28 de dezembro de 2015

E esse natal?

Espero que tenha corrido bem, por aqui correu tudo bem, recebi muitas prendinhas.
Por aqui continuam as festas ontem foi dia de batizado das filhas do meu primo as gêmeas, foi uma festa muito bonita e hoje daqui a pouco seguimos para o aniversário da minha tia, como se não bastasse quarta-feira temos mais um jantar e na quinta e sexta segue-se a passagem de ano, aliada a tanta festa apanhei uma gripe desgraçada, não aguento o frio, as dores de garganta, corpo e de cabeça, enfim.

21 de dezembro de 2015

O que eu queria mesmo...

... era que não me chateassem muito.
Que deixem andar quieta e sossegadinha no meu canto.
Isto e apenas isto.
É assim tão difícil de compreender?
Caramba, é que as vezes até parece que quero muito mas não é verdade, apenas quero estar em paz e sossegadinha e a única coisa que alguns familiares meus sabem fazer é serem chatos como o raio que os parta.
Uffff, existe gente que é mesmo saturante. 

17 de dezembro de 2015

"Os médicos da morte" de Philippe Aziz...



"Quem não conhece a História está condenado a repeti-la. Setenta anos depois do fim da Segunda Guerra Mundial, a leitura desta obra nunca foi tão fundamental. 
Os Médicos da Morte é um documento histórico consagrado aos horrores da medicina nazi perpetrados durante a Segunda Guerra Mundial. Do contexto social e ideológico que permitiu corromper em absoluto o papel do médico, aos responsáveis no terreno pelos atos mais hediondos, esta é uma obra baseada em testemunhos de sobreviventes, confissões de médicos SS e em milhares de documentos que os nazis não conseguiram destruir antes da derrota final.
Milhares de crianças, deficientes, homossexuais, ciganos, judeus e até alemães dissidentes, prisioneiros de uma ideologia que os renegava da própria condição humana, foram alvo de atrozes experiências médicas com o objetivo aniquilar as raças inferiores ou ajudar no esforço de guerra. Foi o apogeu da crueldade do Terceiro Reich, um delírio científico que choca e repugna. E que deve ser lido para nunca ser esquecido. Os médicos nazis tinham rédea solta para fazer as experiências que quisessem nos campos de concentração. Incineraram, castraram, congelaram, sufocaram homens, mulheres e crianças sem misericórdia. Retiravam órgãos e membros, transfundiam sangue de uns para outros em experiências macabras... este livro prova quão monstruoso pode ser o ser humano."


Foi um livro enorme de ler, não só pelo número de páginas mas sim por tudo o que lá é retratado.
Eu juro que tentei e tento entender estas coisas dos campos de concentração, mas a maldade e o sofrimento que lá se passou faz com que eu não encontre uma unica razão para que possa justificar qualquer um dos atos cometidos lá dentro.
Percebi perfeitamente que quando estes atos macabros foram descobertos, no que diz respeito aos estudos da medicina e de algumas doenças, houve um ligeiro avanço, graças ao sofrimento de muitas e muitas pessoas, mas interrogo-me até que ponto tudo isto possa ter valido a pena.

14 de dezembro de 2015

Em modo de desabafo...

* A minha cunhada, quando acaba de jantar quando aqui vem diz logo... isto as 20:50, por aí... "ah tenho que ir dormir porque amanha tenho que acordar cedo para ir trabalhar"... assim vai sem ajudar nada, aliás isto parece um hotel, é alapar o traseiro para comer e ir embora fica aqui a empregada a cozinhar e a arrumar tudo depois.
Mas se for para ir passear ou andar na ramboia já não tem sono nem se preocupa com o facto de ter que se levantar cedo para ir trabalhar.

* Tenho um primo que mal conheceu uma fulana foi logo viver com ela e com a filha dela, ontem diziam eles que já vão reservar a quinta para 2017 que é quando querem casar... conheceram-se em dois meses foram logo morar juntos e ainda nem tem meio ano juntos e já querem marcar a quinta para se casar... eu já vi esta história com ele e acabou bem antes de fazer um ano que começaram a andar juntos.

* Admiro a capacidade do meu tio que cada dia que passa esta mais burrinhos... sim aquele que inventa umas palavras... não sabe ter uma conversa normal porque desata logo a berrar, nunca percebe nada e passa a vida a inventar palavras novas, nem sabe o que diz ou quer dizer mas pronto enfim.

* Adoro ver e ouvir a hipocrisia que é os jantares em casa da minha tia ao domingo à noite, por acaso aquilo é um circo jeitoso, todos muito amiguinhos e depois andam a levar e a trazer e a falar mal uns dos outros e eu adoro a minha posição que é abanar a cabeça e sorrir enquanto por dentro a minha vontade era que fossem todos com o raio que os parta. 

* Aiiiiiii estou tão saturada dos domingos à noite, de tanta hipocrisia, mentiras e gente falsa, já tive e tenho muita vontade de os queimar a todos mas depois chego à conclusão de que eles vão enterrando-se aos poucos sozinhos, cabe a mim ir vendo a cena sem me chatear muito.

12 de dezembro de 2015

Mais uma série...


Tanto ouvi falar desta série que comecei a ver desde o início e a verdade é que estou um bocadito ... muito... viciada.
Estou a adorar isto, perco-me a ver e até tenho facilitado as leituras pois só estou bem a ver a série.
É viciante e enquanto eu não acabar de ver os episódios todos que estão disponíveis no netflix não á menina para ninguém.

11 de dezembro de 2015

É uma questão de azar...

Resolvi preparar o último croissant que aqui havia, misto, bem quente e tal.
Estou a colocar num prato e eis que chega o meu sobrinho e com aquele ar de guloso diz "também quero, olha madrinha come as tostinhas integrais que te fazem melhor do que isto" fiquei a olhar para ele e disse "que eu saiba entre tu e eu quem esta com peso a mais és tu e não eu, quanto muito posso dar-te metade e ficamos amigos é pegar ou largar" e pronto lá fechamos o negócio.
Andava com a sisma do croissant misto mas preparado por mim e chega-me este marmelo exatamente na hora em que ia dar uma trica, é preciso ter muito azar... muito mesmo.

10 de dezembro de 2015

Sobre as compras de natal...

Acabaram... não tenho que comprar mais nada.
Fiz um orçamento e ao fim apareceram-me mais umas quantas prendas e o orçamento foi à vida... até fico doente cada vez que me lembro do dinheirinho que gastei.
Tenho que perder a vergonha e avisar que para o ano as prendas é só para os mais novos, se não estou desgraçada com a minha vida.

8 de dezembro de 2015

1ª prenda de natal...


