29 de julho de 2014

"Pérolas" do meu tio, continuação...

Lembram-se deste post "Pérolas do meu tio" pois bem, hoje trago umas quantas pérolas novas, todas apanhadas na sexta-feira no aniversário da minha madrinha.
No início ainda olhávamos uns para os outros com ar de riso, as tantas decidimos mesmo rir e rir à vontade, até o meu tio se ria sem saber de que pois estava muito convicto de tudo o que dizia, então aqui vão elas...

* "A enfermeira disse Sr. J. tem hiper intenção?"... o que ele queria dizer era mesmo hipertensão.

* "Depois ela veio à minha beira e disse Sr. J. como esta o seu testiculhine direito tudo bem não esta inchado nem nada?"... pois evidente que era testículo mas isso foi o meu tio e a mulher sempre a dar-lhe com o testiculhine para trás e para a frente.

* "Oh A. não é assim apanhas uma hipermia e como é"... hipotermia seria a palavra certa que ele queria usar, mas mesmo assim ainda arranjou outra versão para a hipotermia, mais a baixo já vão ver.

* "Sabes aqueles barbecu manuel"... nesta foi um descambar fenomenal, ele queria dizer berbequim manual mas saiu-se com o barbecu manuel, aqui nesta toda a gente ficou em lágrimas porque ele continuava a dizer que como ele dizia é que estava correto... enfim. 

* "Ela começou a por tenções no cabelo"... extensões tio era isso o que você queria dizer, extensões. 

* "Tenho é que ir tomar uma ducha"... duche não?

* "Uma pessoa ainda fica com uma hiperdimia"... ora aqui está a outra bela palavra para hipotermia, e esta hein.

* "É preciso ir um fotografe"... queria era ir a um fotografo isso sim santo.

* "E eu disse saia para dentro"... hmmm deve ser complicado, não sei assim de repente é o que me parece.

* "E então eu fui ao bloque"... fui ao bloco queria ele dizer, ainda houve quem lhe disse-se foi ao bloque de cimento é e ele respondeu "não fui ao bloque por a hérnia para dentro" e nós todos "ahhh... ah ah ah" e ele ria-se muito convencido do que dizia.

Nestes ajuntamentos de família apanha-se cada pérola deus me livre, ainda nos devem etr escapado umas quantas.

27 de julho de 2014

"Diário de um escândalo" de Zoe Heller...


"Um melodrama ao estilo de um thriller, leva-nos ao encontro de duas mulheres que partilham entre si uma confidência: uma relação afectiva de uma delas, Sheba, professora, casada, com quarenta anos de idade, com um aluno de apenas quinze anos. Esta relação extra-conjugal é mantida em silêncio, numa relação de intimidade entre as duas amigas, até ao dia em que num acto de pura vingança Barbara, a fiel depositária do segredo, movida por ideias de ciúme e inveja, torna o caso público, causando um verdadeiro escândalo junto do director da escola, da mãe do aluno, do marido da amiga, da comunicação social e até da polícia. Sheba sente-se completamente sozinha mas apesar de tudo, Barbara ficará ao seu lado. Uma história de repressão e paixão, em que o amor, mesmo o proibido, é uma constante num retrato psicológico muito bem construído, satírico em relação à sociedade, profundo e comovente no que toca aos comportamentos humanos, especialmente entre seres do mesmo sexo. Já adaptado ao cinema, conta com Cate Blanchett, no papel de Sheba, e Judi Dench, no papel de Barbara. Com realização de Richard Eyre, o filme já se encontra em exibição em Portugal."

Então, já conclui o livro, gostei muito. 
No início tive algum receio mas entrei na história de uma maneira tão agradável que cada página que lia ficava sempre curiosa a querer saber o que se ia acontecer a seguir.
Este livro aborda um tema forte, mas conforme fui lendo percebi que a maior parte das vezes as pessoas quando cometem erros deste gênero, estão tão envolvidas que acabam por achar que é algo natural, que não tem mal nenhum naquilo que estão a fazer. Adorei o livro leiam é muito bom... não vou estar aqui a escrever o qeu fez a Sheba, Barbara, a Polly o Ben, o Richard, o Steven e por aí fora se não acabo por contar a história e assim vocês ficam a saber de tudo sem ler o livro. 

