30 de julho de 2016

"Em troca de um coração"... de Jodi Picoult...


"Aceitava realizar o último desejo de um condenado para salvar a vida de um filho? Com uma sensibilidade literária invulgar, Jodi Picoult conduz uma vez mais o leitor a uma encruzilhada moral. Como é que uma mãe concilia a trágica perda de um filho com a oportunidade de salvar a alma de um homem que odeia?
Shay foi condenado à morte por matar a pequena Elizabeth Nealon e o padrasto. Onze anos mais tarde, a irmã de Elizabeth, Claire, precisa de um transplante de coração e Shay, que vai ser executado, oferece-se como dador. Este último desejo do condenado complica o plano de execução, pois uma injecção letal inutilizaria o órgão. Entretanto, a mãe da criança moribunda debate-se com a questão de pôr de parte o ódio para aceitar o coração do homem que matou a sua filha. Picoult hipnotiza o leitor com uma história de redenção, justiça, e amor."

Este foi o primeiro livro da Jodi Picoult que li.
Gostei tanto, mas tanto que o li o livro num abrir e fechar de olhos.
Uma história linda, simples e que me cativou logo desde o início.
Gostei principalmente o facto de  história me fazer percorrer um caminho e de repente ter mudado o seu rumo.
Houve alguns momentos em que deixei escapar algumas lágrimas.
Sei o que é estar numa lista para transplante, não de coração mas sim se rim... e sei ainda melhor o que  é o "ter que ser urgente".
Fiquei com muita vontade de ler mais livros da Jodi.
Adorei simplesmente.

27 de julho de 2016

Era suposto...

... que com a troca de óculos eu me sentisse melhor.
Mas a verdade é que esta a ser difícil adaptar-me a usar óculos o dia todo e também tem acontecido dar-me umas náuseas jeitosas.
Isto não esta fácil.
Eu que não sou pessoa de suar até me sinto a transpirar cada vez que uso os óculos.
Vamos lá ver como é que isto corre.
Estou a acreditar que vai melhorar, a ver vamos. 

26 de julho de 2016

Foi uma gargalhada jeitosa...

Estes dias estava a falar com uma médica.
Ela perguntou se tinha tido alguma consulta ultimamente e eu disse que tinha ido a uma consulta de cardiologia e que estava tudo bem, excepto as tensões estarem baixas de mais.
Toda a gente sabe que os cardiologistas preferem as tensões baixas do que altas, mas é que as minhas tem abusado no que diz respeito a estarem baixas.
Nisto eu perguntei à médica se havia alguma coisa que ajudasse a subir as tensões.
"Existem apenas pequenos truques mas que nunca resultam assim muito, a canela, o café" e eu "ah sim eu uso canela, por exemplo coloco no café, no chocolate quente" e diz ela "vês alguém já te falou que isso ajuda a estimular o coração" e eu comecei a rir-me e disse "por acaso eu uso a canela com outra intensão tipo acelerar o metabolismo, sei que é um bom ingrediente para isso".
Bem começamos a rir as duas e a médica disse "tás a falar a sério?"
Eu ri-me e disse "sim estou" e ela disse "não estava nada à espera desta, pensei que era porque tinham recomendado por causa do coração, mas tens toda a razão a canela é um ótimo estimulante para o metabolismo acelerar, mas queres acelerar o metabolismo para que?".
"Ora para emagrecer" e diz ela "para desaparecer do mapa é?"
Isso é que já é mais difícil. 
Pois é eu ando sempre a tentar aprender coisas novas.

25 de julho de 2016

Tinha tudo para ter sido um bom dia...

Tudo mesmo...
Aniversário da madrinha, festa em família apesar de existirem coisas que eram desnecessárias.
Fui até ao pé do mar apanhar ar.
Já disse que não levo mais a minha mãe se for nos dias em que quero ir distrair a mente, porque a mulher está sempre cheia de pressa.
Hoje alguém que não conheço de lado nenhum deu-me um sorriso, tão puro, tão genuíno que me encheu o coração.
Alguém que eu não conheço foi capaz de preencher o meu dia apenas com um sorriso.
E assim fui para a festa de anos, contente por ainda existir gente tão genuína.
Os almoços são sempre confusos porque as pessoas geralmente não falam, berram... tornando tudo numa grande confusão.
Vim para casa para tomar conta da nina a gatinha do meu irmão, uma vez que eles foram sair uns dias.
Digam o que disserem a gata esta triste, meiguinha de mais, nota-se que sente a falta dos donos.
Tenho tratado dela da melhor maneira possível, dentro daquilo que me ensinaram e do que sei também.
A verdade é que sinto pena da bicha porque se nota mesmo tristinha.
Fomos jantar.
Mais uns quantos temas de forma a se poder discutir em alto e bom som.
Voltei para casa feliz, apesar de um ou outro contratempo o dia tinha sido bom... muito bom.
E de repente vejo algo no Facebook que me faz "abanar" e sentir-me triste, muito triste.
Nesses momentos quero sempre fazer questão de lembrar aquele sorriso daquele desconhecido que me encheu a alma a ver se alivia a dor que ela sente.
Tem dias em que tudo parece tão bem mas que de repente fica tudo tremido e nesses momentos contínuo a perguntar a mim mesma "porque?" 
E nunca tenho resposta, nunca

21 de julho de 2016

"A química da morte" de Simon Beckett..




