28 de janeiro de 2010

Passagens de um dia que parecia ser quase-perfeito...


"Eram 08:00h, tocou o telemovel para despertar, por momentos ela pensou que seria sexta-feira, mas poucos segundos depois descobriu que ainda não era sexta-feira.

Com muito sacrificio lá se levantou, examinou as sms que ele lhe tinha deixado, sorriu e levantou-se.
1:00 hora depois, ela estava a sair de casa para esperar pela srª que lhe costuma dar boleia, acreditou que afinal o dia até poderia ser calmo e que supostamente iria passar rápido. No meio de tanto frio e de tanto movimento, uma vez que ela mora ao pé do infantário e aquela hora é um corre corre constante o frio era cada vez mais forte, e eis que de repente ela fica com a boca aberta por excesso de parvoice humana a conduzir, ia dando-se ali um acidente assim como se costuma dizer por excesso de nabice mesmo... são as artistas da estrada... aquilo passou-se, de repente alguem vem ter com ela e diz "ai menina atropelei o seu cão ele fugiu de casa e eu atropelei o bichinho", ela ficou mais parva do que aquilo que já estava depois de ver o quase acidente, não raciocinou correctamente, olhou pra a mulher e disse "tenha calma que tudo se resolve".
A mulher insiste para que ela vá a casa, ela argumenta que não pode ir porque se não vai perder o transporte para o trabalho e depois não lhe adiantava nada ir a casa porque não tinha carro para levar o cão onde quer que seja.

Mais uma vez, a mulher insiste, mas desta vez oferece o contacto movel, para o caso de ter que se levar o bichinho ao veterinario, voluntariou-se a pagar todas as despesas.
Ela agradeceu, disse que ia falar com o irmão uma vez que o cão era do irmão e que daria o contacto ao mesmo caso fosse necessário.
Chegou ao trabalho, contactou o irmão e pouco mais fez.
Como se não basta-se, ainda levou com a azia matinal do chefe... coisa que é extremamente habitual... nada que uma pessoa não se habitue com o tempo...
Hora de almoço, chega a casa vai ver o bichinho e fica deveras irritada com ela propria porque ve o bichinho em sofrimento, magou-se na patinha...
Arranja-se logo maneira de levar o animal ao veterinario para o ajudar."


Em suma, ela sou eu... e eu sou uma autentica imbecil chapada porque vim para a porcaria do trabalho e deixei o snoppy a sofrer... imaginem como me sinto neste momento... uma autêntica m...