24 de julho de 2014

Estou...

... tão cansada, mas tão cansada que desconfio que um dia destes vou adormecer de pé... doí-me todos os ossinhos sinto-me como se tivesse sido saco de pancada de alguém, aí como eu precisava de 2/3 dias sozinha sem nada e sem ninguém.

22 de julho de 2014

Poupem-me com o "mãe coragem"...

Se existe coisa que já anda a meter-me algum nojo é essa treta do livro "Mãe coragem".
Gosto muito da SIC mas ontem eles exageraram e aquela aberração do Cláudio Ramos sempre a bater na mesma tecla foi o suficiente para eu mudar de canal e desejar que o moço fica-se nem que fossem 5 minutinhos com aquela voz esganiçada num volume bem mais baixo.

Existem milhares de mulheres que passam fome, que são vitimas de violência doméstica, que têm várias doenças, que lutam por uma vida minimamente aceitável. 
Existem mães que sofrem por fazerem de tudo para não perderem os seus filhos, mãe que  sofrem com os problemas de saúde dos filho... como a minha mãe por exemplo que viu o meu irmão aos 18 anos ter um acidente de trabalho que quase o deixou numa cadeira de rodas e poucos anos a seguir eu com uma doença renal em fase terminal e passam-se os anos e aparece sempre algum problema novo e ela está lá a lutar para nos proporcionar o melhor... ajuda-nos e também enfrenta os dela.... quantas mulheres por este mundo fora têm uma vida de sofrimentos? Muitas com certeza, o problema é que a D. Maria, ou a D. Ana ou a D. Helena não têm quem lhes dê uma vida de luxo e todos os dias lutam para criar os seus filhos e a sua família. 

Mãe coragem é um título forte para um livro... não li o livro nem estou interessada em ler... vir para um livro dizer que ia fazer um aborto daquele que agora a mantem é deprimente, sim pode ter pensado nisso na altura ou até mesmo o moço podia ser um pé rapado sem nada, mas vir agora com a cena do aborto para mim é deprimente, estúpido e só revela que aquelas cabecinhas não têm nada lá dentro. Toda a gente diz "ai é mãe coragem"... poupem-me mãe coragem são aquelas que enfrentam dificuldades todos os dias e que não andam aí a escrever livros a fazerem-se de coitadinhas, isso sim são mães coragem.
Aqui à uns tempos uma das filhas desta senhora deu uma entrevista onde afirmou que passavam fome quando eram pequenos, engraçado foi quando a dita mãe estes dias falou no telejornal e fez questão de salientar "os meus filhos nunca passaram fome"... afinal em que é que ficamos ah? Decidam-se sim... quem diz isto diz mais uns quantos pormenores.
Escusam de vir para aqui bater no ceguinho, porque eu continuo com a minha opinião que mãe coragem são as nossas mãe que lutam para viver e não aquelas que se emprestam de botox e maquilhagem e anda por aí armadas em jet set... tenho dito!!! 
Já agora as minhas desculpas se ofendo algumas fãs da família em questão, sinto muito, mas eu sou mesmo assim uma miúda insensível a certas porcarias.

18 de julho de 2014

Gel para alívio de dores...



Já à algum tempo que ando para fazer este post e ou não tenho oportunidade ou esqueço-me.
Conheci o Biofreeze aqui à uns anos atrás... já alguns... numa feira médica na Exponor, a partir daí cá em casa não queremos outra coisa, no início só vendia-se através do laboratório deles, hoje em dia qualquer farmácia tem. Então o biofreeze é um gel de crioterapia, o chamado método frio, é um gel verde, a gente coloca, espalha bem e passado pouco tempo fica-se com uma sensação de frio que depois lentamente fica normal. Tem um cheiro agradável de menta, não é pegajoso  nem essas coisas que muitos cremes são. Tenho usado muito nas dores de costas, pernas e pés que para quem me segue sabe que ultimamente têm sido muitas, ou seja passo a vida a colocar o creme para que me alivie e a verdade é que alivia, infelizmente não passa de vez, isso já era pedir muito mesmo. Hoje comprei um na farmácia custou 8.39€ a embalagem contem 118ml mas dura bastante tempo, portanto a relação qualidade/preço está muito boa. Portanto quis partilhar isto com vocês, pois pode alguém andar a necessitar de algo para as dores e isto alivia bastante e não ninguém me está a pagar nem a dar cremes... antes estivessem... para eu vir para aqui escrever sobre ele. 