Já recebi a minha primeira prenda de natal e confesso que fui apanhada de surpresa, pois não estava à espera.
Um dia destes os meus pais chegaram a casa e deram-me uma saca que continha este livro e disseram "esta é uma parte da tua prenda depois vem o resto" e eu fiquei tipo "ahh".
Gostei imenso de saber que se deram ao trabalho de o ir comprar e que se preocuparam em saber qual era o livro que eu queria, só estes pormenores significam muito para mim.
Assim sendo como podem ver esta declarada aberta a época natalícia... que é coisa que não me faz morrer de amores, muito pelo contrário, faz-me sentir deprimida cada vez que olho para as prendas que tenho que comprar e para o dinheiro que gasto, mas pronto à frente.

3 de dezembro de 2015

E a eleita para 2016 é...


Uma Moleskine...

Andava para comprar uma destas, todos os santos anos dizia é este ano, mas cada vez que olhava para o preço só pensava "deve estar louca para dares tanto dinheiro" e acabava por não comprar, mas eis que este ano, recebi de prenda e como podem adivinhar fiquei toda contente e a babar, por isso daqui a uns dias começo a por lá o monte de consultas e exames que já tenho marcados para 2016.
Aiii... quem me tira a agenda tira-me tudo... (a imagem foi retirada da net)

2 de dezembro de 2015

Ai este frio...

Desde que me lembro existir, nunca tive tanto frio como ultimamente.
Em casa pareço um esquimó com tanta roupa e quando saiu mal me posso mexer com tanta roupa... não sou de usar peças muito grossas, prefiro vestir-me por camadas. 
Uma doutora disse que provavelmente eu estava com muito mais frio porque estava com as defesas baixas, seja lá o que for a verdade é que nunca senti tanto frio como tenho sentido.
Assim de repente para ser sincera só me sinto bem na cama, nem que seja estar lá apenas por estar... isso era uma das coisas que eu nunca gostei estar na cama por estar, mas agora sinceramente se eu pudesse lá estar todo o dia, bem que estava.
Será que sou eu que estou muito friorenta ou existe alguém que esta na mesma situação?

27 de novembro de 2015

Novos vícios...


Narcos é uma série de televisão americana dirigida pelo brasileiro José Padilha para a Netflix. Todos os dez episódios, que compõem a primeira temporada, foram disponibilizados na plataforma de streaming Netflix desde 28 de agosto de 2015.
Uma vez que eu já vi a primeira temporada toda, resta-me aguardar com alguma ansiedade que venham mais temporadas, porque eu fiquei viciada nesta série.



La Reina del Sur também é um dos meus novos vícios.
Fala sobre drogas e essas coisas e uma vez que ando a embarcar neste tipo de séries, se com o Narcos fiquei viciada, nem sei qual a palavra que me pode definir perante a série la reina del sur, é que todos os dias tenho que ver e as vezes dou por ela nos tratamento passo o tempo todo a ver.

Enfim, como é que se diz vícios e manias cada qual com os seus.

26 de novembro de 2015

Das boas notícias...

Hoje fui à primeira consulta depois do internamento.
Amanha faz 1 mês que fui operada.
O médico como sempre estava muito bem disposto e preocupado, teve muito em atenção o facto de eu querer ou não saber o exame final do rim, e eu como sempre gosto que as pessoas me digam as coisas como elas são e que não andem as voltinhas.
Então o rim tinha um tumor e era mesmo maligno, o doutor disse que ao tirarem o rim limparam muito bem a zona, mas que não garantia que pudesse voltar a aparecer qualquer coisa do gênero.
Por enquanto não vou ter que fazer nenhum tratamento por causa disso... graças a deus... mas que temos que ir vigiando com frequência porque pode ter ficado alguma raiz por lá.
Vim embora muito bem disposta e apesar de tudo tranquila... a ver vamos até quando esta tranquilidade vai durar. 

23 de novembro de 2015

Parece impossível...

É que nota-se mesmo que esta a chegar o natal.
Durante todo o ano se o telefone fixo tocar uma dúzia de vezes é muito, mas começando a chegar ao natal não existe quem aguente.
É pedir para o natal dos meninos, dos pobrezinhos, das conferências, para dar para isto e para aquilo, depois é as campanhas da nós, do meu e do raio que os parta a todos,
Pelas almas, não existe paciência para tanto, que fique registado que hoje são 23 de Novembro, que daqui ao natal vai ser lindo... vai, vai.

20 de novembro de 2015

19 de novembro de 2015

Valha-me Cristo...

A minha tia cada vez que vem cá a casa é menina para me deixar com os neurônios desnorteados, com tantas queixas e pieguices.
Confesso que até fujo para ir tomar banho que é para não abrir a boca para não sair asneira.
Dass..

17 de novembro de 2015

Vantagens de estar num hospital...

Primeira é que lá dentro esta sempre quentinho, as vezes até é quentinho de mais, depois quando uma pessoa chega cá fora e apanha este frio até dá vontade de chorar.
Segunda, emagrecer, com aquela comidinha que lá dão uma pessoa perde logo o apetite de comer, em 20 dias consegui emagrecer quase 1.5kg e isto que eu cheguei a pedir sopinha de casa porque se me tivesse limitado a comer só o que me davam talvez tivesse chegado aos 2kg.
Como podem ver nem tudo é assim tão mau, quando se está internada.

13 de novembro de 2015

Voltei...

Finalmente, estava difícil de me deixarem sair do hospital, houve lá para o meio uns problemas bem maus.
Nada como a nossa casa, o ar puro e a comidinha de casa, maravilha, até faz uma pessoa sentir-se nova.
Obrigado a todos pelas mensagens e pelo carinho.
Vou tentar atualizar o blog e ler os vossos.

26 de outubro de 2015

É amanhã...

Logo as 8h que vou ser operada, dizem "eles" que sou a primeira.
Ando aqui a fazer-me de muito forte mas a verdade é que estou completamente borrada  (desculpem o termo  mas é para ficarem a entender bem)... de medo.
Era suposto que ao fim destes anos todos este tipo de coisas já fossem indiferentes mas na realidade acontece precisamente o contrário.
Gosto de ir sempre a acreditar que vai ser fácil e que vai correr tudo muito bem, mas o meu passado recente teima em mostrar que não é assim tão fácil.
Vamos lá ver, depois quando tiver acesso às tecnologias digo como correram as coisas.
E obrigada a todos pelo apoio que me têm dado...
Beijinhos

23 de outubro de 2015

Nem sei o que sinto...

