tempos usei muitas vezes esta palavra.
Hoje venho usar novamente.
Ontem ao entrar na clínica ouvi uma espécie de gemer, pensei "pode ser algum doente novo, talvez tenha algum problema".
Quando chego à sala de espera que estava cheia de gente, sai do elevador e dou uma vista de olhos a ver se via alguém novo pois o gemido continuava, em alto e bom som, ainda estava de pé quando me apercebo que uma senhora está a gemer, com os olhos todos revirados, ou seja, estava a passar mal.
Desculpem o termo que vou usar, não houve uma puta duma alma, que pedisse auxílio para a senhora, a sala tinha mais de 10 pessoas e ninguém se deu ao trabalho de chamar uma auxiliar, um enfermeiro ou seja quem seja, ninguém chamou ninguém.
Quando me deparo com aquilo, só tive tempo de atirar os meus sacos para uma cadeira e ir a correr pedir ajuda aos enfermeiros, que levaram logo a senhora para dentro.
Como é que é possível ninguém ter feito nada?
Estavam ali todos, a senhora gemia por todos os cantos, de olhos revirados, quase a cair abaixo da cadeira e ninguém fez nada de nada.
Passei um tratamento de porcaria só a pensar naquilo.
O ser humano esta cada vez mais egoísta, mais egocêntrico, mais estúpido e mais imbecis, só querem saber deles próprios, não se dignam a prestar auxílio a quem necessita de ajuda, são incapazes de ter um gesto nobre.
Aquilo irritou-me tanto, mas tanto, que ainda hoje ando com o estômago e os neurônios as voltas.
Meus Deus, que sociedade mais deprimente, cada vez estão piores.
Onde anda o lado humano e solidário de algumas pessoas?
É triste e deprimente viver numa sociedade em que algumas pessoas só pensam nelas próprias.
É como diz o outro, "se morrer,  morreu, deixa para lá desde que não seja comigo".
É uma tristeza as pessoas serem assim... uma grande tristeza.

28 de agosto de 2017

Sobre a praia...

Este ano não tive direito a nenhum dia de praia.
0 dias...
0 segundo...
Nada de nada mesmo.
A verdade é que também não tenho grande paciência para lá estar um dia inteiro, mas em outros anos pelo menos meio dia íamos.
Também este ano não podia ir de maneira nenhuma, tenho um cateter na perna e não convém molhar nem apanhar qualquer tipo de sujidade.
Vamos acreditar que para o ano já não ande com este "pendericalho" e já possa ir um bocadinho até à praia... por enquanto nada de nada.

25 de agosto de 2017

Nunca me aconteceu semelhante coisa...

O livro que ando a ler "A matilha dos herdeiros" de Gaby Hauptmann... esta ali a imagem ao lado... ontem desorganizou-me os neurônios todos.
Estava a ler o livro normalmente quando começo a ficar confusa com a história, ora tão depressa falava numa coisa, como a seguir estava outra coisa completamente diferente.
Vai dai e parei e pensei "não me devo de estar a sentir nada bem só pode" semelhante era a confusão e infelizmente durante o tratamento uma pessoa pode começar a sentir-se mal, por exemplo, quando os meus ouvidos dão aquele "estalinho" famosos e depois começa com o "piii" eu para tudo o que estou a fazer, pois muitas vezes logo a seguir comecei a sentir-me muito mal, logo pensei que pudesse estar a ter um desses momentos.
Quando olho para o numero das páginas deparo-me com o que se estava a passar, voltei atrás e constatei que a seguir à página 17, estava a página 22 "ohh o que é isto" e continuo a ver as páginas e a seguir à 22 veio a 18, 19, 24, 25, 30, 21, 28, 29, 26, 27, 32, 33 e daí em diante já estava a bater tudo certo.
E fiquei a pensar que afinal não estava a sentir-me mal e como é que era possível, existir um livro no mercado com as páginas todas trocadas... isto é tudo menos normal, sinceramente, foi a primeira vez que tal obra de arte me aconteceu.
Depois consegui pegar o fio à meada direitinho para continuar a minha leitura.
Mas que não é normal estas coisas acontecerem, ai isso não é, não. 

