31 de março de 2014

Sobre o desafio da Anita...

Adorei...
Nem sempre consegui fazer post no próprio dia, mas fiz todos os dias e todos os temas. Nunca tinha experimentado um desafio destes e gostei imenso.
Obrigada Anita.

Novo # 31...

Nova forma de ver a vida, quer dizer pelo menos assim deveria ser... vou tentar.






30 de março de 2014

Inocência # 30...

"A inocência genuína rende-se, não sabe defender-se"

Camilo Castelo Branco 

29 de março de 2014

Traíste? Foste traída? # 29...

Trair, nunca traí... e sim fui traída, quem anda à chuva molha-se, e foi o caso, enfim coisas do passado, houve muita dor, muita mágoa, muita lágrimas mas já passou, fiz o que tinha a fazer segui a minha vida sozinha, como diz o outro "mais vale só do que mal acompanhada" e é tão verdade isso

28 de março de 2014

Perfume # 28...


carolina herrera 212


Flowerbomb de Viktor & Rolf



27 de março de 2014

Factos sobre esta "bela" Primavera...

* Aqui para os meus lados está um frio desgraçado, ainda me custa a querer que houve uns belos dias de sol e já andei de manga curta, mas agora parece que é para esquecer esse assunto das roupas leves porque o frio é demais.
* A minha mãe limpou a lareira e disse "ah agora vem a Primavera e o calor"... nota-se sem qualquer dúvida.
* Como se não bastasse arrumar de vez a lareira, lembrou-se também que já não são precisos... na minha cama... os lençóis polares porque... ora adivinhem lá... porque já estamos na primavera e vem aí calor.
* Estou pior do que sei lá o que tenho tanto frio que as vezes tenho a sensação que se me vão gelar os ossinhos todos... mas... Mary pensa positivo estamos na Primavera, vem aí o calor... está frase é da autoria da minha mãe. 
Aiiiiiiiiii que eu com o frio ainda me dou... mais ou menos... agora com a chuva, pelas almas façam desaparecer essa desgraçada por uns bons tempos. 

Uma frase/poema # 27...


Minh'alma é a Princesa Desalento, 
Como um Poeta lhe chamou, um dia. 
É revoltada, trágica, sombria, 
Como galopes infernais de vento! 

É frágil como o sonho dum momento, 
Soturna como preces de agonia, 
Vive do riso duma boca fria! 
Minh'alma é a Princesa Desalento... 

Altas horas da noite ela vagueia... 
E ao luar suavíssimo, que anseia, 
Põe-se a falar de tanta coisa morta! 

O luar ouve a minh'alma, ajoelhado, 
E vai traçar, fantástico e gelado, 
A sombra duma cruz à tua porta... 

Florbela Espanca, in "Livro de Sóror Saudade"

26 de março de 2014

Na blogosfera já me desiludi com # 26...

Algumas blogger que conseguiram tornarem-se impertinentes, arrogantes e na minha opinião descaradamente parvas por uma fama sem qualquer tipo de lógica que eu não consigo entender o que têm de útil, mas à frente... não, não vou colocar nome porque não estou para aturar malucos.

25 de março de 2014

A minha viagem de sonho # 25...

Não tenho... sinceramente.
Existem vários países que faziam parte de uma lista de locais a visitar, mas a verdade é que com a hemodialise à perna tudo se altera na vida e esse meu gosto morreu por completo.
Um sitio que voltava se pudesse seria Roma, adorei gostava de me "perder" por lá.

A minha cor # 24...

Preto 

24 de março de 2014

Balança # 23...


Em julho de 2013 a balança da clínica indicada que tinha 70kg hoje a mesma balança indica 58kg, conseguem imaginar a minha felicidade não??? 
Mas... eu sei que vou chorar de alegria no dia em que subir aquela balança e ela marcar 55kg, sei que nesse dia a "menininha" cheia de lágrimas que vive em mim vai manifestar-se por ter conseguido, por não desistir e por saber que esta vitória pessoal foi alcançada mesmo quando toda a gente diz que estou muito bem assim como estou com os 58kg que estou muito mais magrinha e que é melhor parar de emagrecer, mas eu quero os 55kg e eu vou conseguir pois a minha fé é enorme. 

