30 de setembro de 2014

"Mulher em branco" de Rodrigo Guedes de Carvalho...


"Para onde vão os amores que foram um dia?
Uma criança desaparece. Estava à guarda do pai. O choque da notícia atira a mãe para um abismo de amnésia. Sem memória, é incapaz de chorar um filho que não sabe que tem. Como podemos continuar a viver se caminhamos vazios. E há um homem que arranja uma amante enquanto visita a mulher no hospital. Ladrões que roubam cinzas de uma morta. Há as maldades desumanas do amor, um sopro pérfido que o diabo sussurra aos ouvidos. Em fundo, a irracional violência do divórcio. A bestialidade das palavras que atiramos uns aos outros como pedras. Uma mulher que espera ainda e sempre, à janela. Porque o coração é um bicho e não ouve. E uma pergunta a que não se ousa responder: Para onde vão os amores que foram um dia?"


Nunca tinha lido nenhum livro do Rodrigo Guedes de Carvalho. 
Aprecio o homem e o trabalho que ele faz, mas como é lógico já aprendi que o facto de uma pessoa ser boa naquilo que faz não quer dizer que seja boa a fazer outras tarefas, mas no caso o Rodrigo Guedes de Carvalho ele foi muito bem sucedido.

Gostei do livro, da história de Laura e Paulo, do bebé que foi fruto da juventude deles e do desvaneio de que a solução para os problemas é ter um filho. Eu não tenho filhos, muitos podem dizer "ah e tal não sabes não podes falar" mas eu tenho a minha opinião e ter um filho por ter apenas porque se quer "prender" uma pessoa, para mim é uma parvoíce.
Estava-se mesmo a ver que a história ia acabar mal, cheia de dor e sofrimento.
Gostei bastante da história do Paulo e da Laura ser a história principal, mas ao mesmo tempo ficar a conhecer a história dos pais do Paulo, da irmã Dulce, dos pais da Laura do seu irmão vitima do puro preconceito onde viu a sua vida "estragada" para sempre porque "dois brancos e dois pretos"... tal como diz no livro... acharam que sim que tinham direito de espancar homossexuais por estes não terem os mesmos gostos chamados "normais", como eu costumo dizer "o preconceito é uma filha da putice das grandes". 
Enfim gostei muito da escrita e do raciocínio, estou extremamente tentada a ler mais livros do Rodrigo Guedes de Carvalho. 

26 de setembro de 2014

Aiii este segredo...


... que me faz lembrar algumas pessoas... blog do shiuuuu... é só clicar no link já sabem.
As tantas estas a falar de um livro disto e daquilo e estas a apanhar que aquela pessoa não lê os livros que apenas sabe o título e que muitas vezes nem se deu ao trabalho de ler o resumo.

E para que?

Para tentarem impressionar os outros... ah coisa mais deprimente... sempre para ficarem bem na fotografia.

Eu adoro ler, lógico que nem sempre fui assim, tive a minha fase em que não queria saber dos livros para nada, quando tive esta recaída a nível de saúde à uns 5/6 anos ganhei um gosto enorme por livros e por ler, pois é a única maneira de me entreter e de passar o tempo durante os tratamentos... existe quem leve computador, tablet, música, etc, etc, mas eu reservo quele tempinho para ler de preferência em livro mesmo, adoro livros... viajo através das personagens, conheço sítios e épocas diferentes das de hoje em dia, tradições que não fazia a ideia que existiam e principalmente porque estou ocupada e quando leio o tempo passa mais depressa. 
Muitas vezes digo "a sério? Acaba assim, desta maneira" e fico frustrada porque quando isso acontece é quando eu estou a adorar a história e assim de repente acabou.
Ler é bom, muito bom mesmo, mas lá esta é preciso gostar, porque quando não se gosta não vale a pena insistir, muito menos estar a dizer que lemos e que sabemos quando não sabemos nada. 
Enfim...