24 de agosto de 2017

Mães e filhos e os vícios que estas lhes põem...

Eu não sou mãe, mas não é por isso que não deixo de ter opinião perante o que vejo.
Uma mãe que permite que a filha de 5 anos seja maquilhada com blush, batão, pestanas falsas e cheias de Glitter nos olhos não é lá muito normal, sejamos sinceros, caramba a criança tem 5 anos, esta em questão mal sabe falar.
Quando eu vi a miúda naquele estado primeiro pensei "Oh Mary ainda estas a dormir rapariga, não estas a ver bem" mas estava, aliás estava a ver bem demais.
A verdade é que não fui só eu que reparei mas sim as outras pessoas, que começaram a abanar a cabeça, poderá a mãe parecia um travesti maquilhada e como se não bastasse ela ainda deixou porem a miúda assim.
Eu sou contra isso, cada idade tem os seus usos agora maquilhagem excessiva numa criança de 5 anos, isso não.
Vem a sopa, a mãe só come sopa passada, logo a filha também o faz.
A sopa vinha bem passada mas a mãe chamou a emprega e pediu para passar mais ao que a empregada disse "a senhora... senhora aquilo, menos, muito menos... desculpe mas a sopa já esta passada" volta ela a bater na mesma tecla, "ah mas assim a miúda não pode comer a sopa de palhinha".
Comer a sopa de palhinha???
Alto lá, menos por favor, a miúda não tem nenhum problema em que tenha que ingerir alimentação de palhinha.
Depois não come nada pois não, quem lhe implanta os maus vícios é a própria mãe.
Outra coisa que não acho piada nenhuma é as mães insistirem em levar as filhas a comunhões, batizados e casamentos vestidas de branco como aqueles vestidos próprios de ir à comunhão ou de menina das aliança... é algo mesmo sem gosto.
Depois existe outras que vestem as filhas como se as próprias crianças fosses já para a esquina, aqueles calções micros mesmo e uma camisola que só tapa o peito mais nada, o resto é tudo à mostra... lá esta cada coisa na sua idade.
Outro caso que vi mas este para mim merece ser mencionado, na festa estava lá uma mãe... por acaso conheço de vista... que tem um menino e uma menina, pestinhas para comer, mas ninguém ouviu a mãe a fazer nenhum escândalo, os miúdos comeram a sopa, a comida, tudo o que ela colocou no prato, certo que comeram devagar mas comeram e ela só lhes disse assim no início "ninguém sai da mesa sem os pratos estarem vazio, escusam de berrar, espernear e chatear se não aí sim vai ser pior" mais nada eles comeram sossegadinhos.
Agora não me venham com tretas, cada criança torna-se naquilo que os pais fazem deles.

22 de agosto de 2017

"Nove mil passos" de Pedro Almeida Vieira...


"Aqui saberás, leitor, da história fabulosa de um rio de pedra ambicionado por séculos para dessedentar uma cidade. Tanto tempo se precisou que a conhecerás pela voz de Francisco d’Ollanda, o genial visionário da Renascença que o planeou, mas não o viu nascer em tempo da sua vida. E que por isso agora a conta em espírito, para que saibas com que obreiros e pantomineiros se fez um aqueduto. Aqui verás, escorrendo ao longo das páginas, uma história paradigmática do nosso Portugal, em que a argamassa usada para erguer o Aqueduto das Águas Livres se mistura com traições e paixões, trafulhices e beatices, heresias e ortodoxias.Enfim, aqui conhecerás, caro leitor, o retrato de um país - então sob domínio de um rei magnânimo e despesista - que ainda hoje dura e perdura, tal como o Aqueduto, apesar de tudo..."

Sinceramente não foi um livro que gostei.
É um pouco chato e repetitivo em algumas coisas.
No que diz respeito a romance, pouco tem.
Fala das excentricidades de D. João V bem como o envolvimento amoroso que teve com a Madre Paula... não tenho a certeza mas ia jurar que na RTP1 ou esta a passar ou já passou algo sobre este tema.
Não me entusiasmou muito, cheguei a um momento que li apenas por ler sem qualquer interesse e/ou vontade.