Livro a ler # 59...



"A descoberta do diário do maior sedutor da Europa.
Neste romance histórico, Douglas Abrams pretende descrever as aventuras de Don Juan narradas por ele próprio num diário até hoje desconhecido. Baseado nas inúmeras versões sobre a história de Don Juan e no relato de um estudioso francês do século XIX que argumentava que Don Juan tinha sido um nobre que viveu em Sevilha e que foi morto no Convento de São Francisco, o autor insere a mítica personagem na cultura europeia, tecendo um enredo totalmente passado em Sevilha, lugar de todos os vícios e virtudes. Conta como o famoso galanteador nasce bastardo, recolhido num convento por umas freiras, como acaba expulso, como passa a ladrão, como aceita trabalhar como espião para o Duque de Mota, como vai seduzindo mulheres casadas, divorciadas e virgens, e como finalmente acaba por se apaixonar por D. Ana, jovem prometida ao mesmo Duque para quem Don Juan trabalha. No final ocorre um confronto entre o galã e a Inquisição que resulta aparentemente na morte do herói, apesar de o seu corpo nunca ser apresentado a público. Uma nova visão do galanteador que deixou o mundo rendido aos seus encantos. Sevilha declarou 2007 como o ano de Don Juan."

Este é mais um dos livros que me emprestaram para ler. Vamos lá ver como vai ser, pelo que li parece ser interessante, mas infelizmente muitas vezes a gente lê o resumo e fica com a ideia de que até parece ser interessante e depois vai-se a ver e não vale nada... a ver vamos... depois como costume dou a minha opinião.

17 de julho de 2014

Livro a ler # 58...


"Um melodrama ao estilo de um thriller, leva-nos ao encontro de duas mulheres que partilham entre si uma confidência: uma relação afectiva de uma delas, Sheba, professora, casada, com quarenta anos de idade, com um aluno de apenas quinze anos. Esta relação extra-conjugal é mantida em silêncio, numa relação de intimidade entre as duas amigas, até ao dia em que num acto de pura vingança Barbara, a fiel depositária do segredo, movida por ideias de ciúme e inveja, torna o caso público, causando um verdadeiro escândalo junto do director da escola, da mãe do aluno, do marido da amiga, da comunicação social e até da polícia. Sheba sente-se completamente sozinha mas apesar de tudo, Barbara ficará ao seu lado. Uma história de repressão e paixão, em que o amor, mesmo o proibido, é uma constante num retrato psicológico muito bem construído, satírico em relação à sociedade, profundo e comovente no que toca aos comportamentos humanos, especialmente entre seres do mesmo sexo. Já adaptado ao cinema, conta com Cate Blanchett, no papel de Sheba, e Judi Dench, no papel de Barbara. Com realização de Richard Eyre, o filme já se encontra em exibição em Portugal. "

Hoje começo a ler este livro, foi mais um dos emprestados pelo resumo que li parece ser interessante, promete ser uma história em cheio, daquelas que são capazes de me captar e prender toda a minha atenção... a ver vamos como corre, depois eu passo por cá para deixar a minha opinião.

Nota sobre o livro "as meninas"...

Tive que parar de o ler, não estou a gostar nada, aquela linguagem abrasileirada e sem um ponto de partida lógico para inicio da história deixaram-me completamente perdida e ao fim de 54 páginas decidi parar e por o livro de lado... foi emprestado... pode ser que um dia eu volte a pegar nele e que nessa altura eu consiga encarar o livro por uma perspectiva mais agradável, por enquanto não consigo, não gostei nada do que li.

