29 de setembro de 2016

Não resisti, foi muito mais forte do que eu...

Tinha mostrado num post atrás que não ia comprar livros, pois tinham emprestado bastantes.
Mas não consegui resistir ao novo do José Rodrigues dos Santos o Vaticanum, apanhei uma promoção simpática e cai em tentação e mandei vir o livro.
Mas que fique bem explicito que foi só este... por enquanto.
É que ainda por cima o livro fala de um tema que eu gosto imenso, estado islâmico e essas coisas e pronto não resisti mesmo.



27 de setembro de 2016

Sobre os últimos dias...

Se podiam ter sido melhores?
Podiam sim, anda uma pessoa um ano inteiro à espera deste fim de semana e quando chega ao momento nada corre como o planeado.
Ai que cansaço, tonturas, náuseas e vômitos, ainda não entendi muito bem como é que me mantenho de pé, mas pronto lá vou andando aos empurrões. 
A ver vamos como vai correr o tratamento hoje, porque ultimamente tem sido uma desgraça.

22 de setembro de 2016

Querido Outono...


Eu até gosto de ti.
A única coisa que dispenso é essa tua mania de seres engraçadinho e trazeres um monte de alergias atrás de ti, essa parte dispenso bem, acredita.
De resto tu és mágico.
Esses tons diferentes nas folhas, esse teu reboliço típico de Outono, é muito bom.
Chega a hora da comida mais "quente", mais reconfortante como eu costumo chamar, das castanhas e dos dióspiros que eu adoro mas que tem uma carrada enorme de potássio.
Mesmo assim estou a apostar em ti este ano.
Quero que me deixes andar bem, que me faças sorrir e ser feliz.
Dá-me paz é só o que te peço.
E sê bem-vindo mais uma vez.

21 de setembro de 2016

Adoro aqueles dias...

... em que sinto uma calma e paz imensa.
Existem dias em que quase que nem me reconheço.
Esses dias fazem-me bem.
Além de me sentir calma, sinto-me segura, parece que tenho uma espécie de segurança extra a sensação que tenho é que nada nem ninguém me vai conseguir chatear.
Como era bom que esses dias fossem mais frequentes. 

20 de setembro de 2016

No que diz respeito a leitura...

... estou pior do que a lesma.
Tenho andado mais cansada e com muitas dores de cabeça, logo não tenho dedicado grande tempo aos livros. 
Espero que esta pasmaceira passe e volte em força a vontade de ler.

15 de setembro de 2016

Assim não dá...

Já são poucas as vezes em que vou ver montras, mas tenho que começar a perder esse habito de vez, é que cada vez que vou venho sempre com a cabeça cheia de coisas lindas a navegar.
Ahh não, assim não dá.
É que depois uma sisma é pior do que uma doença.
E lá vou eu com aquela história do "é só desta vez" e acabo por gastar dinheiro sem necessidade e fico muito chateada comigo mesma.
A solução é evitar grandes saídas para esses locais.
Esta decidido.
A ver vamos é até quanto tempo dura esta minha convicção.  

14 de setembro de 2016

Acabei a 2ª temporada do Narcos...


A cada temporada que passa parece que fico mais viciada.
No outro dia li no jornal que vai existir a terceira e a quarta temporada e eu toda contente, venham elas.
O homem é terrível, Deus me livre, mas os outros traficantes também são jeitosos são, são.
Desse lado alguém que assista a esta série???

13 de setembro de 2016

Por acaso achei-lhe piada....

Tenho uma prima com quem agora não tenho grande relação... eu sou daquelas pessoas que só depois de bater com a cabeça muitas vezes na parede é que aprendo, foi o que aconteceu neste caso, mas como se diz mais vale tarde do que nunca.
Quando a gente se vê, raramente e ainda bem a gente cumprimenta-se faz conversa de momentos e esta bom.
Estes dias apercebi-me de algo muito engraçado.
Quando andava com o meu ex namorado e ele colocava fotografias nossas e outras coisas no facebook aquela rapariga nunca colocou um gosto... e atenção que nem era preciso... desde que eu e o rapaz nos separamos é vê-la a colocar gosto em tudo e mais alguma coisa.
É do caraças.
Ai enfim, mas que acho piada lá isso acho.

12 de setembro de 2016

"O fim de semana" de Bernhard Schlink...