Fugi... fugi o mais que pude para adiar a operação e fui literalmente apanhada na esquina.
Disseram que tinha que vir hoje cá buscar um kit pré operatório e pumba, apanhara-me enfiaram-me cá  dentro.
Diz o médico que a operação está marcada para terça-feira... e avisarem antes não?... e que eu tenho que ficar a fazer uma medicação antes da operação uns dias.
Lá consegui convencer o médico a deixar-me ir a casa buscar as minhas coisas e voltar.
Aqui estou eu neste quarto um pouco... bastante... degradante... é favor as paredes estão a cair, tudo esmurrado, tudo encaixados ao improviso é triste ver um hospital neste estado.
Mais triste é saber que ainda vou ter uma estadia um pouco prolongada demais para o meu gosto.
Ahhhh vida deprimente, nada ajuda, quarto a cair, televisão só com a rtp1 e algures uma bactéria perdida pelo hospital, que faz o horror dos doentes, principalmente os meus... é suposto virmos para ficarmos curados não apanhar mais vírus.
Hoje vi muita gente a pedir para adiar a sua operação com medo da famosa bactéria.


22 de outubro de 2015

Para burro, burro e meio...

No outro dia na clínica foi mais uma vez um rebuliço por causa da televisão.
Uma senhora do meu turno chega lá, manda por a televisão no canal que quer ver (filme... repetidos mas não importa, filme) e eu nem a minha boca abro porque estou ou a ler ou no tablet... pois bem para quem é que sobrou??? Exatamente para mim que não tenho nada a ver com o assunto. 
O fulano começou a mandar vir comigo como se não houvesse amanha, como se fosse eu que tivesse pedido para mudar de canal.
Fiquei lixada, não minto porque a pessoa responsável por aquele barulho todo calou-se caladinha e nem a boca abriu.... e eu posso ter muitos defeitos... muitos mesmo... mas eu sou incapaz de deixar alguém ser acusado por uma coisa que a pessoa não fez.
No dia a seguir fiz questão de explicar ao sujeito que eu NUNCA pedi para porem em nenhum canal, que para mim tanto  faz como me fez a televisão e que ele tinha sido mal educado e que eu não tolerava isso.
A  coisa ficou parece que o fulano entendeu a mensagem, mas pelo sim pelo não de forma a não existir a minima provocação e de forma a não me chatear, sempre que vai dar bola, antes 5 a 10 minutos coloco os fones mesmo que desligados que é para ninguém me chatear.
Tenho a dizer que até agora tenho tido bons resultados, não aturo tolos, paciência, já a minha avozinha dizia que para burro, burro e meio.

20 de outubro de 2015

Anda tudo com pressa ou que????

Hoje desejaram-me um bom natal e um bom ano.
É impressão minha ou anda tudo com vontade que chegue o natal?
Euzinha dispenso bem, sinceramente.

(Ah hoje não faço formatações porque isso neste "bicho" da muito trabalho... lool...)

15 de outubro de 2015

Existem mulheres...

... que são um verdadeiro ninho de cobras.
Em vez de se ajudarem só estão bem a queimar-se umas ás outras... tenho visto cada coisa na clínica que as vezes dou por mim a pensar em como é que é possível as pessoas serem assim tão reles umas com as outras.
Pela frente é só sorrisinhos e depois é só veneno, quase que se matam umas as outras quando cada uma tem o seu lugar, mas o que eu gosto mais são aquelas que dizem "ah emprestei dinheiro a fulana e ela não me paga vês e vai de férias x vezes, mas não digas nada pelo amor de Deus" a única coisa que eu sei responder é "oh por favor eu quero lá saber".... e depois vai-se a ver e no frente a frente são tão queridas e fofinhas uma com a outra.... benza a Deus.
A sério que existe necessidade de fazerem estas coisas? 
Eu bem percebo que querem me meter ao barulho por tudo e por nada mas ultimamente e cada vez mais eu não quero saber de problemas, já problemas tenho eu que chegue na minha triste vidinha.
É bem verdade que mulheres com mulheres são umas autenticas cabras... por exemplo a minha ex colega de trabalho também era um rico traste... e sim eu sei que existem raras exceções. 

14 de outubro de 2015

As pessoas abusam da bondade...

Acabo de chegar do hospital de Gaia.
Vinha a sair e uma senhora com uma mascara e com um aspecto terrível, diz-me que pediu que lhe fossem buscar alguma coisa para comer, mas que ninguém trouxe nada.
No início fiquei a olhar mas pronto, cedi diz ela "quero um croissant com manteiga e uma pepsi natural" eu confesso que tive uma vontade louca de me passar da cabeça, quer que lhe pague o pequeno almoço e ainda exige o que vai comer, eu tinha acabado de ir comer e comi um pão com manteiga e bebi descafeinado e não morri, mas lá fui eu buscar, chego ao pé da senhora e diz ela  num tom que não me agradou minimamente "ah vai buscar um copo" e eu respondi "não vou buscar copo nenhum que eu trouxe uma palhinha se quer copo vá lá a senhora busca-lo" olhou muito séria para mim e disse "ah agora vou ter que ir a pé até à Madalena porque não tenho dinheiro para ir de transporte" aí sim saltou-me a tampa "a senhora não acha que esta a abusar, escolhe o que quer e lhe apetece para pequeno almoço, vou buscar, pago, a senhora começa a mandar vir que quer um copo e agora diz que não tem como ir embora, o que quer que eu lhe faça olhe diga-me lá?"... "quero dinheiro" e eu a tentar manter-me calma... coisa que estava a ser difícil respondi "isso já não é problema meu, e veja se aprende a pelo menos dizer um obrigado as poucas bestas como eu que podem cair na sua cantiga e ir buscar comida para a senhora comer" e lá começou ela "ah mas eu tenho sida e tenho mais não sei o que" e eu comecei a caminhar e disse "ta ta bem, não quero saber disso para nada" e dois passos à frente arrependi-me amargamente de ter ido gastar o meu dinheiro no raio do croissant com manteiga e na pepsi, porque nem um simples obrigado tive direito e ainda por cima estava a fazer-me de estupida e a querer que me sentisse culpada por não ter como ir embora... coisa que simplesmente não é problema meu... mais um bocadinho e estava  a pedir para lhe ir pagar uma mariscada ao almoço.
Uma coisa é certa não vou cair mais nesta, quer comer, um pão com alguma coisa e beber leite ou cafe tudo bem, eu pago, agora assim a fazer exigências e a ser mal educados é que não vamos a lado nenhum.
Com ar de alerta estava a minha mãe a assistir a isto tudo e que no fim comenta "eu se não estivesse a assistir a isto nem acreditava" ao que eu disse "nem eu".
Tudo se quer e como em tudo na vida as pessoas têm que saber ter limites, porque depois por uns pagam os outros, como é costume.

9 de outubro de 2015

O José Rodrigues dos Santos...