16 de julho de 2014

Livro a ler # 57...


Eleito um dos 50 melhores romances do século XX
A longa carreira de Lygia Fagundes Telles foi marcada pela extensão da sua produção literária e pela atribuição de inúmeros prémios mas foi o prémio Camões, edição 2005, que lhe trouxe o reconhecimento e projecção no seio da literatura universal. O seu primeiro romance, intitulado As Horas Nuas, que a Editorial Presença já publicou, tem realizado uma boa carreira em Portugal, abrindo caminho para que As Meninas alcancem a aceitação dos leitores. Alguns críticos apontam As Meninas como representando a experiência mais alta de Lygia Fagundes Telles como ficcionista, situando-se na primeira linha dos autores modernos. Publicado em 1973, a romancista "surpreendeu o Brasil" com As Meninas. Três jovens universitárias partilham um pensionato de freiras na cidade de São Paulo, nos finais da década de 1960, quando a ditadura militar se impunha na sociedade brasileira. Lorena estuda Direito para seguir carreira; Lia desistiu do curso de Ciências Sociais para fazer a revolução; Ana Clara droga-se, frequenta um psicanalista e pretende juntar-se com um velho rico. Um universo ficcional onde Lygia Fagundes Telles cria realidades complexas, onde instaura um novo realismo e tece um painel satírico da época de 60. Privilegiado é o leitor: assiste à riqueza presente na diversidade de recursos narrativos que Lygia utiliza e deixa-se envolver pelo poder imagético que o enredo cria. Um livro complexo, inquietante, que traduz o domínio perfeito da técnica e expõe de uma forma profunda a essência da condição humana num exercício de escrita brilhante.

Não conheço muito sobre este livro pois foi emprestado, tenho alguma expectativa na história... pelo que li no resumo... bem depois de ler eu venho cá dizer se valeu ou não a pena... 

15 de julho de 2014

"A sombra do medo" de R. J. Ellory...


Em Augusta Falls, uma pequena comunidade rural no Sul dos Estados Unidos, a vida nunca mais será a mesma. Um assassino em série anda a semear o terror enquanto deixa atrás de si os corpos mutilados de raparigas pré-adolescentes. Joseph Vaughan, de apenas doze anos, não consegue evitar sentir-se profundamente impressionado com os acontecimentos. Por isso decide criar um grupo com o objectivo de descobrir o responsável pelos crimes. Mas o tempo vai passando, e um dia as mortes param subitamente. Só Joseph continuará a ser perseguido ao longo dos anos pela sombra do que se passou, até ser obrigado a confrontar-se com o pesadelo que lhe roubou a vida.

Posso dizer que é uma história divina, muito boa. Começou assim de uma forma leve até existiu momentos em que me lembrei da minha própria infância, mas depois quando começaram a aparecer as meninas mortas as coisas foram ficando cada vez mais complicadas. Joseph não teve uma vida boa, não mesmo, mas mesmo assim quando já nada fazia esperar ele consegui dar a volta por cima, descobriu quem andava a matar as meninas. Confesso que fiquei surpresa com quem foi, primeiro tudo indicava que teria sido Gunther Kruger mas o fulano mata-se, quer dizer alguém lhe deu o jeitinho, mas como continuaram a aparecer crianças mortas eu cheguei a pensar que poderia ser um dos filhos desse Gunther kruger mas estava tão enganada, quando descobri quem era fiquei tipo "ahh não pode" mas pode, pode, tanto pode que até foi... lógico que não vos conto mais se não se houver alguém que queira ler o livro fica já a saber de tudo. 
Resumindo e concluindo este livro é excelente leiam é muito bom. 

8 de julho de 2014

Sobre a greve dos médicos...