"Ao fim de trinta segundos, a sua pele começa a arrepiar-se.

Ao fim de um minuto, o bater do seu coração ter-se-á tornado audível.
Ao virar a última página, dará graças por se tratar de uma obra de ficção.Simon Beckett é um autor que rapidamente mobilizou a atenção de um público internacional com este seu primeiro thriller protagonizado por um especialista em antropologia forense. Após a perda da mulher e da filha de seis anos, David Hunter escolhe refugiar-se numa aldeia isolada de Norfolk, a tratar dos vivos, tentando esquecer a sua tragédia pessoal. Mas, mesmo aí, o destino obriga-o a lidar com aquilo de que ele pretende fugir... A Química da Morte foi finalista do mais importante prémio deste género literário, o Duncan Lawrie Dagger Award de 2006."

Eis o primeiro livro que leio do Simon Beckett.
Posso dizer que foi uma agradável surpresa.
Gostei da história, embora existisse ali aquela parte que fala muito das moscas e das varejeiras que para mim era escusado, mas entendo perfeitamente o porque de ele a usar.
David Hunter conquistou-me, assim como a Jenny.
O mais engraçado deste livro é que nos faz duvidar de muitas personagens . cheguei a pensar que este ou aquele é que eram os assassinos mas depois com o desenrolar da história, esta empurra-nos para a realidade e vemos que afinal a personagem não são assim tão más.
Algures no meio do livro desconfiei que o assassino era umas das personagens principais.
Afinal o meu gosto pela leitura cada vez mais esta a ajudar-me a desenvolver esta "faceta" de descobrir os maus da fita... lool, nem sempre consigo chegar lá, mas neste descobri um dos assassinos.

18 de julho de 2016

E o meu fim de semana foi assim...

Sábado de manha fui fazer uma massagem de relaxamento que me soube pela vida.
Desde que descobri esta massagem estou a levar à letra a cena de ir à massagem pelo menos uma vez por mês, lá esta o velho ditado "se eu não cuidar de mim quem cuidará".
Depois fui cometer um leve pecado ao ir almoçar ao mcdonald's e à tarde lá fui para mais um tratamento.
Quando cheguei do tratamento comi uma sande, vi um pouco de televisão e foi dormir... ahhh coisa mais boa.
No domingo fui à praia de manha com o meu irmão, cunhada e sobrinho, almoçamos lá e viemos para casa à tarde porque estava muito calor e além de não me dar com o excesso de sol, também não posso abusar por ordens médicas.
Aproveitei para ver um filme que tinha gravado "as serviçais" sei que já tem algum tempo, mas eu não tinha visto, adorei, mas depois faço um post a dar a minha opinião.
Resumindo foi um fim de semana de descanso, uma vez que os meus pais tinham ido passear o fim de semana.
Adorei este fim de semana.
Pode repetir-se se faz favor.

16 de julho de 2016

Sempre sou muito croma...

No outro dia ia a caminho do tratamento ia a conduzir e de repente começo a suar... note-se que eu não sou pessoa de suar... e começo a ficar enjoada, tão enjoada que já estava a ver-me a parar o carro e a vomitar meio mundo.
Olho para a frente e vejo uma farmácia e pensei "tenho que ir comprar alguma coisa antes que caia para o lado".
Parei o carro disse ao meu pai que vinha num instante entrei pela farmácia dentro, sorte a minha que estava vazia e disse "bom dia queria uma caixa de primperan por favor" e a farmacêutica disse "pequena ou grande?" e eu aflita só queria o raio dos comprimidos e disse "pode ser grande" estava a pagar e diz ela "contribuinte" e eu a pensar meus deus vou vomitar isto tudo, lá lhe dei o contribuinte e diz ela "bem estou a ver que esta mesmo mal, também estou a ver que sabe o que quer e para o que quer e também estou a ver que esta aflita" e eu a abanar a cabeça que nem um burro a dizer sim a tudo e a pensar "passa para cá o raio da caixa mulher" ela lá deve ter percebido a minha urgência deu-me a caixa eu agradeci sai porta fora e enfardei dois comprimidos.
Respirei fundo e pensei "calma, calma agora".
E continuo a ver senhora a espreitar pela vidraça da farmácia.
Faço ideia a minha cara, faço, faço.  