21 de agosto de 2017

Sobre as festas de domingo...

Vou escrever por tópicos, o que foi bom, o que foi mau e mais algumas opiniões à mistura.

*Primeiro ninguém merece um batizado logo as 9h da manha, primeiro porque fui ao tratamento no sábado à noite, dormi mal toda a noite e tive que me levantar muito cedo, é lógico que fui com uma farda em cima de mim que nem era boa.

*A comunhão foi a seguir as 9:45h e eu só pensava, sempre não podemos estar todos na igreja por que raio não me deixaram em casa a dormir mais um bocadinho, eu disse que levava o meu carro mas o meu pai começou logo com o "vais com nós"... que lindo.

*O que me valeu foi haver lá um café próximo para eu ir encharcar-me de cafeina se não nem imagino como seria o dia todo.

*Quer a menina do batizado, quer o irmão da comunhão iam muito bonitos.

*Lá esta estas comunhões são de filhos de emigrantes, maioritariamente avec... foi uma alegria.

*A festa os filhos do meu primo também estava recheada de avecs por todos os lado.

*No que diz respeito ao comes e bebes esteve bom, apenas uns apontamentos negativos no que diz respeito à pouca fruta e restantes sobremesas, acho que aí falhou um bocadinho.

*Vamos à parte mais engraçada... as roupas, é aqui que vem a parte engraçada e curiosa, as minhas tias foram mais bem vestidas que no casamento do meu primo, desta vez elas iam vestidas para um casamento o que se tornou um bocadinho exagerado para a festa que foi.

*Notou-se bem o odiosinho existente entre um dos meus tios e um dos meus primos, ficaram um numa ponta e o outro na outra... não fosse o diabo resolver brincar.

*Também não achei grande piada irmos tirar fotografias para casa de outro meu primo, bem sei que este que veio da França vive num apartamento, logo podia ter usado os jardins da casa da mãe em vez dos do irmão, o que para o meu tio que não se dá com o sobrinho tornou-se um pouco constrangedor, como podem imaginar.

*As fotografias ficaram engraçadas.

*A fotografa levou o filho mais velho para a ajudar e o rapaz só se ria quando as minhas tias diziam que a fotografa as pusesse mais magras... ah ah ah cada vez que me lembro da cara do moço começo à gargalhada.

*Ah fiquei um pouco extra loira mais, fui no sábado à cabeleireira e ela disse "o que vais fazer" e eu disse "olha sinceramente não faço ideia o que sugeres?" ela la mexeu no cabelo e disse "eu fazia mais umas madeixas um pouco mais claras por aqui e por ali" e olhei para ela e disse "se fazias, faz" pronto deixei as mãos dela, confio nela como sempre já são muitos anos que vou a ela.

*A fulana que se casou com o meu primo ia com um vestido com as mamas todas de fora só faltou mesmo ver a ponta do seio, e com uma carrada de maquilhagem que sinceramente quando a vi só me lembrei dos travestis aqueles que fazem espetáculos... jesus aquilo para limpara à noite deve ter sido lindo. À noite a moça apresenta-se com um calção daqueles hiper mega curto, que eu usaria para fazer limpezas em casa ou até dormir. Uma coisa era se ela tivesse corpo para usar, outra coisa é, como é que eu digo, um autentico saco de batatas descangalhada e usar aquilo, mas não é só ela, havia lá um casamento em outra sala que o Senhor me perdoe mas mais parecia que as fulanas trabalhavam sei lá onde, super fortes, com aqueles micro vestidos que se se mexessem um bocadinho mais rebentava logo.

*Encontrei a J. e o J. nesse casamento e assim que o j. me viu disse "uii aposto que não tens aves raras na tua festa como na que estamos"... e a J. só se ria, diz ela "oh miga cada modelo" pois e eu bem vi quando começaram a andar no fora e dentre... Deus me livre, ou não existe espelho, ou perderam o neurônio de vez, ou então já vale tudo seja bom ou mau, mas que era uma desgraça era e das grandes.