Hoje sinto-me # 22...

Cansada... vivo muitas vezes na dúvida se a vida vale ou não a pena e isso cansa-me bastante. 

21 de março de 2014

Desejo # 21...


Alcançar a minha tão desejada paz interior, é das coisas que mais desejo nesta vida... sofro demais para o meu gosto com inquietações muitas vezes sem sentido e necessidade e não consigo combater tal coisa, é algo que me deprime profundamente. 

Doce # 20...

Pavlova de frutos silvestres... um dos doces que quero muito experimentar... mas dizem que dá muito trabalho a fazer, vai daí que ainda não a fiz exatamente por isso... alguém já experimentou???


Dor # 19...

O que me dói não é 
O que há no coração 
Mas essas coisas lindas 
Que nunca existirão... 

São as formas sem forma 
Que passam sem que a dor 
As possa conhecer 
Ou as sonhar o amor. 

São como se a tristeza 
Fosse árvore e, uma a uma, 
Caíssem suas folhas 
Entre o vestígio e a bruma. 

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

Estrada # 18...

Gosto em especial desta música, faz-me lembrar tanta coisa...

Sujo # 17...

Vou escrever algo muito simples sobre este tema... tenho uma certa alergia ao sujo em todas as perspectivas possíveis e imaginarias que possas estar a ter neste momento.

17 de março de 2014

Tema livre # 16...

Raramente consigo ver a novela Amor à Vida... porque chego bastante cansada do tratamento, mas uma das personagens que mais adoro é o Félix, é mau como o raio que o parta mas tem um humor bom demais e depois estas frasezinhas com as fotografias dele fazem as minhas delícias eh eh eh.






Alegria # 15...

Ver aquelas pessoas que não conheces de lado nenhum darem um belo de um sorriso... é tão raro nos dias de hoje que chega a dar saudades. 

Comida # 14...

* Comida Brasileira... nem é bom pensar ;)
* Comida Venezuelana... arepas, cachapas, tequeños,  hallacas, pan de jamón... acho que não me esqueci de nada lolol.
* Comida Asiática... esta descoberta tem para aí um anito
* Mariscos, mariscos e mariscos... podia comer até enjoar.
* Pizza... da pizza hut de preferência 
* Massa... também podia comer até dizer que já não me apetece mais

Hmmmm de momento não me lembro de mais nada ;)

13 de março de 2014

É amanha sem falta...

... que vou tentar retomar as minhas visitas à blogosfera, ando cá com uma saudade de visitar os vossos blogs que nem vos conto ;) 

Educação # 13...

Eu sou do tempo em que bastava um olhar do meu pai ou da minha mãe e eu já nem abria o bico. Faço parte daqueles que tiveram uma educação a sério, não daquela que se usa hoje em dia em os meninos fazem e dizem tudo o que querem e chegam mesmo a faltar ao respeito aos pais... sei que existem exceções mas a verdade é que são cada vez mais raras. No entanto apesar de uma educação um pouco rígida sempre tratei os meus pais por tu e se existe coisa capaz de eu achar muito estúpido é as pessoas tratarem os pais por você mas ainda mais cômico na minha opinião é os tratarem os filhos por você... não gosto nada confesso. Portanto tenho a dizer que estou muito grata pela educação que os meus pais me deram, muito mesmo, ao que vejo sinto-me uma miúda, salvo seja, sortuda por ter aprendido os primeiros passos na vida com educação,carinho e amor. 

Um sentimento # 12...

Amor...



"A única coisa que sei sobre o amor é que ele é incondicional"

11 de março de 2014

Sorriso # 11...

Sorri quando a dor te torturar
E a saudade atormentar 
Os teus dias tristonhos vazios

Sorri quando tudo terminar
Quando nada mais restar 
Do teu sonho encantador

Sorri quando o sol perder a luz 
E sentires uma cruz 
Nos teus ombros cansados doridos

Sorri vai mentindo a sua dor 
E ao notar que tu sorris
Todo o mundo irá supor 
Que és feliz

John Turner e Geoffrey Parsons 

Infância # 10...




10 de março de 2014

Mãe # 9...


Ausência # 8...

