27 de fevereiro de 2015

"O meu nome é Alice"...

"Alice Howland, uma mulher de 50 anos, com um casamento feliz e três filhos já adultos, é uma reconhecida professora universitária de linguistica que começa a esquecer palavras... Quando lhe são diagnosticados sinais prematuros de Alzheimer, Alice e a sua família vêm os seus laços arduamente testados. A luta de Alice para manter a ligação à pessoa que sempre foi é assustadora, comovente e inspiradora."


Assustadoramente real e comovedor.
A minha avó paterna tinha Alzheimer... embora naquele tempo eu fosse pequenina tenho vários episódios de momentos menos bons que aconteceram gravados na memória.
O que senti ao ver este filme é algo que quase não consigo colocar em palavras.
Deve ser triste uma pessoa ver a vida a desaparecer aos poucos.
Ficou mais do que provado que o prêmio de melhor atriz entrega a Julianne Moore foi mais do que merecido, é uma mulher linda, bonita e elegante e a sua prestação foi fantástica.