30 de junho de 2016

O "raio" da miúda está atenta...

No domingo foi a festa de anos da filha da namorada do meu primo.
Ele convidou-me para ir à festinha da miúda... e eu lá fui com muito gosto.
Como fui tomar café com as minhas amigas e fui de boleia com uma delas, pedi à minha mãe que levasse a minha saca que tinha a prenda, para não andar com aquilo para trás e para a frente.
Quando chego à festa vejo que a miúda já andava com o boné da minie, pensei olha a minha mãe já entregou a saca, até porque na saca tinha o meu nome.
Passado um bocado a miúda veio à minha beira olhou muito séria para mim e disse "tu num tazes nada" e eu "como assim" e ela "uma penda" eu comecei a rir-me e disse "esse boné fui eu que dei, o boné as calças cor de rosa e o top olha vai ver"  a miúda lá foi e veio a correr e disse "sim tem calça corderosa e camisola e isto" apontou para a cabeça, e eu disse "pronto é a prenda" e ela sorriu e lá foi brincar.
Olha como a miúda de 4 anos esta atenta que eu entrei com as mãos a abanar.
Volta e meia quando me lembro disto até me riu sozinha. 

23 de junho de 2016

Deu-me vontade de rir...

Terça estava eu na farmácia e estava a doutora a atender uma senhora, que notava-se bem pelo sotaque que tinha estado na França.
Falou dos remédios do marido e por aí fora.
Depois a doutora disse "assina o seu nome aqui por favor?"
E a senhora pegou na caneta e disse "em Português ou que?"
Não é mentira que me deu vontade de rir mas fiz um esforço, para não o fazer.
Entretanto a doutora disse "oh senhora eu acho que o nome escreve-se sempre da mesma maneira, o nome é sempre igual."
É a vida.
E esta cena dos comentários que desapareceu e eu já andei as voltas e não a consigo por... o que esta porcaria me tem irritado. 

21 de junho de 2016

"Pânico" de Jeff Abbott...



"A vida corre bem a Evan Casher. Com 24 anos a sua carreira como realizador de documentários está em plena ascensão e a sua relação com a namorada Carrie não podia correr melhor. Depois de um telefonema urgente da mãe, Evan parte para Austin. Aí o inesperado acontece. Encontra a mãe brutalmente assassinada e escapa por pouco a uma tentativa de homicídio. Raptado do local do crime por um mercenário enigmático movido por razões desconhecidas, Evan vê-se confrontado com a dura realidade: toda a sua vida é uma mentira meticulosamente construída. A única esperança de sobrevivência de Evan é esconder a verdade sobre o passado da sua família…e confrontar uma organização criminosa poderosa e implacável capaz de tudo para manter os seus segredos bem enterrados. Com os assassinos da sua mãe cada vez mais perto e sem ninguém em quem confiar - nem a polícia, nem o pai, nem a namorada - embarca numa busca perigosa que o leva do Texas a Nova Orleães, Londres e Miami. Recheado de personagens inesquecíveis e de súbitas reviravoltas, Pânico é um thriller de fazer parar a respiração, sobre a determinação de um homem que quer reaver a sua vida roubada."

Aí esta um livro que adorei.
Tem tudo o que eu gosto num livro,  uma boa história, ação, drama, romance, suspense... esse tipo de coisas.
É fácil de ler porque a linguagem usada é simples, nada de complicado e não esta ali a "embrulhar" como muitos livros. 
Gostei imenso desta estreia com o Jeff Abbott.
Fiquei surpreendida com o trabalho dele, logo tenho em mente e vontade de ler mais algum livro dele.
A ver vamos.



18 de junho de 2016

A ver se alguém entende isto...

Tenho calor.
Passado 1 minuto tenho frio.
Daqui a nada volto a ter calor.
Mas em segundos fico tipo com "pele de galinha" com frio.
A sério?
Quem estiver a olhar para a minha figura deve de estar a pensar que sou louca. 
Não existe santo que aguente com tanto.

17 de junho de 2016

Mulher bate em ladrão, olha que chatice...