"A ausência é a causa de todos os males."

 Jean de La Fontaine

7 de março de 2014

Água # 7...

Água para mim é tudo...
Adoro, fresca, quente, natural, de qualquer maneira.
Mas só quem fez/faz ou tem familiares em hemodialise se apercebem que o simples facto de se ter que ingerir o minimo de líquidos possíveis, faz com que a água seja a nossa total perdição. Eu bem sei que o fator psicológico contribui imenso para essa nossa sede insaciável que muita gente depois de um transplante quando pode e deve beber muita água parece que simplesmente a vontade fugiu... lá está o fruto proibido é sempre o mais desejado. Que me perdoem o meu pensamento egoísta mas não consigo imaginar-me a viver sem água no dia a dia, quer para beber, quer para viver, o que quer que seja. 

Cama # 6...

Havia tanta coisa para falar sobre a minha cama, mas na verdade vou ser breve. Já dormi em várias camas... a maior parte das vezes em hospitais... mas a verdade é que nenhuma consegue substituir a minha é sempre uma espécie de consolo profundo quando depois de vários dias longe dela me deito, existe uma espécie de pequena felicidade interior um pouco difícil de explicar, tipo algo que apenas de sente. É na minha cama que todos os dias quando acordo penso, mais um dia, mas é também nesta mesma cama que muitas vezes choro, onde a maior parte das vezes penso em momentos menos bons da minha vida. Muitas vezes penso que a minha cama é a minha "verdadeira" amiga, está ali para me ajudar e reconfortar mesmo não se manifestando de qualquer maneira.

5 de março de 2014

Flor # 5...


Tulipas... são frágeis, bonitas e muito simples... adorava conhecer os campos de tulipas na Holanda, pelas imagens que vejo são lindos demais. 


Girassóis... sempre gostei de girassóis além de me trazerem boas recordações fazem-me lembrar a minha infância e os dias de calor.


Alfazema... tenho uma pequena perdição pelo lilás, pelo cheiro e pela flor em sim tão delicada, tão cheirosa e bonita. 

Basicamente são estas as minhas flores de eleição... engane-se quem pensa que gosto de receber flores, não gosto mesmo, muito menos num hospital, é coisa para me tirar do sério e sair logo a minha tipica frase "ainda não morri para me estarem a enviar flores"... sim insensível eu sei, mas que fazer, eu sou assim e sou não existe volta a dar. 

4 de março de 2014

Sonho # 4...


Sonho. Não sei quem sou neste momento. 
Durmo sentindo-me. Na hora calma 
Meu pensamento esquece o pensamento, 
             Minha alma não tem alma. 

Se existo é um erro eu o saber. Se acordo 
Parece que erro. Sinto que não sei. 
Nada quero nem tenho nem recordo. 
             Não tenho ser nem lei. 

Lapso da consciência entre ilusões, 
Fantasmas me limitam e me contêm. 
Dorme insciente de alheios corações, 
             Coração de ninguém. 

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

Amizade # 3...


Sónia, Joana e eu...


Luísa, eu e o Paulo...


Eu e a Alexandra...

Amizade é saber que tens sempre alguém contigo, mesmo que esteja longe. E como dizem que uma imagem vale mais do que mil palavras, hoje optei pelas fotografias, de 5 pessoas especiais para mim. 

2 de março de 2014

O que me tira do sério # 2...