.... tem um novo livro...
Ah pois é recebi ontem a novidade através de e-mail da wook ... está em pré-lançamento, sai dia 22/10... e como é lógico, eu viciada nos livros do homem, já sei que vou ter que o ler, no que diz respeito a isso não vai haver dúvidas. 
Estou desgraçada com tantos livros que quero ler... a ver vamos se arranjo um patrocínio do meu pai para o livro lolol.

8 de outubro de 2015

Já o outro dizia...

... que quanto mais prima mais se lhe arrima... vai-se lá saber as tantas é mesmo verdade, upa, upa.

7 de outubro de 2015

Qual é o problema mesmo???

Eu sou daquelas pessoas que não tem um tipo de leitura definido, gosto de ler qualquer coisa.
Quando saiu o livro "Os médicos da morte" de Philippe Aziz, disse logo que queria ler, porque tinha alguma curiosidade, mas começaram logo "ah não devias, não agora que estas na situação que estas", "é um livro muito pesado para o momento que estas a passar"... a sério????? Brincais, pois claro não vejo outra interpretação possível. 
É pesado??? É sim senhora tem, tem 845 páginas.
É um tema forte??? Sim é, e daí.
Oh deus deixe-me ler o que eu quero, como quero e quando quero, que mania que as pessoas tem de se meter onde não devem, até no que devo ou não ler se metem, arre...

6 de outubro de 2015

Já foste...

Então não é que ontem recebi um telefonema de uma associação em que sou sócia e que não ajudam em nada de nada a dizer que não tinha pago as quotas. 
Qual o meu espanto porque me lembro perfeitamente que as paguei, o valor a pagar era de 12.00€ e eu paguei 30.00€, dei um pequeno donativo... cada um ajuda na medida do que pode, penso eu.
A senhora um pouco exaltada faz questão de dizer "que pensava que era só um donativo e que iria pagar mais os 12.00€" ao que eu lhe respondi "a senhora não leve a mal mas da minha vida sei eu, por acaso deve ter muita gente a dar grandes quantia para estar a falar assim comigo" ao que ela me responde "ah não sabe as pessoas só pagam os valores das quotas infelizmente que são os 12.00€ e apenas isso" e eu lá continuei "então esta ligar-me a chatear-me a cabeça porque? Eu dei 18.00€ a mais porque é o que eu posso dar neste momento... que bem falta me fazem para outras coisas mas pronto à frente... e a senhora tem a lata de me ligar a consumir a paciência"... "ah desculpe lá menina, realmente tem razão".
Aiiiii f...... aparece cada postal, isto contado ninguém acredita, a minha mãe que estava ao lado até ficou muito séria a olhar.

5 de outubro de 2015

Sobre as eleições...

"caredo" como diria o jesus.... tanta abstenção... não tiverem 5 minutinhos para ir votar??? É que eu, por exemplo, nem 5 minutos demorei a votar.
Agora vinde reclamar.... tendes um direito desgraçado de andarem aí todos revoltados.

1 de outubro de 2015

30 de setembro de 2015

No limite...

A minha paciência anda mesmo no limite, ontem tive uma mini amostra do cansaço  que tenho andado a juntar... chorei e quase sufoquei de tanto chorar nem conseguia respirar, tudo isto na clínica e durante o tratamento... será que as pessoas não conseguem entender que estou cansada? Que não tenho que levar com as culpas do que os outros fazem? Eu também sou humana caramba, tenho os meus limites, não tenho que andar com meio mundo em cima de mim como tem acontecido ultimamente, sinto-me cansada e fraca e o meu maior medo é que quando for operada este meu excesso de cansaço não me vai dar força suficiente para ter uma recuperação minimamente boa, confesso que até tenho algum receio, vá lá medo, muito medo, mas não as pessoas continuam a achar que eu tenho que carregar com tudo e eu não consigo, estou praticamente no meu limite, no fim mesmo. 

23 de setembro de 2015

Bem vindo Outono...


Mas vê lá se não vens com as tuas gracinhas tipicas... alergias e essas coisas, que não são necessárias... aparece simplesmente e vai dando o arzinho da tua graça que é o suficiente.

21 de setembro de 2015

É daquelas merdas...

Uma pessoa tenta ajudar os outros, faz tudo e mais alguma coisa e depois vai-se a ver e as pessoas que queremos ajudar deixam-nos ficar mal, muito mal mesmo.
Tenho muita pena mas nunca mais levanto nem uma palha por essa gente. 

20 de setembro de 2015

"A rapariga de Auschwitz" de Eva Schloss...


"É um relato de uma sobrevivente ao Holocausto e da sua luta para viver consigo mesma depois da guerra, uma homenagem a todas as vítimas que não viveram para poder contar a sua própria história e um esforço para assegurar que o legado de Anne Frank jamais seja esquecido. Eva foi feita prisioneira pelos nazis no dia do seu décimo quinto aniversário, tendo sido enviada para Auschwitz. A sua sobrevivência dependeu de inúmeros pequenos golpes de sorte, da sua determinação e do amor e da protecção da mãe, Fritzi, que foi deportada juntamente com ela. Quando o campo de concentração de Auschwitz foi libertado, Eva e Fritzi iniciaram a longa viagem de regresso a casa. Procuraram desesperadamente o pai e o irmão de Eva, dos quais tinham sido separadas. Meses mais tarde receberam a trágica notícia de que os dois haviam sido mortos. Antes da guerra, em Amesterdão, Eva tornara-se amiga de uma jovem chamada Anne Frank. Embora os seus destinos tivessem sido muito diferentes, a vida de Eva iria ficar para sempre estreitamente ligada à da amiga, depois de a sua mãe, Fritzi, casar com o pai de Anne, Otto Frank, em 1953."

Não tenho muito a escrever sobre este livro, apenas que gostei imenso e também fiquei um bocadinho chocada com tudo o que passaram.
Até aos dias de hoje não tinha grande conhecimento sobre os campos de concentração e sobretudo o quanto as pessoas sofriam.
Acho que não consigo escrever muito mais... sinto-me tão cansada que até o simples facto de escrever no computador dá cabo de mim. 

11 de setembro de 2015

Auschwitz...