17 de agosto de 2017

Uiii que fixe...

Ultimamente tenho andado com falta de apetite.
O meu pai só sabe ralhar comigo, que assim não pode ser, blá, blá, blá... que eu devia pedir umas vitaminas na clínica... vitaminas???? Estas a brincar eu preciso é de emagrecer não preciso vitaminas para engordar.
Eu já lhe disse que adoro não ter apetite a ver se assim me ajuda a perder os 5kg que ganhei desde que comecei com as cortisonas, hidrocortisona e fludrocortisona e por aí fora.
O meu pai continua a dizer que eu devo ter um grande problema de cabeça por me sentir feliz por não ter apetite... deixa ter eu preciso mesmo é de emagrecer e se não vou tendo fome, ótimo melhor ainda.

16 de agosto de 2017

No domingo...

Tenho um batizado e uma comunhão.
São filhos do meu primo que estão em França.
Não comprei nada de nada novo para vestir.
Tenho muitos vestidos que poucas vezes usei e estão como novos e depois onde é o almoço não requer grande fanfarrice.
Ainda não decidi qual vou levar, a verdade é que estou cheia de festas, mas o dever diz que tenho que ir.
Hoje já é quarta, talvez amanha dê uma vista de olhos e experimente os vestidos a ver qual vou levar.
A minha mãe queria que levasse o verde água que levei a um casamento, mas já lhe disse que ela é maluca aquilo é um vestido bonito, comprido mas é para casamentos ou assim não é para ir ali aquele restaurante onde vamos.
Enfim aturar a mãe nem sempre é fácil, mas pronto vamos aturando que é sinal que ela cá esta.
Ela é que anda louca, foi comprar um vestido, depois já chegou a casa já não gostava, pormenores que eu como mulher me metem um bocadinho de impressão.

15 de agosto de 2017

RIP enfermeiro Diogo...

Conheci o enfermeiro Diogo aqui à uns anos quando passei a ser seguida na Nefrologia do Hospital de Gaia.
Lembro-me bem da primeira vez que o vi, simples, reservado e muito importado em saber como estava, como me sentia.
Com o tempo e a frequência de internamentos ou idas à Nefrologia começou a ficar um pouco mais sorridente e eu como sempre adorava "pegar" com ele, mas de uma forma mais ligeira.
O enfermeiro Diogo tinha a minha idade, 32 anos, ia com a esposa e o filho de 1 ano no carro, quando se deu um acidente em que acredito piamente que ele não pensou duas vezes antes de sair para ir ajudar quem estava no acidente, ele era assim, reservado, simpático e ajudava imenso os outros.
O enfermeiro Diogo foi prestar auxilio a uma vitima e acabou por ser morto por um carro que veio em excesso de velocidade e o levou pela frente... teve morte imediata, aliás foi declarado óbito no local do acidente.
No carro estava a esposa e o filho.
Não consigo sequer imaginar o quanto esta a sofrer a esposa, a família, o Tiago o irmão que também é enfermeiro e trabalhava no mesmo serviço, os colegas de profissão... toda a gente, só consigo imaginar a dor por que estão a passar.
Eu quando soube o que aconteceu ao enfermeiro Diogo a minha reação de incrédula, de tristeza e de dor, foram o quanto bastou para ficar em lágrimas e pensar "não, não é verdade" mas infelizmente é verdade.
Pobre Diogo que sempre foi um excelente profissional e uma pessoas bondosa até nos últimos momentos da sua vida.
Descana em paz "senhor enfermeiro" Diogo... até um dia destes.

14 de agosto de 2017

Sobre o dia fantástico de ontem...

Ao almoço fui almoçar com os meus pais a um restaurante aqui perto,  depois viemos embora e eu ainda vi um pouco do filme "O sexo e a cidade 2", não o consegui ver até ao fim porque entretanto a J. e o J. chegaram.
Fomos até Viana do Castelo, mas no local onde fomos estava bastante confusão por causa das obras que lá andam a fazer.
Num abrir e fechar de olhos o J. disse "já sei, vamos a Caminha" e lá fomos nós.

