31 de janeiro de 2017

"Bee Movie"...



Este foi mais um filme que vi... lá esta de macacos como diz o meu pai.
Apesar de ser mais um filme de macacos, na minha opinião transmite uma mensagem muito bonita e importante.
Ora vamos lá ver.
Barry é uma abelha que acaba a sua formação e como tal acha que é um desperdício de tempo trabalhar com mel tem então como plano tentar fugir dessa área e um dia resolve quebrar as regras do reino das abelha em sair da sua zona de conforto e pior ainda falar com um ser humano.
Ao quebrar essas regras Barry descobre que os seres humanos adoram o mel.
Vai daí e pela primeira vez uma abelha abre um processo contra a humanidade.
Desenhos animados mas com uma grande lição para os mais novos, bom e para os mais velhos como é o meu caso eh eh.
Vejam é divertido. 

30 de janeiro de 2017

"A espia" de Paulo Coelho...


«Tudo o que sei é que o meu coração é hoje uma cidade-fantasma, povoado por paixões, entusiasmo, solidão, vergonha, orgulho, traição, tristeza. E não consigo desenvencilhar-me de nada disso, mesmo quando sinto pena de mim própria e choro em silêncio. Sou uma mulher que nasceu na época errada e nada poderá corrigir isso. Não sei se o futuro se lembrará de mim, mas, caso isso ocorra, que nunca me vejam como uma vítima, e sim como alguém que deu passos com coragem e pagou sem medo o preço que precisava de pagar.» 
Mata Hari foi a mulher mais desejada da sua época: a famosa bailarina que usava exóticas danças orientais para chocar e encantar as plateias de toda a Europa; a confidente e amante dos homens mais ricos e poderosos do seu tempo; a mulher com um passado enigmático que despertava o ciúme e a inveja das senhoras da mais alta aristocracia parisiense. Uma mulher que ousou libertar-se do moralismo e dos costumes provincianos das primeiras décadas do século XX - e pagou caro por isso. Em A Espia, Paulo Coelho evoca de forma magistral a vida desta magnífica mulher, que nasceu à frente do seu tempo, apresentando-a ao leitor contemporâneo como uma poderosa lição de força e de liberdade.

Posso dizer que este livro foi uma boa surpresa.
Nunca tinha ouvido falar da Mata Hari.
Teve uma história de vida bem movimentada se assim se pode dizer, mas também naquele tempo nem tudo era fácil.
Na minha perspectiva ela não merecia morrer daquela maneira sinceramente.
Vamos ver se agora vejo a série que não quis ver no outro dia pois andava a ler o livro e eu gosto imenso de ler os livros primeiro. 

28 de janeiro de 2017

Preciso de vitalidade...

Se existir alguém que me possa ajudar neste sentido, ficarei eternamente grata.
É que se eu tinha esperança em ir ultrapassando isto lentamente, também tinha esperança em ir vendo resultados o que não é o caso, logo fico desanimada, não é mentira, mas mesmo assim não vou dar o braço a torcer, vou continuar a luta.
O que eu gostava mesmo era de sentir um bocadinho mais de força e de animo.
Preciso tanto de um bocadinho de força mais, de me sentir um pouco mais forte.
Vamos ver como correm os próximos dias... a esperança é sempre a ultima a morrer.

24 de janeiro de 2017

"Hotel Transilvânia"...



Pois é, mais uma vez optei por ver um filme de desenhos animados.
Riam-se riam-se que ainda à mais.
Isto são fases, bem sei, mas pronto.
Gostei deste filme.
Portanto conta a história do Drácula que só queria proteger a sua filha Mavis dos humanos, assim sendo construiu um hotel onde podia juntar todos os amigos monstros para conviverem e se divertirem, fazendo assim com que a filha não saísse ali das redondezas. 
Acontece que a filha é muito aventureira e vai querer ultrapassar os limites impostos pelo pai.
Entretanto existe um jovem humano que vai visitar o hotel, sendo que não existe nenhum humano naquela zona.
Sucedem-se um monte de aventuras e humor, pelo menos teve momentos em que me ri um pouco.
E pronto não vou contar mais se querem saber tem que ver o filme, já sabem.

23 de janeiro de 2017

Um trio jeitoso...