Tem sido um tema que me tem despertado alguma curiosidade.
Tenho lido bastantes coisas sobre o que se passou nos campos de concentração, do sofrimento das pessoas, do que eram obrigadas a fazer e como muitas tiveram um final horrível. 
Recentemente numa das livrarias do Porto puseram uma montra apenas com livros sobre Auschwitz... a verdade é que não sabia grande coisa sobre o assunto, por lapso meu, por falta de conhecimento sobre o assunto, nunca tive grande noção do que tinha acontecido, até começar a ler o livro "A rapariga de Auschwitz".
A partir do inicio da leitura e de várias pesquisas sobre o assunto, incluindo a grande reportagem do Daniel Oliveira com o Henrique Cymerman em Auschwitz fiquei além de chocada interessada neste tema e pretendo, sinceramente, ficar a conhecer melhor o assunto.
Alguém... que já não me recordo quem foi... aconselhou-me a ler "Os médicos da morte", dizem que é forte a nível de história mas que é muito bom, pois bem esse será o próximo livro a  comprar e a ler.
Sei que é um livro enorme 816 páginas, mas a verdade é que tenho muita curiosidade mesmo sabendo que pode ser muito mau tudo o que lá vem escrito.

9 de setembro de 2015

Coisas da vida...

Tem um senhor que ontem entrou para a clinica que se  chama Tibúrcio.... ah ah ah ah ah... ficamos todos com vontade de rir mas ninguém se manifestou... eu cá confesso que me dá vontade de rir, é que eu comecei a conhecer o nome de "Tibúrcio" com as anedotas do Fernando Rocha e este senhor não tem nada a ver com as anedotas, primeiro não é de raça negra e segundo não tem o minimo sentido de humor e sim uma tromba enorme, é por isso que ainda me dá mais vontade de rir... é daquelas coisa, olho para o homem e não consigo continuar com a minha postura mais séria.

2 de setembro de 2015

Setembro e as más notícias...

Primeiro dia de Setembro e uma pessoa começa logo a receber más notícias a nível de saúde... enfim... revoltinha de merda que eu sinto.

31 de agosto de 2015

Mulher quando vai para estas lojas fica pior que a crise na Grécia...


Gasta-se um dinheirão, mas verdade seja dita é bem empregue.
Que hacer... não se pode ter tudo na vida... ao tempo que andava para ir a estas coisas onde as meninas aconselham o tipo de soutien mais adequado... vai daí se fosse só os dois soutiens não tinha sido uma desgraça tão grande mas não traz mais as cuequinhas para fazer o conjunto, traz mais o perfume porque cheira bem e o que vale é que não me deixei entusiasmar mais com a menina que ela já ia nos pijamas, na roupa... dass um pessoa entra em falência em minutos se se descuidar muito.

27 de agosto de 2015

Quase que nem durmo...

Desde o dia 19 deste mês que passo a vida a levar a minha mãe à fisioterapia, ao Porto. 
E arranjar lugar para estacionar?
É difícil como o raio, por isso tenho que me levantar todos os dias por volta das 06:05... e deito-me o mais tardar as 23:10, como venho do tratamento por volta das 22:20 é trocar de roupa, comer alguma coisa leve e deitar logo... para poder chegar lá e ter um lugarzinho para por o carro... lá está que ela só começas a fisioterapia as 08:30 e só vimos embora por voltas das 10:35, como podem ver apanho uma seca daquelas que até fazem doer a alma.
Levo comigo, livro, tablet... para pintar porque não tem net, levo lanche porque como tomo o pequeno almoço por volta das 06:20 por volta das 09:30/35 começo a ficar com fome, além disto tiro também um ronco, não lá muito confortável, porque tentar dormir num smart é sempre uma aventura e assim vou matando as horas que lá estou.
Com tudo isto tenho os meus tratamentos, uns problemas novos para juntar à festa e consultas logo ando tipo zombie, cansada, meia deprimida, chata, insuportável e por aí fora... tentem compreender ninguém é de ferro muito menos eu.
Eu só queria um bocadinhinho de paz, sossego, descanso, coisas desse gênero, mas está difícil para carago ter alguma destas coisas.

23 de agosto de 2015

Dos meus vícios...

Adoro ler... isso vocês já sabem... e umas das coisas que faço sempre antes de começar a ler um livro pela primeira vez, é ler exatamente a última frase desse livro, apenas e só a última..

17 de agosto de 2015

Aquele momento...

... em que abres o exame para veres o resultado em que tu estas confiante que vai estar tudo bem e de repente começas a tremer e a cair as lágrimas, nesse momento parece que tudo deixa de ter sentido e a única coisa que te passa pela cabeça "que mal fiz eu?... Porque? Porque a mim outra vez?" e ficas sem resposta... nada nem ninguém é capaz de te responder a estas perguntas.
A única coisa que me tem passado pela cabeça é que a vida é uma puta... uma grande filha da puta.

14 de agosto de 2015

Louca ando eu...

... por esta música, já a conheço à muito tempo, mas ultimamente tem estado muito presente na minha cabecinha, enfim... pancas.



13 de agosto de 2015

"Cidade inquieta" de Brian Freeman...


"Estamos em Las Vegas, uma das cidades mais místicas do mundo, famosa pelo esplendor dos seus casinos quando ocorrem dois crimes, aparentemente sem relação entre si. Os três detectives Strider, Serena e Amanda, um transsexual, são chamados a investigar o atropelamento de uma criança e o assassínio de um homem, herdeiro de uma grande fortuna. Ninguém poderia imaginar que estes actos públicos devastadores estivessem ligados a um crime brutal ocorrido no passado e que a corrida contra o tempo para descobrir um serial killer iria desenterrar segredos enterrados com os mortos. Quando os detectives passam à acção no terreno não têm a mínima ideia do que os aguarda: um mundo onde a ambição não tem limites, onde não há regras e onde as suas próprias emoções e desejos irão culminar numa conclusão explosiva. Chocante, com muitas reviravoltas e uma boa descrição das personagens, é um policial trepidante que mantém o leitor atento até ao fim. O livro anterior - Segredos Imorais - foi publicado em 46 países, em 17 idiomas diferentes e venceu prémio Macavity para melhor primeiro livro."

Foi um livro surpreendente, não conhecia este escritor mas vou ficar mais atenta aos seus trabalhos pois adorei a maneira como escreve e nos faz ficar agarrados aos próximos acontecimentos.
Gostei das personagens e das suas ligações, houve momentos inesperados em que eu estava a contar com uma coisa e ele muda logo tudo... eu adoro essas coisas, porque tenho a mania de imaginar o que vai acontecer e de repente o escritor troca-me as voltas.
Enfim... é um livro excelente.

12 de agosto de 2015

Ah ah ah faz hoje 25 anos...

... que levei um enfardamento do meu pai... tinha eu 5 anos e segundo consta era uma rica peste, não é que hoje em dia seja muito melhor mas pronto... porque não queria tirar fotografias no casamento do meu primo e era menina das alianças... que hoje faz 25 anos de casado.
É daquelas coisas que não se esquece, pior que isto tudo é teres que ir às bodas de prata... a data ficou bem marcada lá isso é verdade.

10 de agosto de 2015

Não me lixem...