15 de julho de 2016

Chegaram as minhas compras...

Como tinha mencionado num post a trás, comprei pela primeira vez no site da Parfois.
Já fiz várias compras na net, em especial livros e nunca tive qualquer problema.
No caso da Parfois, posso dizer que fiquei muito contente por ter sido tão bem "atendida".
Encomendei na quarta feira por voltas das 14:30 por aí e chegou hoje ainda não eram 11:00 horas.
Então passo a mostrar os miminhos que comprei para mim.


A embalagem por fora era tão fofinha, a maneira como vinha embrulhada, depois tinha esta caixa com as encomendas e por dentro vinha cada coisa na sua respectiva embalagem, tudo muito bem embrulhado e arrumado.


Eis as minhas novas sandálias, tão simples mas tão lindas, escolhi em azul marinho uma vez que achei que ia ficar muito bem com as calças de ganga, que é o que eu uso com frequência.


Isto é um porta documentos, andava atrás de um para colocar a minha papelada do hospital e eis que este encheu todas as medida do que eu queria, só gostava que fosse em escuro, mas não havia, paciência, não se pode ter tudo ;) 


Aqui é o porta documentos aberto, como podem ver tem imenso espaço para organizar a papelada.


E esta pulseira em dourado, super simples, são folhinhas toda alinhadinha, super delicada e muito bonita, pelo menos eu adoro.

E pronto foram estas as minhas últimas compras.
É de dar os parabéns ao pessoal que trabalha na Parfois porque o atendimento foi fantástico, e se o pessoal se acha no direito de reclamar por tudo e por nada, eu acho que tenho direito também de salientar o bom atendimento, quando é o caso, fica aqui o meu testemunho.

14 de julho de 2016

Dizem que vem aí mais calor...

Calminha com o andor sim...
Que eu não me dou bem com as temperaturas elevadas.
E não se queixem, vá lá, tem estado um tempo muito bom assim.
Nada de excessos tá bem.
Pior do que tudo é que o próximo fim de semana os meus pais não vão estar e o meu irmão quer que vá à praia com ele no domingo, hmmm não sei não com este calor, não tenho paciência nem vontade para lá estar.
Depois a gente vê.

13 de julho de 2016

Hoje foi dia de compras...

Hoje fiz umas compras online no site da Parfois pela primeira vez.
Comprei três miminhos para mim... eu também mereço.
Hoje também fui trocar os meus óculos, porque já não ia à uns anitos e estava mesmo a precisar.
Andava com ideias de comprar uma armação em azul ou roxo mas no fim como podem calcular comprei novamente em preto, assim dá com tudo e não chama tanto a atenção uma vez que vou ter que andar com eles o máximo de tempo possível.
Ah tive direito a uns óculos de sol de graça, não é que me faça falta porque eu tinha investido uns ricos trocos nuns óculos da Vogue, mas vão servir para usar quando for caminhar e nos raros dias em que for à praia que é para não estragar tanto os melhores.
Depois quando receber a encomenda e os óculos eu mostro.




12 de julho de 2016

Já não tenho pedalada para andar na noitada...

É que não tenho mesmo.
Se imaginassem como me sinto cansada, até se riam.
Foi sexta, sábado, domingo e segunda a deitar tarde.
Mais um dia e morria. 
Ontem lá desisti e vim mais cedo embora, estava tão, mas tão cansada, que foi só tirar a roupa e pumba adormeci logo quase sem abrir a cama.
Estava mesmo exausta, estava e estou que ando para aqui a ressacar que é uma coisa louca, parece que mal me seguro de pé.
Vamos lá ver como corre o resto da semana agora sem festas.

11 de julho de 2016

Ontem foi uma noite emocionante...


Eu que faço sempre questão de não me enervar com o futebol.
Eu que digo sempre, ah não quero saber.

Eu que sofro em silêncio.
Ontem não aguentei.
Gritei bastante.
E de um momento para o outro dei por mim a chorar e a tremer.
A chorar de alegria, de felicidade, de emoção.
Vi o jogo no meio de tanta gente na festa das colectividades e foi tão, tão bonito, que acho que jamais irei viver uma experiência tão boa.

Parabéns Portugal, nós merecemos.
Detesto avecs, sempre com a mania que são mais do que nós, sempre a falar mal de nós, amigos, temos pena e como diria o outro "adeus, vocês são o elo mais fraco".


9 de julho de 2016

Fim de semana de festa aqui na terra...