Injustiça, maldade, hipocrisia, excesso de estupidez, humilhação... entre muitas outras coisas. São temas que mexem comigo, são palavras e ações que eu nego a aplicar no meu dia a dia, mas a humilhação é daquelas coisas que me deixa de cabeça perdida por completo que é capaz de me fazer passar por completo da minha pobre cabecinha. Existe um texto... que até já o tinha colocado por cá algures por Fevereiro de 2012... que retrata bem aquilo que eu penso sobre o assunto. Aqui vai ele: 
"Durante uma vida a gente é capaz de sentir de tudo, são inúmeras as sensações que nos invadem, e delas a arte igualmente já se serviu com fartura. Paixão, saudades, culpa, dor-de-cotovelo, remorso, excitação, optimismo, desejo – sabemos reconhecer cada uma destas alegrias e tristezas, não há muita novidade, já vivenciamos um pouco de cada coisa, e o que não foi vivenciado foi ao menos testemunhado através de filmes, novelas, letras de música. 
Há um sentimento, no entanto, que não aparece muito, não protagoniza cenas de cinema nem vira versos com frequência, e quando a gente sente na própria pele, é como se fosse uma visita incomoda. De humilhação que falo. 
Há muitas maneiras de uma pessoa se sentir humilhada. A mais comum é aquela em que alguém nos menospreza diretamente, nos reduz, nos coloca no nosso devido lugar - que lugar é este que não permite movimento, travessia?. Geralmente são opressões hierárquicas: patrão-empregado, professor-aluno, adulto-criança. Respeitamos a hierarquia, mas não engolimos a soberba alheia, e este tipo de humilhação só não causa maior estrago porque sabemos que ele é fruto da arrogância, e os arrogantes nada mais são do que pessoas com complexo de inferioridade. Humilham para não se sentirem humilhados. 
Mas e quando a humilhação não é fruto da hierarquia, mas de algo muito maior e mais massacrante: o desconhecimento sobre nós mesmos? Tentamos superar uma dor antiga e não conseguimos. Procuramos ficar amigos de quem já amamos e caímos em velhas ciladas armadas pelo coração. Oferecemos nosso corpo e nosso carinho para quem já não precisa nem de um nem de outro. Motivos nobres, mas os resultados são vexatório. 
Nesses casos, não houve maldade, ninguém pretendeu nos desdenhar. Estivemos apenas enfrentando o desconhecido: nós mesmos, nossas fraquezas, nossas emoções mais escondidas, aquelas que julgávamos superadas, para sempre adormecidas, mas que de vez em quando acordam para, impiedosas, nos colocar em nosso devido lugar."
 Martha Medeiros

Depois fiz este comentário:
Já à algum tempo que andava para colocar este texto. Hoje lembrei-me em partilhar convosco, gosto da forma com a Martha Medeiros tratou este tema, de uma forma simples, de fácil compreensão. Infelizmente conheço bastantes pessoa que só vivem bem quando humilham os outros, não gosto desse tipo de pessoas, é um dos defeitos mais parvos, estúpidos e intoleráveis no ser humano. São muitas as vezes em que me questiono, porque? Para que? Como é que existem pessoas capazes de serem assim, que não se importam se magoam os outros só para se sentirem bem consigo próprias, não gosto destas pessoas, tenho pena delas, pois duvido que gostem delas próprias, porque se gostassem não fariam tal coisa. 

Hoje faço este:
Continuo com a mesma opinião, tal e qual como em 2012, quem sabe um pouco mais reforçada porque afinal de contas de 2012 até 2014 já vi uns quantos episódios de humilhação, por isto e aquilo e até mesmo por coisa que não tem o minimo sentido, mas que continuam a fazer com que as pessoas... se assim lhe podemos chamar... continuem a ter atitudes e atos deprimentes e excessivamente estúpidos. 

1 de março de 2014

Eu sou # 1...

Marisol, para os assuntos importantes, consultas, exames, médicos e más notícias...
Mary, para os amigos, para as brincadeiras e para mais isto e aquilo... 
Maryzinha para quando me estão a dar graxa e eu a ver...
Sol, nos tempos de escola era Sol para aqui e Sol para ali...
Solzinha em momentos um pouco mais tristes...

Tenho um nome invulgar é certo... se bem que agora já vejo vários iguais por aí... mas um nome que pode ser utilizado de várias formas, um nome que deixa muita gente a fazer sempre a mesma pergunta "ah não é portuguesa? Esse nome não é português? Sabia que existia uma cantora com esse nome? Ai Marisol Marisol era o nome de uma atriz!" e uma resposta que é sempre a mesma "pois nasci na Venezuela" ou "sim eu sei", 28 anos sempre a ouvir a mesma coisa e sempre a pensar "lá vão começar outra vez com as perguntas e afirmações"... mas no fim as pessoas acabam por se adaptar e usam o Mary para isto e para aquilo o que torna tudo muito mais fácil e sem complicações... e pronto está é a minha apresentação, para vos dar a conhecer um bocadinhinho de mim ;)