"Após mais de vinte anos de afastamento, um grupo de velhos amigos e amantes reúne-se durante um fim-de-semana. Numa casa de campo isolada desenterram memórias e comentam os diferentes rumos que as suas vidas tomaram. Mas esta não é uma simples reunião de amigos, nem as suas conversas sobre os velhos tempos constituem as típicas reminiscências de juventude. A verdade é que se juntaram para celebrar a libertação de um dos membros do grupo: após vinte e três anos de prisão, Jörg, condenado por terrorismo e homicídio, acaba de ser libertado. 
No passado, estes amigos partilhavam ideais revolucionários. Agora, todos eles asseguraram o seu lugar na sociedade: Henner é jornalista, Ulrich é um homem de negócios, Karin é pastora de uma pequena igreja e Ilse professora. Para trás parecem ter definitivamente ficado os dias de luta e idealismo…"

Demorei um bocadinho a ler este livro apesar dele ser bem pequeno, porque chocou um bocado com o meu pensamento, ou seja, deixou-me a pensar demais.
É interessante a história que o livro nos dá a conhecer e faz com que a gente pense um pouco na nossa vida, na maneira como antigamente pensávamos no que iria ser a nossa vida e no rumo que ela seguiu.
No que diz respeito à minha realmente nada segui o que eu alguma vez pudesse ter imaginado ou planeado.
Quanto ao livro é interessante não é nada de fenomenal mas lê-se bem. 

10 de setembro de 2016

Hoje vou falar do menino Paulo...

Comecei a trata-lo por menino Paulo na brincadeira.
O Paulo trabalha numa padaria aqui na freguesia.
É um moço engraçado no sentido de ser todo modernaço, volta e meia faz assim uns cortes de cabelo diferentes e põem um loiro platinado, algo assim arrojado.
O engraçado é que até nem fica assim tão mal, mas gabo-lhe a coragem do loiro platinado, sem dúvidas.
Toda a gente sabe que o menino Paulo é amigo das farras, dos sunset  e essas paneleirices novas que se usa agora e também é amigo de apanhar uma farda de vez em quando.
Acho-lhe piada pela forma como fala, atenção com educação e sempre com boa disposição.
Estes dias estava na padaria e ele veio ver o que queria, pedi um café cheio.
Passados 5 minutos café nem vê-lo, nisto dirige-se à minha beira com um ar distraído e diz "desculpe lá mas o que foi que pediu que não me lembro?" eu sorri e disse "um café cheio", "ok" e sorriu e lá foi, entrou no balcão, saiu e estava a chegar novamente ao pé de mim e disse ao colega "eh pá dá-me um café cheio" e eu comecei a rir-me, achei tão engraçado aquele estado de distração dele, que até nem é assim muito normal e fiquei a pensar "deves ter tido uma grande noite".
Bebi o meu café e continuei a rir-me.
As senhoras da mesa ao lado estavam na hora da cusquice e ficaram a olhar muito sérias a olhar e a abanar a cabeça logo a mandar vir com o moço... enfim.
Muitas vezes fico a pensar, qual será a opinião que esta ou aquela pessoa têm da outra pessoa?
Fico sempre com essa dúvida no meu pensamento.

9 de setembro de 2016

Acho que vou criar uma nova rubrica...

Onde posso falar de alguém que eu conheço, ou alguém que tenha visto e me tenha chamado a atenção por qualquer motivo.
Vai chamar-se assim "Hoje vou falar do..." do ou da claro.
É engraçado que dou conta que muitas vezes observo as outras pessoas, a forma como agem e como são, algumas conheço outras não, mas fico ali um bocado a observa-las a ver como são.
Enfim, vou dar a conhecer-vos gente interessante, assim interpretados por mim.

7 de setembro de 2016

Estou desanimada...

Ando tão cansada que o desanimo mais parece que tomou conta de mim.
Não tenho força nem grande energia.
Só quero silêncio, nem livros, nem séries nem nada.
Não gosto de me sentir assim.
Mas tenho que seguir com o meu dia a dia em frente, porque a vida não para.
Vou acreditar que amanha vou estar melhor.
Fé nisso pelo menos.

6 de setembro de 2016

Caso ainda não tenha mencionado...

Detesto este calor, sinto-me a morrer.
O que vale é que dizem que amanha vem temperaturas mais baixas.
Graças a Deus.

5 de setembro de 2016

Ai mãe, mãe...

Sábado fomos ao cabeleireiro e no meio da conversa a cabeleireira disse "ah estas com o cabelo muito saudável" vem logo a minha mãe a correr "ah pois tem que estar à quantidade de mixórdias que ela lhe deita, é champo, condicionador, mascara, sérum, creme, mais creme tem que estar muito saudável."  
A cabeleireira riu-se e disse "assim, sim"
E eu metida a envergonhada só disse "escusavas de me estar a envergonhar mas olha se eu não me cuidar mais ninguém o faz por mim".
E eu, raio de mulher sempre atenta ao que eu faço ou deixo de fazer... dass.

1 de setembro de 2016

Querido Setembro...


Vem com alegria...
Traz paz, sossego, calma, felicidade, sorrisos, saúde, boa disposição e bom humor.
Traz tudo de bom, já que é para pedir vamos pedir em condições.
Estou à tua espera com os braços e o coração aberto.