Já à algum tempo que ando a ver a cena e a topar o cenário.
Uma senhora que anda na clínica desde o início do ano, acha que eu tenho que concordar com tudo o que ela diz e dizer amém... mas eu não sou assim, se essa não for a minha opinião, não é, santa paciência eu não tenho que andar a dizer sim, sim a tudo só para agradar as pessoas, era só o que me havia de faltar.
Pior que esta merda toda é o facto da fulana ficar com uma tromba do carago e durante uns dias anda com aquele ar empedernido e nem fala... por acaso é daquelas coisas que me fazem uma falta do carago, não quer falar não fala, eu gosto de falar com todos, mas não me vou rebaixar só porque ela acha que tenho que concordar com tudo, e era.
Detesto gente assim que acham que o mundo gira todinho à volta delas... sai-te c...
 

7 de agosto de 2015

O que eu gostava mesmo...

... era de ir para uma ilha, deserta, sozinha... e uns quantos livros e um frigorífico recheado de coisas boas para comer... apenas isso, mais nada de nada.
Afinal como podem constatar não peço muito coisa, é algo bem simples... mas impossível de acontecer.

6 de agosto de 2015

Ironia da vida...

Não é que estes dias vim aqui toda feliz, coisa e tal e que andava muito bem e que estava contente e por isso e não é que no domingo tive que ir para a urgência, estive lá toda a tarde e metade da noite... ahhh ironia do c... mesmo não existe outra palavra que possa substituir esta.
O sistema de urgência do hospital de Gaia cada vez esta pior.
E se me sinto no direito de elogiar a equipa de obs da medicina que são super simpáticos e trabalham muito bem,  já não posso dizer o mesmo da equipa da cirurgia os enfermeiros e os médicos de lá têm todos um ar de frete e de arrogantezinhos de caca mesmo... até me deu vontade de os abanar a ver se acordavam para a vida, vê-se mesmo que estão lá a trabalhar como se estivesses com uma pistola apontada à cabeça.
É bem verdade que existem pessoas que têm vocação para serem médicos e enfermeiros, outros parece que caíram lá de para quedas e não querem saber nem têm raiva de quem sabe.
Ahhhh vida, deprimente.

31 de julho de 2015

Faz hoje 2 anos...

... que eu fui operada ao coração, a primeira vez no meio de alguma aflição e sofrimento, no dia 5 de Agosto foi a segunda operação. Duas operações seguidas e muito sofrimento e um sorriso cada vez que me lembro do que me disse o médico que me operou "caramba miúda quase que "escorregavas" de vez mas nós não deixamos".
Se à dois anos alguém me tivesse dito que eu ia estar assim como estou hoje em dia, bem com certeza que não iria acreditar.
Foi sofrimento a mais, lágrimas, dores, receio, dificuldades, nos primeiros tempos chorava sem parar porque não via melhoras nenhumas, continuava a sofrer dia atrás de dia, graças a Deus as coisas começaram a endireitar e hoje olho para trás e vejo que esse sofrimento não foi em vão, que afinal valeu a pena tudo o que passei.
Hoje olhando para trás, consigo ver as diferenças e as batalhas que fui vencendo, perdi 14 kg, não tenho tanta falta de ar, apesar de não poder exagerar nos esforços, adquiri hábitos de vida mais saudáveis e melhor que isto tudo, sinto-me bem, bem melhor do que andava antes de ser operada.
Sigo os meus tratamentos, consultas, control de sangue, tudo direitinho, não suporto pensar que possa ter que voltar ao hospital, ganhei uma espécie de medo,... isto é piadético para quem anda no hospital desde os 10 anos mas é verdade... alergia ao hospital e às urgências, uma das minhas médicas diz com frequência "aquilo é que foi um susto jeitoso, quem diria que tu agora até tens medo de ir ao hospital" eu sorrio e digo "nada disso" e ela diz "se eu não te conhecesse"... costumo dizer, não é medo, é receio.
Não quero por nada deste mundo voltar a passar o que passei e o que estiver ao meu alcance para não chegar a tal situação eu irei fazer... quer dizer eu nunca tive culpa pelo que aconteceu, se aconteceu foi porque tinha que ser, pelo menos penso assim.
Então um brinde a mim por não ter "escorregado de vez" e ainda cá estar a meter algum nojo ;) 

30 de julho de 2015

Realidade...


29 de julho de 2015

Só no final de Setembro, menina...

Vi estes dias que ia sair o livro IV da trilogia millennium, que se chama "A rapariga apanhada na teia de aranha", e como gostei imenso dos outros pensei logo quero já ler este, mas depois é que percebi que ele só sai no dia 29/09 e fiquei  a modos que meia deprimida... mas quando sair vou ler isso não existe qualquer dúvida.
Alguém já leu os livros anteriores, "Os Homens Que Odeiam as Mulheres", "A Rapariga que Sonhava com uma Lata de Gasolina e um Fósforo" e "A Rainha no Palácio das Correntes de Ar", eu adorei os três livros e já cheguei a ver o filme dos dois primeiros, na verdade nem sei se saiu em filme o terceiro livro... daqui a pouco até vou investigar isso. 
Gostaram dos livros das trilogias ou dos filmes? 

28 de julho de 2015

"Ponto de origem" de Patrícia D. Cornwell...


"Kay Scarpetta, médica-legista chefe da Virginia e protagonista de eleição desta senhora do thriller, regressa em mais um episódio da sua luta contra o crime. Alguém com quem tinha privado durante um certo tempo no seu passado (ver «A Quinta dos Cadáveres», Colecção «O Fio da Navalha», nº11), e que afinal se tinha revelado uma perigosa e astuta serial killer, volta a ensombrar a vida da médica-legista. Agora internada numa instituição psiquiátrica, e passados cinco anos, Carrie envia uma mensagem críptica, cujo ameaçador significado a investigadora e o companheiro, Bentley, captam plenamente. Patricia D. Cornwell atinge o seu melhor no tratamento do factor complexidade das personagens e na mestria com que entrelaça o enredo policial com as histórias pessoais. Uma série de estranhos crimes mascarados por fogos postos revelar-se-á como um cerco tenebroso que se aperta em torno de Scarpetta e daqueles que ela mais ama, culminando tragicamente num dos acontecimentos mais dolorosos da sua vida. A qualidade muito própria da escrita de Cornwell invade de forma empolgante toda a narrativa, criando situações cheias de vivacidade que resultam fortemente apelativas para o leitor. «Ponto de Origem» reconfirma uma escritora já mundialmente consagrada, dando-nos a medida da sua capacidade de transcender os limites do género e criar um retrato genial do lado mais obscuro da natureza humana."