Andamos lá a conhecer umas ruas, havia uma festa que tivemos que parar um bocadinho pois estava a sair a procissão, num café onde decidimos ir a J. comeu um bolo tradicional dele que é feito de massa folhada e o recheio é creme de café, com um nome muito engraçado "mokas" é muito bom mesmo.

Continuamos a explorar aquela zona, caminhamos bastante.
Depois viemos embora e como achamos que a tarde estava a ser boa, resolvemos ir jantar.
Ao vir embora paramos no Mar Shopping que o J. estava com desejos de ir à Wok to Walk, lá comeu o menu que gosta e eu e a J. partilhamos o menu da quinoa.
Nunca tinha comido embora conheça bem o que é, mas tenho que confessar que adorei, é muito bom, gostoso e de um certo modo saudável.
Cheguei a casa eram quase 22h e os meus pais ficaram muito sérios quando perguntaram onde fomos e eu disse que fomos a Caminha, depois eis que a minha mãe resolve contar-me as novidades das minhas tias e do meu primo... só "desgraça" salvo seja.
Na hora de me deitar, depois de um dia feliz, com uma tarde muito bem passada e muitas gargalhadas, a verdade é que mal me deitei na cama adormeci logo... que maravilha.
Foi um dia feliz.

9 de agosto de 2017

Relativamente ao post anterior...

É só para dizer que hoje fui à feira e credo, nossa senhora de Fátima, nunca estive no meio de tantos avecs... como diria o Jesus caredo.
São mais que as mães.
Encontrões para ali, encontrões para acola e lá fiz a minha visita do ano à feira.
É engraçado é vê-los nos ciganos a encherem-se de roupas, sapatilhas de "marca"... até queria ser mosca para vê-los "lá na França"... como diz o meu tio.

8 de agosto de 2017

Eles andam aí...


Pelo menos na minha zona é só avecs por todos os lados.
E então esta ano deve ser moda na Suíça usar jipes que eu sinceramente já perdi a conta ao número de jipes Suíços que vi.
Adorei este cartaz, palavra de honra a primeira vez que o vi no contexto que foi desfiz-me em lágrimas com tantas gargalhadas.
E até foi ótimo isto ter vindo parar as minhas mãos, porque os meus pais dizem que só eu e o meu irmão é que pegamos sempre com eles.
Já expliquei aos meus pais que não, que existe muita gente que adora ouvir o "Jean Pierre tu va tomber", entre muitíssimas outras perolas e nisso eu e o meu irmão somos privilegiados porque temos alguns avecs na família mas daqueles postais mesmo.
Outra confissão eu só vou uma vez por ano à feira adivinhem quando?
Em Agosto, pois claro, adoro vê-los na feira armados em macho man e a regatear em francês e as tantas lá lhes escapam umas palavras e palavrões em Português... adoro mesmo.

5 de agosto de 2017

"Solteiros incorrigíveis" de Danielle Steel...


"Não há dúvida que o amor é ainda uma das aventuras mais imprevisíveis da vida. Inveterados e convictos solteiros, Charlie, Adam e Gray formam um trio de amigos que vive sem grandes compromissos. Se para Charlie nenhuma das suas namoradas revelou ser a mulher perfeita, para Adam a juventude é essencial, ao passo que Gray ama a liberdade, acima de tudo. De férias, a bordo de um luxuoso iate que percorre a costa mediterrânica, o destino destes amigos cruza-se com três mulheres, que os vão marcar para sempre. Embarcarão eles nas mudanças que se avizinham ou o desejo de continuarem solteiros será mais forte?"

Este foi o primeiro livro da Danielle Steel que li.
Confesso que no início me estava a deixar um bocadinho aborrecida, mas depois começou a despertar um certo interesse.
Foi de prever como iria acabar o livro com o famoso "e foram felizes para sempre"... foi a expressão que me veio à cabeça para falar deste livro.
Acabei por gostar do livro, mas não fiquei assim muito fã da Danielle Steel, é uma escritora para ler de vez em quando, mais propriamente quando uma pessoa precisa de uma boa história de amor... pelo menos é a minha opinião. 