Só é pena não haver mais mulheres e homens com a mesma vontade a ver se esta porcaria dos assaltos acabavam.
Anda uma pessoa a trabalhar para poder ter uma vida mais ou menos e andam estes pastelões armados em vedetas a roubar tudo e todos.
Haviam de levar uma porradinha jeitosa a ver se perdiam o vicio de uma vez por todas.
Gente sem vergonha, que só esta bem a viver com o esforço dos outros.
Ah e tal não tem possibilidades, nem dinheiro, coitadinhos têm vícios, ai tem então que os mantenham e deixem as pessoas em paz, porque vícios e manias cada um que mantenha as suas.
Estou como diz o Hernani Carvalho "temos pena".
Havia de ter levado mais. 

15 de junho de 2016

Chamem-me o que quiserem...

Mas comprar um telemóvel de 800€ para uma criança de 11 anos, é uma grande estupidez.
Se pelo menos as pessoas em questão tivessem assim tanto dinheiro para gastar, se fossem ricos, ou algo do gênero ainda era como o outro, agora não tem onde cair mortos... sim sim são da família... sem emprego e sem nada, sim porque esteve no estrangeiro, mas agora já esta cá e sem perspectiva de trabalho nem nada, desculpem lá mas isto é cagança a mais. 
Não é nada comigo, mas deixa-me a pensar muito na vida.
Caramba existe gente que nem tem metade disso para gerir a sua vida, para pagar casa, contas e alimentarem-se.
Existe gente a passar tantas necessidades.
E a piada da cena é que as pessoas em questão nem a casa paga ainda tem.
Eu devo de ser muito antiquada porque sem dúvida nenhuma que se fosse o meu caso teria outras prioridades, pagar a casa por exemplo, mas enfim acham que como não estiveram presentes que compensam a faltada presença com telemóveis destes valores.
A porcaria do mundo esta perdido e é bem verdade.
Isto tudo a proposito do meu sobrinho ontem vir com a conversa de querer um telemóvel de 400€, esta louco o miúdo, eu bem entendo que ele vê os outros a ter e também quer mas gastar tanto dinheiro num telemóvel para uma criança é um crime.

14 de junho de 2016

"Orphan Black"...


Espante-se quem puder que a primeira vez que li sobre o que se tratava esta série, clones, pensei "ah não".
Comecei a ver, simplesmente por ver, sem grande expectativa nem grande vontade.
Para minha enorme surpresa, fiquei completamente viciada.
Vi as quatro temporadas seguidinhas, agora o Netflix diz que o próximo episódio só sai para o dia 17... vá não é assim tão mau, podia ser pior, podia.
Como já disse o Orphan Black é uma série sobre clones, ou seja, a Tatiana Maslany, a actriz principal interpreta várias personagens que vão aparecendo ao longo da série, a Sarah Manning, Cosima, Alison, Helena, Rachel, Beth e mais uma ou outra que apareceram e morreram logo.
A história baseia-se na descobertas dos novos clones e na solução para combater a sua morte, devido a "falhas" genéticas.
Gosto imenso do ordan Gavaris também tem um papel muito engraçado, o de Felix que é irmão adotivo da Sarah Manning, é um gay excêntrico, prestável e na minha opinião é "colher para toda a obra" ajuda tudo e todos.
O Dylan Bruce, também é interessante apesar de já ter morrido.
Ah e também gosto da Kira a filha da Sarah Manning...e  gosto de outras personagens também.
Tatiana Maslany tem um talento incrível ao interpretar tantas personagens na mesma série, sem dúvidas que fiquei uma grande fã da rapariga.



13 de junho de 2016

Ontem foi um dia feliz...

Daqueles poucos dias em que sentes a tranquilidade e a felicidade de mãos dadas.
De manha eu e os meus pais fomos passear até à praia, bebemos o nosso café numa esplanada e conversamos.
Depois fomos almoçar a um restaurante que os três gostamos imenso.
Viemos embora e eu dediquei-me a ver filmes e séries.
Senti-me tão livre, tão em paz, que dei por mim a sorrir enquanto simplesmente via os filmes.
Caramba à tanto tempo que algo tão simples, não me fazia tão feliz e me deixava tão bem disposta.
Tão bom.

10 de junho de 2016

A minha mãe no seu melhor...