Finalmente acabei de ler o livro, gostei mas não foi nada por aí além.
Na minha opinião o livro "embrulha" muito a história e depois assim de repente acaba, daí eu ter demorado mais tempo a ler.

27 de julho de 2015

Não acredito...

... naquelas pessoas que "mudam" do dia para a noite, é tudo muito repentino, tudo muito forçado, ninguém consegue mudar tanto assim de repente, não me venham com histórias.

24 de julho de 2015

A incompreensão das pessoas...

Nem acredito que ainda existem pessoas que são capazes de me deixar a olhar e a pensar "não é possível".
Ontem fui fazer um exame ao hospital um tac e qual o meu espanto quando me deparo com gente tão tapada e egoístas que não conseguem compreender que se entra alguém da urgência com pulseira cor de laranja que tem prioridade sobre quem esta com o exame marcado.
Mas e as pessoas entenderem isto??? É difícil... fiquei sem perceber se fazem de proposito, se são tapadinha e ao fim de 5 ou 6 explicações da mesma coisa continuam a bater na mesma tecla ou se simplesmente são arrogantes ao ponto de não quererem entender e só saberem mandar vir.
É cansativo... depois dizem que o pessoal que trabalho nos hospitais são estes e aqueles, as pessoas abusam da paciência até de um santo.
Uma miúda arrogante do pior que já vi em toda a minha vida... que para ser sincera até me deu vontade de a abanar e lhe pregar um belo par de estalos pelo excesso de arrogância e falta de educação... tratou o senhor da secretarias as auxiliar e até mesmo a responsável pelo serviço de radiologia pior que sei lá o que porque o pai já é idoso e estava à 6 horas sem comer e que ninguém o ia passar à frente independentemente se tinha ou não pulseira de que cor fosse e viesse da urgência... mas passaram e muito bem se são casos de urgência tem todo o direito de o fazer, afinal de contas as regras são essas.
Outra foi ter com uma senhora que estava lá com o filho a rapariga trabalha no hospital e o filho estava com pulseira laranja, a rapariga não podia cumprimentar as pessoas conhecidas que lá trabalham que o raio da outra fulana levantou-se veio ao pé dela e disse "a que horas tem o exame marcado, diga que quero saber, diga" e eu ao lado sentada só pensava "ai f.... isto é só tolos" a rapariga que estava com o filho educadamente disse que o filho tinha pulseira laranja... coisa que nãos e via porque o rapaz estava de casaco e que depois o tirou o casaco e verificou-se isso mesmo... a rapariga pediu à funcionária que fosse explicar à senhora como funcionava e a pobre funcionária pela milésima vez explicou tudo do início.
Ai senhor esta falta de compreensão, esta mania de armarem um chiqueiro por tudo e por nada é daquelas coisas que me faz uma confusão do c... é que quando as pessoas devem falar calam-se muito bem caladinha e por outras coisas sem sentido armam logo uma tenda.
Aquilo é saturante desconfio que se tivesse no lugar dessas funcionárias/os, me parava o cérebro e me passava da cabeça, é que repetir sempre a mesma coisa, cansa e torna-se chato.
Parece mentira mas é verdade o ser humano as vezes é irritante.

20 de julho de 2015

Finalmente...

... ao fim de 20 anos consegui ceder ao receio, ao frio, a essas coisas todas e tomar banho no mar de Espinho, quem conhece sabe que habitualmente a água esta sempre gelada, mas ontem não, até estava agradável e pronto lá fui eu.
Foi com o meu irmão, o meu sobrinho, o T. e as minhas miúdas a J. e a S... foi engraçados vê-los parecem criancinhas dentro de água super felizes, uns perfeitos patinhos.
Quando voltei para a toalha para me secar deu-me uma espécie de melancolia dos tempos em que era mais nova e não havia água fria, estava sempre ótima e que se viam desgraçados para me tirar de lá... ai saudades desses tempos.

17 de julho de 2015

A minha grande vontade era...

Mandar algumas pessoas que conheço ao raio que as parta.
Existe gente que abusa da paciência e boa vontade dos outros e ultimamente é isso que tenho sentido... usam e abusam do que ainda restam da minha paciência.
A minha vontade era encarar as pessoas em questão, mas estou numa fase... dizem que a culpa é dos trintas... em que respiro fundo e tento não dar valor nenhum à cena, o problema é que vou acumulando tipo saco do lixo e por não querer falar nem me chatear, começo a ganhar "sisma" se assim se pode chamar a essas pessoas, ou seja, faço tudo para não as ver, não ter que falar com elas... tudo o possível para não me chatear... uma pessoa bem quer andar na onda do relaxamento, mas tem que vir sempre umas pragas estragar as coisas.
Tem dias que é complicado, muito complicado, mas que dava vontade de enfiar umas quantas pessoas num contentor e envia-las para o fim do mundo só com bilhete de ida, ai isso dá.

16 de julho de 2015

Sobre o fim de semana...

Pois na sexta feira lá fomos jantar ao Sushi&Douro... é só clicarem no link... e aquilo não é bom, é excelente, desde o sushi... também tem outros tipos de comida sem ser sushi... que estava delicioso, passando pelas instalações que são muito bonitas ao atendimento que é excelente, muito simpáticos e prestáveis, fiquei a adorar.
Depois na sexta também começou a festa das tasquinhas aqui na terra, foi sexta, sábado, domingo e segunda... graças a deus que já acabou.
De resto tenho andado um bocadinho ocupada, daí não aparecer por aqui.

9 de julho de 2015

Este ano não me esqueço...

Que amanha faz 4 anos que começamos a andar... eu e o T... todos os anos nunca me lembro de nada, mas este ano não me vai escapar.
Geralmente as mulheres é que decoram as datas disto e daquilo, mas infelizmente não é o meu caso... eu sei é deprimente mas é a verdade.
Por isso amanha ao fim do dia vamos jantar e tentar este ano, porque os outros anos todos eu falhei, tornar este dia um dia especial e diferente, a ver vamos, como as coisas vão correr.

8 de julho de 2015

"Apenas um olhar" de Harlan Coben...


"Dos Estados Unidos chega um novo policial do consagrado Harlan Coben. Vencedor dos mais prestigiados prémios literários e aclamado mundialmente pela crítica, Coben é um autor de referência no género. Grace Lawson recupera um antigo álbum de fotografias de família mas subitamente depara-se com um retrato tirado há vinte anos atrás em que se vislumbram cinco pessoas. Grace não reconhece ninguém à excepção de um homem muito parecido com Jack, o seu marido. Intrigada, mostra o retrato a Jack que imediatamente nega qualquer semelhança. Nessa noite, Jack desaparece sem deixar rasto durante vários dias levando com ele a fotografia. Após a recusa de ajuda por parte dos vizinhos e da polícia, Grace inicia uma viagem pelo passado, a única forma de recuperar o marido. Pleno de suspense, acção e intensidade é uma obra que agitará o universo dos leitores."