Eu entendo perfeitamente o motivo da greve e essa coisa toda, mas tal como no ano passado por está altura também fiquei sem uma consulta que tinha marcada e que era urgente depois acabei por ter que meter uma "cunha" para ter a remarcação mais rápida, hoje fiquei sem uma consulta novamente que estava marcada desde o início do ano, sinceramente a consulta não me mata muito eu queria era saber os resultados dos exames que fiz a semana passada... enfim vamos esperar pela remarcação. 

7 de julho de 2014

Post chato como a putassa ou putaça...

... não sei, escolham a que quiserem. 
Desde sábado que ando arreliada e chateada, comigo mesma e não só.
Já ando à 3 semanas com muitas dores no corpo, principalmente costas e pernas, arrepios de frio, mal estar, etc, etc. Feita estúpida este sábado resolvi falar com a médica da clínica a ver se me podia ajudar. Se o arrependimento matasse tinha ficado ali esticadinha no mesmo minuto em que abri a boca. "Ah vamos aumentar o peso porque anda com as tensões muito baixas e é por causa disso" disse a médica eu ainda tentei explicar que não tinha nada a ver com as tensões uma vez que apesar de estarem baixas eu tenho me sentido bem no que diz respeito às tensões e até conseguia ir abaixo do peso 400 gramas no fim do tratamento... "não, não, não, e não vamos subir porque eu é que sou a médica e é que sei".
Fiquei f.... mesmo, no seu maior esplendor apeteceu-me mandar dois berros ou até mesmo arrancar as agulhas do tratamento... mas não o fiz infelizmente por uma questão de educação, e calei-me engoli o c... do sapo bem grande, tive vontade de chorar como uma desalmada mas não entupi tudo e continuei como se nada se tivesse passado e assim fiquei até vir embora.
Um dos meus enormes defeitos é quando estou em processo de engolir o sapo... salvo seja... não me "piquem" com merdinhas, pelas almas porque se não eu passo-me da cabeça a sério mesmo e no sábado a senhora que está a fazer tratamento ao meu lado que tem um bocado a mania que sabe tudo e que é uma pessoa muito fixe coisa e tal, começou "ai não vais ficar chateada com isso e tu sempre a dizeres que é a tua médica preferida"... e é  e continua a ser sim senhora... eu só me lembro de lhe dizer "não se meta" e calei-me porque a minha vontade era outra, era perguntar-lhe se ela tem vida própria, que ela devia aprender a não se meter na vida dos outros e que aquele excesso de querer ser tão resmungona ou até mesmo minimamente boa pessoa como eu sou... dependendo dos dias... já me começa a irritar profundamente, pois eu detesto pessoas que dizem uma coisa e fazem outra e que vivem unica e exclusivamente para ficarem bonitas na fotografia... irritam-me e por muito que eu queira disfarçar e até dar outras oportunidades para um convívio minimamente agradável, começam a deixar-me apenas com vontade de pregar um par de estalos ou manada-la aquele sitio, mas não... eu engulo os sapos todos em prol do bem estar e da educação.
Dito isto ando lixada da minha vida com este aumento de peso por parte da doutora e continuo igual ou até com mais dores... mas isso não interessa a ninguém porque eu é que tenho que aguentar com elas.
Resimundo já perceberam que eu estou bem f... e capaz de matar alguém, estou, estou... e mais prometi  a mim mesma nunca mais abrir a boca na clínica a queixar-me do que quer que seja, jamais o voltarei a fazer, quando tombar, tombei. 

6 de julho de 2014

Protesto do dia...

Eu bem sei que existem muitos cantores Portugueses fantásticos, mas também existe muita porcaria por aí, e perdoem-me as fãs e as viciadas mas os Carreira para mim não valem nada. 
E então qual o motivo para estares a falar nos Carreiras... perguntam vocês?
Atão... o Enrique Iglesias têm está música fantástica... primeiro vídeo... com Descemer Bueno, Gente da zona, uma música fantástica que chega a ser viciante e não é que vem agora o tal Mickael que gravou uma versão desta música com eles... segundo vídeo... para mim está horrível, má muito má, e depois vêm para o telejornal dizer que está no nº 1, pois está, está, mas não é por tua causa certamente pois o pessoal gosta é mesmo da versão original... mania está das pessoas quererem estragar as músicas... dass.