25 de setembro de 2014

23 de setembro de 2014

Casa dos segredos 5...

Só me ocorre escrever isto ah ah ah ah...
Tanto marmanjo e marmanja com cabedal para fazerem alguma útil na vida e enfiam-se todos numa casa sem fazerem nada.
Todos "muitooooo" inteligentes, nem sei como é que é possível tanta inteligencia junta estarem todos na mesma casa.
Adorei o resumo do Nilton... fantástico mesmo.
E sim eu ontem antes de ir ao hospital dei-me ao trabalho de ver a apresentação de cada um deles, confesso que dei umas boas gargalhadas à custa disso... depois à noite na clínica vi antes do telejornal e depois, vou confessar quase que me sinto tentada a seguir este programa, pois sei que me dá muita vontade de rir, ao menos isso nestes momentos confuso em que se encontra a minha vida.
A minha preferida depois do que vi? 
A Célia, pelo menos é sincera "não faço, nada nunca fiz nem quero fazer, nem sei cozinhar nem limpar" e foi mesmo "pumba" como disse o avec... quem fala assim não gagueja, pelo menos foi sincera looolol.
Estou mesmo tentadinha a seguir o programa, pode ser que um dia destes de a minha opinião sobre cada um deles.
Ah para quem não sabe a brasileira é casada com o Luís M. vem no Jornal de Notícias de hoje... já agora alguém sabe quem é a grávida?
Deixo-vos o Nilton no seu melhor...

20 de setembro de 2014

"Mord.net" de Dan Buthler e Dag Ohrlund...


"Que aconteceria se alguém encontrasse a fórmula do crime perfeito? Nenhuma testemunha, nenhum motivo, nenhum vestígio do autor. As forças policiais de todo o mundo veem-se intrigadas quando diversos homicídios inexplicáveis, aparentemente sem ligação entre si, se sucedem um pouco por todo o globo sem deixar quaisquer pistas que possam seguir. Cada vez mais impotentes face à escalada de violência, os detetives cruzam os poucos dados de que dispõem e descobrem que o crime organizado ligado à máfia russa poderá ser responsável por estes acontecimentos. Mas conseguirão travá-los?"

Gostei muito deste livro embora seja um livro bastante difícil de se ler.
Ao longo do livro aparecem várias histórias e personagens diferentes, ou seja, para quem estiver habituado a ler muito depressa torna-se tudo uma confusão enorme, pois chegasse a um momento e uma pessoa fica a pensar "isto não tem ligação nenhuma" mas a verdade é que tem, ao meio do livro... nem tanto... começa-se a ter mais essa noção...falo por mim...fico curiosa para ver o rumo que leva o livro, como é lógico no fim tudo faz sentido.
É um livro fantástico, mas que no fim quando achamos que tudo esta resolvido ficamos com aquela sensação tipo "ah não posso"... afinal não é bem assim existe algo no fim que eu não estava à espera.
Portanto quem quiser e gostar destas coisas de crimes, polícias, droga, prostituição e por aí fora leiam o livro é uma boa aposta e é muito bom, já sabem têm é que ler com calma. 

19 de setembro de 2014

Sobre o meu cabelo...

Pois bem quarta-feira fui cortar o meu cabelo.
Desde a operação do ano passado que tive tempos difíceis com o meu cabelinho, caiu muito e ficou fino demais e fiquei com uma parte em que fiquei mesmo sem cabelo... menos mal que foi por debaixo e o de cima disfarçou bem... com o tempo e os tratamentos que fiz ao cabelo incluindo coloca-lo mais curto a coisa foi andando e deixou de cair.  Entretanto começou a nascer mais cabelo, por isso imaginem o que é eu querer que o gajo fique assentadinho muito bonitinho e ele só quer ficar de pé dando aquele ar de destrambelhada mesmo. 
Não sou daquelas pessoas que choram baba e ranho para cortar o cabelo, corto e pronto esta feito ele volta a crescer e volta, por isso é escusado tanta lamentação.
Ontem lá fui eu pintar e cortar desta vez para ir acertando os que nasceram com os que já existiam, portanto cortei bem mais curto.
Eu tenho o cabelo ondulado é logico que ele esticadinho e com este corte fica engraçado muito bonitinho blá, blá blá...