Hoje de tarde fomos ao El Corte Inglês trocar uma camisola dela.
Ao entrar no parque reparei que as barras do estacionamento estavam levantadas, ou seja, hoje não se paga parque.
Quando ia a entrar ia a entrar também um senhor que parou o carro e ficou a olhar para a máquina, fiz-lhe sinal e disse para avançar.
Lá estacionamos os carros e quando estava prestes a começar a subir a escada rolante uma senhora disse-me "ah a menina deu-nos sinal para entrarmos não foi, não se tira bilhete?".
Expliquei à senhora que nos dias em que as barras da entrada estão levantadas é sinal que o parque é gratuito.
A senhora e o marido sorriram e agradeceram e ela disse "sabe é a primeira vez que vimos cá é que nós não somos de cá" eu numa de boa educação disse "então sejam bem-vindos" e no meio de mais um agradecimento e um ou outro sorriso cada um seguiu o seu caminho.
A minha mãe muito séria olha para mim e diz "ah não são de cá mas falam Português muito bem, muito direitinho".
Ah ah ah deu-me vontade de rir e ri-me e disse "oh moça, não são de cá, daqui, podem ser de Lisboa, Coimbra, por aí fora de outra parte qualquer do país, foi isso que a senhora quis dizer".
A minha mãe ficou muito séria, depois começou-se a rir e disse "ah pois deve de ser isso"
A sério mãe, pelas almas, tu cansas-me os neurônios com estas coisas.
Não são de cá não tem porque falar Português direitinho... benza Deus.

9 de junho de 2016

O creme de rosto que uso...



Este é o creme de rosto que uso.
É da Roc e é um antirrugas suavizante com FPS 50 + proteção muito elevada.
Porque um antirrugas? Porque já tenho 31 anos e começam a aparecer as primeiras ruguinhas de expressão e essas coisas todas que ninguém quer saber.
Tem proteção 50 + porque eu sou muito, muito, muito branquinha.
Antes usava um creme de rosto normal, sem proteção e depois colocava o protetor por cima.
Agora já não preciso de estar com essa preocupação porque o creme já traz o protetor junto.
Ah e é um creme que se espalha bem porque é fluido. 
Já uso à alguns meses, porque é bom e não é assim muito caro, custa 17.49€, ou seja, a relação qualidade preço para mim é muito boa.
E agora passo a informar que... pelo menos na minha farmácia é assim... na compra de uma embalagem deste creme trago a outra de graça, sem gastar um único cêntimo.
Eu aproveitei logo e pela econômica quantia de 17.49€ trouxe dois frascos de creme, o que é fantástico.
E como eu sei que esta oferta dura até ao fim do mês, ainda vou lá voltar para trazer mais duas embalagens, para aproveitar a promoção.
Portanto para quem usa é para aproveitar a simpatia da marca em fazer esta promoção.


8 de junho de 2016

"Um homem com sorte" de Nicholas Sparks...


"Depois de um ano de interregno Nicholas Sparks regressa com o seu mais recente romance para encantar os leitores portugueses. Logan Thibault sempre foi um homem que em tudo se pode considerar comum. No entanto a sua vida estava prestes a mudar… A combater no Iraque, Thibault encontra a fotografia de uma mulher nas areias do deserto, e apanha-a pensando que alguém acabará por a reclamar. Mas ninguém aparece e, apesar de rejeitar a ideia, a fotografia passa a ser encarada como um talismã da sorte que faz com que Thibault sobreviva, sem ferimentos graves, a situações de indescritível perigo. De regresso aos EUA, o militar não consegue esquecer a mulher da fotografia decidindo procurá-la pelo país. Mas assim que a encontra a sua vida toma um rumo inesperado e o segredo que Thibault guarda pode custar-lhe tudo aquilo que lhe é querido. Uma história apaixonante sobre a força avassaladora do destino."

Não vou dizer que é um livro fantástico, porque não é.
É um livro que se lê rápido, é um livro "leve" como eu costumo dizer.
Mais do mesmo.
Muito amor, tragédia e depois acaba tudo muito bem, ou seja, vivem os bons morrem os maus... é mais ou menos isto.
Acho que já passei a fase de ler os livros do Nicholas Sparks, li este porque me emprestaram, mas se tiver que comprar um livro dele acho que não iria comprar.
Como diria uma senhora que conheço "é tudo muito bonito, quando acaba tudo bem".

7 de junho de 2016

Qualquer semelhança no cabelo é pura coincidência...