O frio...
O sono...
O cansaço...
Que ultimamente habitam em mim ultimamente, quase que dava para iluminar o mundo inteiro.
Tem dias que nem sei como me consigo segurar de pé.
E andar com estes três atrás é tudo menos fácil, por muito boa vontade que eu tenha em querer estar mais despachada, em fazer o que quer que seja assim mais fora do normal dos últimos tempos o resultado acaba sempre na mesma coisa, excesso de cansaço e eu quase a cair para o lado sem conseguir respirar.
Ohhh vida deprimente, tenho que dizer que já estou um bocadinho.... daqueles bem grandes... farta disto. 

19 de janeiro de 2017

"Today's special"...



Como podem verificar ando numa onda de ver filmes.
Não tenho um critério bem definido na escolha dos filmes, vou vendo apenas.
Desta vez escolhi este filme o Today's special e a verdade é que gostei bastante.
Conta a história de um jovem Indiano chef de cozinha sofisticada em Nova York, que tem como sonho ir para Paris.
Entretanto ocorre uma emergência na família, família esta que tem um restaurante indiano, assim mais para o pobrezito.
Ou seja o Samir não estava habituado não só à cozinha indiana,  muito menos a um negócio de família.
Este filme é uma boa lição para aprendermos a acreditar um pouco mais em nós.
Gostei muito.
É um filme "leve" e com vários momentos divertidos.

16 de janeiro de 2017

"O rapaz do pijama às riscas"...



Apesar de já ter lido imensos livros que falavam da segunda guerra mundial e dos campos de concentração este filme foi um murro no estomago. 
Se inicialmente parecia ser um filme "inocente" com o andar da história torna-se forte.
Fiquei um pouco abalada por o  ter visto, isso não posso negar.
A mensagem de amizade entre os dois meninos o Bruno e o Shmuel é muito bonita, segundo as condições em que se encontram.
Aconselho que vejam o filme. 

14 de janeiro de 2017

Sinto o coração pesado...

Não sei bem o que se passa, mas a verdade é que ultimamente sinto uma espécie de "peso" no coração.
Supostamente e tirando os meus problemas de saúde que são mais que muitos, não tenho assim mais nenhuma preocupação.
Nunca senti isto, é uma espécie de peso, dor, cansaço que sinto no peito.
Por vezes só o simples respirar me doí. 
Esta semana iniciei consultas de reiki e fiz 3 sessões.
Preciso de ajuda para me manter calma nesta fase difícil e por incrível que possa parecer o reiki tem me ajudado. 
A minha reikiana é super simpática e voluntariou-se para me ajudar.
Tenho tido noites de sossego e descanso e isso na situação em que me encontro é muito importante.
Não consigo aguentar os tratamentos, as dores e tudo mais se não dormir minimamente bem, mesmo que seja com vários comprimidos para dormir, eu preciso mesmo é de descansar.
O braço infeccionou e eu não aguento as dores, o cateter na perna é um estorvo e mal estar que nunca pensei que fosse possível.
Ufff estou tão cansada...

12 de janeiro de 2017

Cada uma...

Quando ouves que pessoas que não tem posses, não tem nada e vão escolher alianças de 1200€ para os padrinhos pagarem ficas a pensar tipo: na estão a brincar, não é possível, estão a gozar.
É que se fosse eu tinha vergonha na cara.
Uma coisa era se os padrinhos tivessem posses outra coisa é os desgraçados terem que andar a pagar as alianças as prestações.
Confesso que fiquei surpreendida pelo valor, mas também desde que a fulana a noiva me disse que só para se pentear no dia do casamento precisava de 300€ já estou por tudo.
Este caso é daqueles que não podem de maneira nenhuma, mas continuam a achar que quanto mais caro for melhor são as coisas.
É incrível as vezes encontras gente com 25 anos com um maturidade fantástica outras vezes encontras estas crianças disfarçadas de adultos.

10 de janeiro de 2017

Mais factos...

* Estou cansada...
* Tenho sono...
* Tenho muito frio...
* Estou farta de ter que acordar cedo para ir para o hospital...
* Estou cheia de dores no meu braço e perna, já para não falar que estou pisada por todos os cantos, mais parece que levei um enxerto de porrada, é ver a cara de choque das pessoas quando vêem o meu corpo cada vez que vou fazer um exame...
* É tão triste estar dependente dos outros para tudo...
* Vou mas é chamar o meu pai para me ajudar a vestir que daqui a nada tenho que ir para o tratamento...