 Portanto, depois de cortado ele ficou assim como o da imagem de cima...


O problema é que quando o lavo vai ficar todo ondulado... pelo menos se ficasse mais ou menos como o da imagem de cima não era mau não.


Ou até mesmo assim...


Ou assim ... se ele ficasse como um qualquer dos três, eu até ficava muito feliz o problema é que vai ficar tudo menos parecido com qualquer um, lá vou ter que andar a esticar o cabelo para que fique mais ou menos apresentável.
Ainda dizem que ser mulher é fácil...

18 de setembro de 2014

Prezo muito...

... o silêncio.
... a solidão.
... a paz.
... o sossego.
São quatro coisas importantes na minha vida, não existe dinheiro nem ninguém que as consiga substituir.
Hoje esta a ser um desses dias, não tenho mais ninguém em casa... uns foram trabalhar e outros passear... até ao fim do dia, gosto de me sentir assim "aliviada" sem ninguém a chamar consequentemente o meu nome, a ter que fazer isto e aquilo, gosto simplesmente de estar assim só, apenas isso.

17 de setembro de 2014

Existe gente com uma lata...

... uma lata não um eco ponto mesmo e dos grandes.
Eu gosto de ir ao El Corte Inglês e vou lá várias vezes, como é costume andava eu no supermercado, na zona dos enchidos quando vi um casal, na parte dos presuntos... para quem não sabe lé existem presuntos de valores exorbitantes... qual o meu espanto quando os vejo pedir que querem experimentar o presunto de 169.90€/kg uma vez que o rapaz já só tinha o osso desse, abriu um novo, deu a provar à senhora e ao senhor e as tantas eles fazem cara de "ah e tal nem é grande coisa" e seguem à sua vida, o moço ficou com a faca na mão e muito sério a olhar enquanto o casal seguiu caminho e eu devo ter ficado com cara de "ah não posso fizeram mesmo isso?".
E digo eu para a minha mãe "que lata" ao que a minha mãe responde "podes querer, se me contassem  nem acreditava nisto o que vale é que eu vi com os meus próprios olhos".
Havia mesmo necessidade de mandar abrir um presunto para provarem e nem levarem uma graminha embora? Eu era e sou incapaz de fazer tal coisa.
Arre que existe gente com uma lata do c... mesmo... e sim eu também gostava de perceber o porque do presunto ser tão caro e como é lógico que gostava de provar para perceber mas não tenho a minima coragem de fazer tal cena, quanto muito comprava um bocadinho para experimentar, agora fazes esta cena, isso é que já não tenho coragem e olhem que eu sou dotada de uma lata especial mas não desta maneira. 

15 de setembro de 2014

Sobre a feira do livro...

Ontem fui à feira do livro, no Porto.
Inicialmente estava um pouco com o pé atrás em lá ir, porque como sabem gosto muito de ler, logo ia cair na tentação de gastar dinheiro em mais um ou outro livro, portanto andei a adiar a decisão, mas ontem acabei por ceder e fui, mas com uma condição, não comprar nada, uma vez que tenho bastantes livros cá em casa em lista de espera para serem lidos.
E assim foi... fui vi, tirei ideias para mais tarde ler mas não comprei nada, consegui o que queria que era não me perder assim sem mais nem menos. 
Aquilo tem vários quiosques de livrarias, algumas muito específicas tipo de direito, medicina, coisas do gênero e outras que tinham uma enorme variedade, gostei bastante, os outros anos em que fui à feira do livro ela realizava-se nos Aliados, não era mau sitio, se bem que acho que no palácio de cristal ou no pavilhão Rosa Mota, como quiserem chamar... foi uma ótima escolha, pois teve a sua piada, um local calmo, sem transito, no meio de arvores e ar puro, música ambiente, algumas barraquinhas de comes e bebes, meninas com bicicletas com o carrinho a venderem gelados da olá, vários programas para cada dia... enfim gostei bastante digamos que esteve muito bom. Para quem ainda não foi e for destes lados e gostarem de passear um pouco, comprar livros ou apenas verem como eu, passem lá, vão gostar...