4 de julho de 2014

Presentão bom...


Ontem recebi um presente de um senhor que faz diálise comigo, disse que ficou com muitos livros do pai e que não tinha onde os guardar como tal trouxe alguns para mim e para outro senhor que também lê durante a diálise.
Eis a lista:

* "Jubiabá" de Jorge Amado
* "Terras do sem fim" de Jorge Amado 
* "Por quem os sinos dobram" de Ernest Hemingway 
* "Deus lhe pague" de Joracy Camargo
* "Homens e bichos" de Axel Munthe 
* "Terra bendita" de Pearls S. Buck 
* "O amanuense Belmiro" de Ciro dos Anjos
* "Terra de caru aru" de José Condé 
* "Ursina" de José Lins do Rego
* "Os carneiros de fogo" de Pierre Gascar
* "A árvore da noite" de Truman Capote

E pronto são este "meninos" que me vão acompanhar nos próximos tempos... alguém conhece algum? Qual é a vossa opinião? 

3 de julho de 2014

"Guerra e paz II" de Lev Tolstoi...


"Guerra e Paz narra a invasão da Rússia por Napoleão e os efeitos que esse acontecimento teve na vida da aristocracia, dos militares e de toda a população.

Neste romance surgiram algumas das mais perduráveis personagens da literatura de sempre, o príncipe Andrei, Pierre Bezúkhov e a fascinante Natacha Rostova, que se tornaria indispensável para qualquer um deles."

E pronto cheguei ao fim do famoso Guerra e Paz de Lev Tolstoi, foram dois livros enormes mas que valeram muito a pena, bem sei que nem toda a gente acha piada andar com semelhante calhamaço atrás. Propus a mim mesma ler os dois volumes e consegui, além de conseguir fiquei fascinada com tanta informação e com tantas histórias boas. Viajei muito com a a guerra e as lutas de Napoleão e de Kutuzov, pela paixão pela vida da Natacha, pela sua beleza, pela paixão da mesma com o príncipe Andrei, o qual ela "traiu" mas que no final e  infelizmente morreu nos braços dela, da sua vida com Pierre e todas as aventuras do mesmo, da princesa Maria, do seu sobrinho Nikólenka filho do falecido príncipe Andrei que ela mesma decidiu criar e educar com o seu marido Nilolai... e por aí fora, não vou contar mais pormenores se não quem quiser ler já fica a saber demais... resumindo é uma excelente obra que aconselho a leitura, eu sei que custa são dois livros enormes, mas sinceramente valem a pena. 

1 de julho de 2014

Daquelas conversas que ouves sem querer...

Fulana A: Isto está mesmo mau, uma pessoa só em comida e essas coisas gasta um dinheirão, não tenho dinheiro para nada.
Fulana B: Mas olha não continuas a viver em casa da tua mãe?
Fulana A: Ah isso sim é verdade e não pago renda nem nada mas mesmo assim gasto muito dinheiro.
Fulana B: Imagina eu que pago apartamento, comida, água, gás e essas coisas todas, não pensas em comprar uma casa, apartamento, algo teu?
Fulana A: Deves estar maluca, mas olha vamos falar de coisas mais bonitas, então onde vais de férias?
Fulana B: Férias? Nem pensar nisso vamos uns dias até à praia com os miúdos e levamos umas sandes porque não se pode andar a gastar assim dinheiro e tu já não vais a mais nenhum lado pois não? Este ano já foste de férias
Fulana A: Estas maluca? Eu só fui lá abaixo uma semana, agora vamos ao Algarve e ainda não se decidiu o outro sitio.
Fulana B: Vais assim três vezes por anos de férias? Como é que aguentas?
Fulana A: Ai tem de ser eu preciso muito de descansar e ainda assim três vezes é pouco.
Fulana B: ...com o maior ar de pascásia...
Mary pensa: meu Deus do céu tanta crise e tanta necessidade eu até fico mais burra do que já sou ao ouvir estas coisas, juro que sim.