É daquelas coisas que acontecem e tu não te dás conta.
Sábado fui espontar o cabelo e aceitei a amabilidade da minha cabeleireira em me fazer franja.
Bem sei que me vai dar um trabalho desgraçado pois o meu cabelo é ondulado, ou seja, lá vou ter eu que andar a esticar a franja para andar minimamente decente.
E depois eu também estava a precisar de mudar qualquer coisa.
Piada das piadas é que eu tenho andado com o cabelo apanhado como o da primeira imagem e de repente pensei "caraças este cabelo assim faz-me lembrar alguém ".
Pois faz, faz... faz lembrar a Alison Hendrix da série em que ando viciada a Orphan Black... que depois falo dela noutro post qualquer mais para a frente.
Só ontem quando estava a ver a série e a ver o meu reflexo no tablet é que cheguei a essa conclusão.
Mas é só mesmo na franja, mais nada. 

3 de junho de 2016

Aquele dias em que gozam mesmo a sério comigo...

... por estar a ler um livro do Nicholas Sparks e nem me dou conta que simplesmente estou a sorrir enquanto leio.
E depois te perguntam "esta tudo bem Mary?" e eu abano a cabeça e ponho um ar muito sério e digo "sim claro".
Faço ideia a minha cara, até queria ver a cena. 
Claro que depois gozam comigo, quando leio... raramente... livros assim românticos, uma vez que eu sou daquelas pessoas que gostam muito mais de livros onde matam meio mundo, lool.
Que baile que eu levo por causa destas coisas, nem imaginam.

2 de junho de 2016

Produtos que uso...


Eu tenho o hábito de usar soro fisiológico em ampolas individuais, quer para limpar os olhos quer para o nariz, mas mais os olhos.
Costumo comprar na farmácia e costuma ser um bocado caro.
Hoje quando fui ao pingo doce na secção dos bebes encontrei esta caixa de 30 doses, ou seja, 30 ampolas, individuais pela econômica quantia de 2.54€, mas como estava em promoção custou apenas 1.90€.
Ora se eu achei os 2.54€ baratinho imaginem que riqueza que foi quando ainda tive direito a desconto.
Só trouxe uma caixa, devia ter trazido pelo menos mais uma, porque é das coisas que uso com frequência.
Agora digam lá que eu não sou amiga.

1 de junho de 2016

Como era o dia da criança no meu tempo...

Não tenho muitas recordações da minha infância. 
Tenho bem em conta que toda a gente faz questão de dizer que eu era "ruimzita" mas muito encantadora... é o que dizem.
Imaginem só a chegar da Venezuela a falar pelos cotovelos aquela língua esquisita aqui, loirinha, de olhos azuis, nesse tempo fui "requisitada" muitas vezes para ir levar alianças nos casamentos.
Lembro-me de poucas coisas da pré e da primaria, não tenho grandes lembranças, mas lembro-me de como era o dia da criança, íamos todos a pé até ao pavilhão desportivo que existe cá na freguesia que é de uma colectividade, praticávamos jogos tradicionais e depois voltávamos para a escola, almoçávamos na cantina e à tarde vinhamos para casa... é só disto que me lembro... isto tudo até à 4ª classe.
Lembro-me de quando vinhamos da escola a pé e tocávamos as campainhas e fugíamos a correr ah ah ah aquilo era tão engraçado, mesmo depois de ter ficado doente... embora tenha só sido duas ou três vezes... o nosso grupinho que andávamos desde a pré dizia "vai indo" quando chegava bem lá no fundo eles tocavam e fugiam para vir ter comigo, eu como não podia correr ia descendo e esperava por eles.
É das poucas recordações que me fazem sorrir e ter saudades daquele tempo.
A partir do 5º ano as coisas mudaram, foi quando fiquei muito doente.
Depois disso a minha vida mudou bastante, deixei de ter uma "vida" à criança mesmo, andavam sempre de "olho" em mim a ver se estava tudo bem, tirando as aulas estava sempre em casa ou no hospital, ou seja, perdi o resto da minha infância, a adolescência e uma parte do início da minha juventude, porque simplesmente me fechava em casa, mas quando cheguei ao 11º ano comecei a aproveitar um bocadinho mais a minha idade.
Portanto apesar de ter perdido muito da minha infância, hoje em dia olho para trás e penso "aquilo até era divertido e engraçado, bem que podia ter sido pior".