Música do dia...

14 de setembro de 2014

Gostava muito...

... mas muito mesmo, que as pessoas fossem sinceras, que defendessem as suas convicções, e que tenham coragem de enfrentar os problemas que têm na vida, mas sempre com a consciência de que faz o correto e aquilo que podem, mas o mais importante também é saberem dar o braço a torcer quando estão errados. 
Depois vem aquelas pessoas que dizem que sim sim e sim a tudo está sempre tudo muito bem, distrais-te momentaneamente e já estão a dizer o contrário, já te estão a usar como uma esfregona de limpar o chão. 
O ser humano é fantástico, pode ser e fazer coisas únicas e muito importantes, mas existem outros que deus me livre são os chamados fdp da vida. Enfim!!! como dizia o outro paz à sua alma... dass.

Post de quem esta com uma certa vontade de acertar  penca a algumas pessoas, a outras só mesmo estouro bem dado é que conseguiria algum efeito... ah gente deprimente e manienta que só estão bem a falar mal dos outros.

10 de setembro de 2014

Quarta-feira perfeita é...

... não ter tratamento, nem hospital, nem exames, nadita mesmo.
... não ter que sair de casa para nada.
... poder andar "esbandalhada" à vontade.
... quiças até tirar um belo de um ronco.
... ver televisão, series, filmes e o que bem me apetecer.
... atualizar-me melhor à cerca da blogosfera...
... comer pão torrado com manteiga à tarde, não o faço em mais nenhum dia só à quarta.
... espreguiçar e dar alas à preguiça que vive dentro de mim...
... enfim... Uma quarta-feira assim para mim vale mais do que tudo, eu sei contento-me com pouco mas pronto isto deixa-me imensamente feliz. 

9 de setembro de 2014

Os broncos...

Infelizmente conheço bastantes pessoas assim.
Por vezes até são pessoas "arranjadinhas" e bonitinhas... meninos e meninas... mas quando abrem a boca para falar é o degredo total.
A primeira vez que isso acontece fico sempre a pensar "oh não que bronco rais parta a sorte", mas depois uma pessoa lá se habitua, e sinceramente fico bem mais feliz quando essa pessoa não fala, assim em silêncio, parece quase tudo mais ou menos perfeito, mas quando falam, Deus me livre, "eu é que sei, eu é que faço, eu sou muito mau porque falo muito alto e muito grosso, eu, eu, eu e eu" e eu fico a olhar e a pensar "ai nosso senhor me dê paciência para aturar isto, eu mereço só pode não encontro outra explicação possível para tal coisa"

8 de setembro de 2014

Frase do dia # 87...


P.S: E defeitos então é que tenho... muitos, muitos mesmo.

7 de setembro de 2014

Ah ah ah o meu pai as vezes é tão cromo...

... mas muito cromo mesmo.
Estes dias andei a alterar as músicas que tinha no carro e fiz uma nova seleção, entre ela coloquei a música do Pedro Amorim e do Daduh King e Lee J que se chama, Balança... aliás até acho que já a coloquei aqui no blog... acho piada à música... que fazer.
Sorte ou azar essa é a primeira música que passa quando ligo o carro.
Estes dias diz o meu pai "tens uma música azeiteira que chegue o gajo só sabe dizer sopa, sopa, sopa"... nesse momento deu-me uma vontade de rir desgraçada com a observação do senhor meu pai.
Fica então a música para poderem constatar que para o meu pai o fulano quer é sopa, sopa e sopa.
Que postal credo, só a mim mesmo.