4 de agosto de 2017

Sinônimo de felicidade...

Para mim é isto...
Tão simples quanto isto...


3 de agosto de 2017

"O reino"...



Adorei este filme.
Vi porque pelo resumo me parecia interessante... e foi mesmo.
Aliás tudo o que envolva terrorismo em filme, séries e livros, aqui estou eu para ver, apesar de pensar que já nada me poderá surpreender a verdade é que ainda existem filmes e séries que me conseguem surpreender e muito, foi o caso deste filme.
Então neste filme temos o agente federal Ron Fleury que é feito pelo grande e fantástico Jamie Foxx. que junta uma pequena equipe, composta por Janet Mayes interpretado por Jennifer Garner,  Jason Batman que faz de Adam Leavitt, Chris Cooper que interpreta Grant Skyes uma personagem que tem momentos muito cômicos, adorei o Ashraf Barhom que interpretou o coronel Faris e por aí fora tinha muitas mais personagens mas estas são mesmo as principais.
O objetivo desta equipe era destruir uma célula terrorista.
O se não disto é que têm apenas uma semana para o fazer e inicialmente estão muito limitados quanto ao que podem ou não fazer na Arabia Saudita.
Esta um filme fantástico e muito bem feito.
Vale a pena ver.

2 de agosto de 2017

Cansei...

E quando isso acontece, quando atinge este patamar a maior parte das vezes não controlo o que digo.
Estes dias esteve cá a minha tia, veio ver-nos diz ela... eu bem sei que não veio nada ver-nos veio foi fazer o hino da coitadinha... que o meu primo o filho do meu padrinho caiu de uma obra mas que não se aleijou em nada, que estava tudo bem.
No sábado fui enfeitar, a seguir fui as compras e cheguei a casa e o meu pai começou "não mandaste uma mensagem ao teu primo a ver como ele esta?" e eu disse "não mandei nem vou mandar" e ele continuou "ah mas devias mandar, tu quando ganhas sisma a uma pessoa és lixada" ora bem saltou-me a tampa no meio da estrada à porta de casa e disse "deves de estar a gozar com a minha cara, eu é que ganho sisma? Eu estive internada vários vezes o ano passado e este ano também,  não houve uma puta duma alma que me mandasse uma sms, muito menos ligar e tu queres que eu agora envie uma sms quando sei que não se passou nada que ele só foi ao hospital e veio embora na mesma hora, deves de estar a gozar comigo" e eu lá continuei "e eu sou prima dele e ele caga literalmente para mim, por isso também tenho esse direito e olha queres saber eu não tenho 10 anos para estares a dizer a quem eu devo ou não mandar sms, o que eu devo ou não fazer, por isso aproveita e deixa-me em paz pelas almas que eu não chateio ninguém"... mas isto em altos berros.
Primeiro o meu pai começou "deixa-me em paz?. deixa-me em paz" Não estas em paz?" e eu respondi "estou sim em paz se não me chatearem com estas coisas sem sentido, eu posso não comentar o que sinto mas o meu grande defeito é que eu não esqueço, esse é que é o problema, o grande problema, eu não esquecer."
Pronto o homem calou-se, pensei seriamente que ia ficar de trombas comigo durante uns dias mas não, sai e cheguei e todo ele era pura simpatia.
Ora com o diabo, se ninguém se interessou comigo, porque carga de água tenho agora que me interessar com suas excelências, mais nada não, já tenho problemas que chegue na minha vida e como se costuma dizer, cada um que aguante a sua cruz. 

1 de agosto de 2017

Olá Agosto...


Bem vindo.
Não tenho muito para te pedir, apenas o habitual.
Paz, sossego, sorrisos, pequenos momentos de felicidade.
Sê calmo como o mês de Julho, isso para mim já é muito bom.
Traz-me um pouco mais de sorrisos e felicidade, acho que nunca é pedir de mais.
E se por acaso trouxeres algo de menos bom, dá-me força e coragem para enfrentar esses momentos.
Sê bem vindo!!!