6 de janeiro de 2017

A bondade as vezes sai cara...

Tem um senhor que além de morar aqui perto anda comigo nos tratamentos.
Tem 83 anos e eu tenho uma certa pena dele, apesar dele ser mal educado e arrogante.
A esposa também já tem uma certa idade e mal se mexe.
Eu sei que é ele quem cozinha, ou bem ou mal, ele cozinha para ele e para a esposa.
Disse-me que no natal, só faz a comida que nunca tem sobremesas, porque não sabe fazer e também só para os dois não vale a pena.
Ora não vou negar que aquelas palavras me apertaram o coração.
Vai na volta perguntei á minha mãe se me dava uma ajuda e fazíamos umas sobremesas para eu levar lá ao senhor na véspera de natal.
Pois bem tratei de ir ao supermercado comprar todos os ingredientes necessários, ovos, aletria, cacetes, coco, forminhas, enfim tudo o que precisava.
Fizemos rabanadas de vinho tinto, rabanadas de vinho branco, aletria, coquinhos e fui lá levar ao senhor.
Quando entreguei ele só disse "que saco pesado, tanta coisa, bom natal" foram estas as palavras dele, e eu vim embora.
Qual o meu espanto para não dizer estupides, quando no tratamento seguinte quer com a enfermeira quer com a médica que quando o chamam à atenção por ter o diabetes muito alto ele responde "ah eu não tenho culpa nenhuma a culpa é da M. que levou lá a casa uma saca cheia de sobremesas, a culpa é só dela".
Vejamos, levei sim senhora, pensei que estava a fazer uma grande coisa, mas também não fui eu que o obriguei a comer á guloso, nem fui eu que lhe enfiei a comida pela guela abaixo, eu também faço o control do diabetes por causa do excesso de cortisona que faço e comi alguns doces nas festas mas sei me controlar.
Confesso que não gostei de ouvir um simples... obrigado... e não gostei ainda mais o facto de ter gasto dinheiro, tempo, dedicação e carinho para depois levar com uma enxurrada de culpas.
Menos mal que quer as enfermeiras quer as médicas o chamaram á atenção dizendo que o que eu fiz foi um ato muito bondoso e que ele não devia de ser assim mal educado.
Bem podes chorar baba e ranho para o ano, que ficaste marcadinho, fica sossegado que o diabetes não te vai voltara  subir por minha causa.

5 de janeiro de 2017

"Chocolat"...




Já à algum tempo que andava para ver este filme.
Trata-se da história de uma mãe solteira com uma filha de 6 anos que viaja de aldeia em aldeia.
Neste filme chega a uma cidade Francesa, onde decide abrir a sua loja de chocolates.
Inicialmente não é muito bem recebida, mas aos poucos vai conquistando um a um cada membro da população desta pequena aldeia.
Tem um elenco maravilhoso, eis alguns nome: Johnny Depp, Juliette Binoche, Judi Dench, Alfred Molina, Leslie Caron entre muitos outros nomes fantásticos.
Adorei o filme e a lição que ele transmite. 

4 de janeiro de 2017

2016 em páginas...

Foram 5372 páginas.
Muitas viagens, emoções e vidas diferentes.
Muitos sonhos, sofrimento, lutas, vinganças, romance e finais felizes.
Foram bastantes as lições que fui tirando destes livros.
Foram muitos os sonhos que cresceram em mim depois de cada leitura.
É por isto e muito mais que amo ler, sinto-me livre, posso viajar e viver outras personagens.
Que 2017 seja mais um ano de muitos livros.
Eis os companheiros de 2016... 












3 de janeiro de 2017

Acabo e começo o novo ano com um grande DASS...

Assim mesmo em maiúsculas e tudo.
O ano de 2016 acabou mal, mas 2017 também não começou lá muito bem. 
Dia 30 tive que ir colocar um cateter de urgência e ser operada á fistula.
Dia 2 fui fazer tratamento e deu-me um "apagão" lá dei entrada de urgência com direito a inem e tudo.
Encontro-me com o braço esquerdo empenado, a perna direita igualmente, cheia de dores, frio e completamente dependente de terceiros.
Tá bonito ta.
Eu até estava com garra e vontade de sair depressinha de 2016 e entrar no ano novo a ver se tinha mais sorte, mas pelo andar da carruagem, ou as coisas mudam muito ou estou desgraçadinha.
É só o que vos digo.
Dasss...