4 de setembro de 2014

Sobre livros e os respectivos filme...

Adoro ler, um bom livro para mim faz-me viajar e sentir-me perdida, principalmente na hora do tratamento, pois é o local onde me dedico mais à leitura, já pensei levar portátil e essas coisas mas depois decidi que este tempo de facto é muito mais bem empregue a ler e enquanto isso fico distraída e leio que só faz bem e que por acaso eu adoro.
Toda a gente me diz que eu devo primeiro ver o filme e depois ler o livro, mas a verdade é que todas as vezes em que tenho as duas opções acabo por ler o livro primeiro e só depois ver o filme, o que tem acontecido sem qualquer dúvida é que fico muito decepcionada com os filmes, falta sempre montes de pormenores e muitas vezes o filme não é igual ao livro, ou seja, os acontecimentos.
Como viram acabei de ler o livro Jane Eyre e como sabia que existia o filme, lá o procurei e estive a ver até agora.
No meu pensamento só me ocorre o seguinte, desilusão, muita desilusão, não tem nada a ver o livro é muitíssimo mais interessante e no filme existem muitas coisas diferentes, incluindo o fim, fiquei desiludida confesso, mas pronto tenho que perder o vicio de ficar curiosa com o filme do livro que li, é bem melhor ficar apenas com a história através da leitura, muito melhor mesmo, assim não me desilude tanto. 

3 de setembro de 2014

"Jane Eyre" de Charlotte Bronte...


"Considerada uma obra-prima da literatura inglesa, Jane Eyre é um romance da escritora inglesa Charlotte Brontë, publicado no século XIX, mais precisamente em 1847. Jane Eyre é uma autobiografia ficcionada da protagonista que, depois de uma infância e adolescência desprovidas de afecto, se torna preceptora em Thornfield Hall e se apaixona pelo seu proprietário, Mr. Rochester. Plenamente correspondida nos seus sentimentos, Jane julga ter encontrado o amor por que ansiara toda a vida, mas Thornfield Hall esconde um segredo tenebroso que ameaça ensombrar a sua felicidade. Numa atmosfera misteriosa e inesquecível, acompanhamos esta heroína de espírito puro e apaixonado, que trava uma luta interior constante para se manter fiel às suas convicções e a si própria. Uma história sobre a liberdade humana, repleta de elementos dramáticos (incêndios, tempestades, tentativas de homicídio) que compõem uma atmosfera de mistério e suspense."

Este foi um daqueles livros que comprei apenas por olhar para a capa, sei lá havia ali qualquer coisa que me chamou a atenção. Comprei sem ler o resumo e sem saber mesmo do que se tratava, e vou contar-vos foi uma surpresa maravilhosa, dos livros mais fascinantes que eu li até hoje. 
Jane Eyre é uma personagem inquietante mas ao mesmo tempo surpreendente, teve uma infância digamos que um pouco infeliz, mas aproveitou a oportunidade que a vida lhe deu para lutar e se tornar alguém. Gostei em especial da descrição dos seus momentos quer de sofrimento, quer de louvor e fiquei fascinada como ela conseguiu ultrapassar pelos precalços da vida. A sua paixão por Mr. Rochester foi divertida, digamos que até achei que estava tudo a correr bem demais, mas... não vou contar o que aconteceu... resumindo, adorei o livro, o final mesmo que possa parecer sofredor por um ponto de vista lógico, mostra que existem pessoas que amam verdadeiramente e que alguma deficiência que a vida nos possa oferecer, consegue ser ultrapassada se existir amor verdadeiro... e pronto já vou parar de escrever se não daqui a nada estou a contar a história toda.
É um livro excelente, muito bom mesmo. 

2 de setembro de 2014

Nem mais...