7 de setembro de 2010

Resumo do dia


Ida ao hospital...
Analises, consulta, lamentos da parte da médica por toda a situação que esta a acontecer... percebi perfeitamente o papel dela, esta lentamente a preparar-me para o pior que deve de estar à porta, mas a verdade é que me surpreendi a mim mesma, quando lhe disse que "as coisas vão andar muito em baixo, mas vão indo andando e que ainda ia poder ter uns dias relativamente bons por um bom tempo (...)"
Ela sorriu e disse "infelizmente não será bem assim, mas é bom saber que estas optimista e com alguma alegria para seguir em frente".
Depois dessa intensa conversa, um tanto quanto interessante, falamos à cerca de medicação nova que sugeriu que tomasse, de aumento e diminuição de outra que já tomo e combinamos fazer vários registos diários, desde tensão arterial, febre, medição de acuçar no sangue, coisas desse genero, assim sendo, pensei em fazer uns mapas diario para os apresentar na proxima consulta.
Aconselhou-me a fazer com a máxima urgência um ecocardiograma transtorácico bidimensional e um ECG simples de 12 derivações... tudo isto para mim puro chinês, ou seja, acabei por andar a pesquisar o que isso era, e acabei por descobrir que é uma série de exames ao coração, fiquei um tanto quanto integrada, porque que eu saiba até á data nunca tive problemas no coração apenas problemas renais, e não entendi o porque de toda a urgência, pressa e agitação... o certo é que amanha à tarde lá vou eu fazer os exames.
De saida do hospital, apanhei um banho com aquela chuva toda, mas era a unica hipotese ate chegar á farmácia do hospital.
E pronto assim foi a minha manha, de tarde tive vontade de ir ver o mar, fui com o M. enquanto ele falou falou e falou, eu apenas olhava para as ondas e pensei em tudo o que esta a acontecer... confesso que tive vontade de chorar, mas depois pensei que isso não resolve os meus problemas e a unica coisa que tenho que fazer é enfrentar o que quer que seja que vem ai, e por enquanto aproveitar as minhas férias ao máximo e não estar sempre a pensar na porcaria do trabalho... eu sou tão estupida que as vezes até me sinto culpada por estar de férias... e depois paro para pensar que os outros também estiveram e isto é um direito meu e apenas tenho que o aproveitar ao máximo.
Começo a acreditar que tenho é que ir a um psicologo ou psiquiatra, porque estou a ficar com o sistema atrofiado de vez.
Ai meus deus, quem é que tem paciência para me aturar? Nem eu mesma tenho quanto mais ou outros... enfim... enfim, Mary.