Começou ontem a festa das colectividades aqui da terra.
É uma festa onde se juntam todas as colectividades da freguesia e cada um vende comes e bebes.
Tem também vários espetáculos durante os 4 dias.
É a única festas que vou todos os anos e em todos os dias.
Existe gente que só se vê uma vez por ano, nesta festa, é engraçado que se vê pessoas que raramente se encontra.
É engraçado também ver que de ano para ano aumenta o convívio e a festa.
Adeus, vou dedicar-me a ter um bom fim de semana.

8 de julho de 2016

"O jogo de ripper" de Isabel Allende...


"Indiana e Amanda Jackson sempre se apoiaram uma à outra. No entanto, mãe e filha não poderiam ser mais diferentes. Indiana, uma bela terapeuta holística, valoriza a bondade e a liberdade de espírito. Há muito divorciada do pai de Amanda, resiste a comprometer-se em definitivo com qualquer um dos homens que a deseja: Alan, membro de uma família da elite de São Francisco, e Ryan, um enigmático ex-navy seal marcado pelos horrores da guerra.
Enquanto a mãe vê sempre o melhor nas pessoas, Amanda sente-se fascinada pelo lado obscuro da natureza humana. Brilhante e introvertida, a jovem é uma investigadora nata, viciada em livros policiais e em Ripper, um jogo de mistério online em que ela participa com outros adolescentes espalhados pelo mundo e com o avô, com quem mantém uma relação de estreita cumplicidade.
Quando uma série de crimes ocorre em São Francisco, os membros de Ripper encontram terreno para saírem das investigações virtuais, descobrindo, bem antes da polícia, a existência de uma ligação entre os crimes. No momento em que Indiana desaparece, o caso torna-se pessoal, e Amanda tentará deslindar o mistério antes que seja demasiado tarde."


Mais um livro da Isabel Allende que gostei imenso.
No início estava um pouco na dúvida se devia ou não ler.
Gostei da história, apesar de existirem ali no meio alguns pormenores que não eram necessários... na minha opinião claro.
Gostei imenso da Amanda e do avo, achei engraçado a definição de jogo do ripper, duvidei sempre do tal Gary Brunswick, não sei existia ali qualquer coisa estranha desde o início, gostei da história e da personagem da Indiana.
É um livro fácil de ler simples mas encantador, realmente esta escritora caracteriza tão bem as suas personagens que chega a dar-me a sensação que as conhecia de algum lado.
Leiam que é uma história interessante e bonita, que capta a atenção do início ao fim.  


6 de julho de 2016

E este tempo...

... que esta horrível, não existe uma pontinha de vento em lado nenhum, esta um calor abafado.
Esta um tempo doentio, que faz umas dores de cabeça desgraçadas.
Dizem que vem chuva, granizo e mais não sei o que, que esta alerta amarelo para uns quantos distritos, mas a verdade é que parece que o tempo fica cada vez mais quente.
Quem me conhece sabe bem que prefiro o tempo mais fresco, pois não me dou bem com o excesso de calor.
Aii como eu admiro o pessoal que consegue dar-se bem com este calor.

5 de julho de 2016

A minha mente é horrível...

Faz sempre questão de me massacrar com coisas sem sentido.
Faz questão de me lembrar de algo que eu não queria ser lembrada.
Faz sentir-me deprimida por ver toda a gente, ou melhor a maior parte, das pessoas da minha idade a casarem-se e a constituírem família e eu continuo sozinha  e sem projetos. 
Faz questão de me por um rótulo de falhada no meu pensamento.
Mas depois eu penso, não és nada falhada existe tanta gente assim, sozinha, sem projetos, sem ideias, sem planos, sem nada e tu pelo menos tens casa, carro, família, tudo sem teres que te preocupar com contas ao fim do mês, sem teres quem te chateie muito... mas... mas depois penso que nunca estamos felizes com o que temos, com o que somos, com o que queremos.
Queremos sempre mais e mais.
Tem dias que me sinto muito feliz.
Tem dias que me sinto uma miséria..
Tem dias que não sinto nada, parece que ando no mundo por andar.
Tem outros dias em que penso demais e me saturam.
As vezes, tudo me cansa.
Outras vezes tudo me deixa de bem com a vida.
Hoje é daqueles dias em que não sei simplesmente o que sinto, ando num misto de emoções que nem é bom.
O cansaço dá cabo de mim, deixa-me assim "perdida".

1 de julho de 2016

Esquece rapariga...

Andava com ideias de comprar este verão umas sandálias daquelas Ipanema ou Havaianas e ando a ver os preços e depressa entendi que não vou dar tanto dinheiro por uns chinelos.
Quer dizer eu queria daquelas tipo sandália porque não me dou bem com chinelos, mas não sei, bem sei que tem qualidade e tal, mas mesmo assim acho caras.