Sobre este livro posso dizer que foi uma enorme surpresa, nunca tinha lido nada do Harlan Coben o que me fazia estar um bocadinho com o pé atrás, mas logo nas primeiras páginas deixei esse receio para trás e deixei-me levar por esta história agitada e louca.
Gostei imenso, fiquei com imensa curiosidade para voltar a ler mais qualquer coisa deste escritor.
Se pensam que este livro é daqueles que a gente esta a ler e vai no meio e já consegue quase "adivinhar" o final esqueçam isso, é que o fulano não deixa que se perca o ritmo e o entusiamo do enredo e o final não é assim tão previsível como possa parecer, muito pelo contrario deixa uma pessoa de boca aberta a pensar "não pode ser", mas pode sim.... agora é que pode.

6 de julho de 2015

1º dia de praia...

Fugi do sol o máximo que pude, coloquei protetor solar 50+ não sei quantas vezes... porque eu sou branquinha e também não devo de apanhar grande sol, ordens médicas... e alguém consegue imaginar onde é que apanhei um escaldão daqueles sérios?
Nos pés... ora nem mais, nos pés, e que fique explícito que estive com os pés semi enterrados na areia.... tá bonito, tá.

1 de julho de 2015

30 de junho de 2015

"Cinderela"...



"Ella, uma jovem cujo pai comerciante se casa novamente após a trágica morte de sua mãe, acolhe em casa a sua madrasta, Lady Tremaine, e as suas duas filha, Anastasia e Drisella. Tragicamente o seu pai desaparece e Ella fica entregue à sua nova família, ciumenta e cruel, que a a trata como uma serva. Mas apesar de tudo, Ella está determinada a honrar as últimas palavras de sua mãe, sendo corajosa e gentil... mas eis que um jovem que conhecera na floresta, por quem se apaixonara, é afinal um príncipe e não um funcionário do palácio, como Ella acreditara. A oportunidade de reencontrar a sua alma gémea surge quando se prepara um baile no palácio para o qual são convocadas todas as jovens donzelas, mas a sua madrasta e irmãs de tudo farão para o impedir..."



Quis ver este filme porque como quase toda a gente, este filme fez parte da minha infância.
As versões que vi ao longo destes anos foram sempre em desenhos animados, quando vi este filme no site em que costumo ver filmes e séries, primeiro pensei "ah não vais ver isto outra vez pois não?", depois comecei a ver, parei e outro dia conclui o filme.
A história é conhecida de toda a gente e nesse aspecto não houve grandes novidades.
Cate Blanchett que é uma mulher lindíssima faz o papel de má da fita... a madrasta da Cinderela...confesso que não conhecia a Lily James... a que faz de Cinderela, a miúda é muito bonita sem dúvida nenhuma, mas giro, giro, giro é o príncipe, o Richard Madden, um príncipe charmoso, com uns olhos, upa, upa, vou-vos contar.
Detestei aquelas duas irmãs, deus me livre se fossem minhas irmãs já lhes tinha apertado o pescoço, gosto pouco de pessoas dadas à histeria e excessivamente excêntricas... sim eu sei que é apenas um papel que interpretam, mas não gosto na mesma.

29 de junho de 2015

1ª caminhada Caledial...

Caledial o nome da clinica de hemodialise em que ando que fica em Canelas, Vila Nova de Gaia.
O nome do grupo no facebook é exatamente "Caledial somos todos nós"
Ontem fizemos a nossa primeira caminha na praia do senhor da pedra em Vila Nova de Gaia.
Foi a primeira vez que fizemos uma coisa do gênero e assim para primeira vez esteve bastante gente... pelo menos eu não contava com tantas pessoas.
Além de ser um momento de convívio com doentes, familiares e amigos... só alguns porque a maioria não foi, mas como diz o outro só faz falta quem cá esta... serve também para alertar e dar a conhecer o que é a hemodialise e tentar fazer com que as pessoas entendam, para que serve este tratamento e que saibam que existem pequenas coisas a fazer que pode ajudar a prevenir e a ter uma vida um pouco mais saudável. 
Deixo-vos aqui algumas fotos, só um "cheirinho" porque elas são muitas.


Ora aqui esta o grupo todo que participou


Eu a entregar os flyers com a informação sobre como se pode adaptar e ter uma vida melhor, tendo alguns cuidados, a nível alimentar e de desporto e onde também explicava o que é a hemodialise. É engraçado como as pessoas só para aceitarem um papel fazem-se de caras e com a mania, e eu que andei a manha toda a dizer "Bom dia" e a sorrir e em alguns casos tinha que acrescentar... "bom dia é só informação", porque a sensação que eu tive é que se calhar pensavam que ao dar os papeis ia querer dinheiro a seguir.  


Uma paisagem da praia



Eu quando cheguei ao fim, fui e vim nas calmas, aliás eu vinha atrás... bem atrás de todos... e dizia "eu tenho que vir de ultimo que é para ver se não fica ninguém perdido"... sim sim ah ah ah


Comigo levei o T. o meu irmão, o meu sobrinho e a minha mãe, para variar o meu pai não quis ir... enfim.



Aqui no final com a minha enfermeira C.



Novamente com a enfermeira C. é só pose, apesar de cansadas, acho que dá para ver que estávamos felizes com o resultado final.


28 de junho de 2015

"A Família Bélier"...



"Toda a família Bélier é deficiente auditiva, com exceção de Paula (Louane Emera). A jovem de 16 anos é a intérprete oficial dos parentes e figura fundamental na administração da fazenda. Vive em função disso até o dia em que descobre ter um dom para o canto e decide participar de um concurso da Radio France, para desespero da família."

Para mim uma das melhores comédias das que tenho visto.
Real, divertida, com direito a gargalhadas e algumas lágrimas.
Louane Emera além de ser uma miúda linda interpreta um papelão fantástico, não a conhecia, mas depois de ver o filme andei a pesquisar um bocadinho sobre ela... eu sou assim um bocado metida a quer saber quase tudo e mais alguma coisa.
De 0 a 10 a minha pontuação era sem dúvida nenhuma um 11... ah ah ah.
É do melhor, podem acreditar em mim, vejam que vão adorar.

27 de junho de 2015

As vezes é preciso encontrar alternativas...

 para alcançar a tão desejada paz interior...



Quem já experimentou diz que é ótimo.
A mim aconselharam-me faze-lo e de preferência com música de relaxamento de fundo.
Tenho tentado, vamos ver se resulta.