Avançar para o conteúdo principal

"Até que a morte nos separe" de Ana Teresa Pereira...


«Não podemos fugir... E no entanto, há momentos em que somos quase felizes, quando de olhos fechados as minhas mãos deslizam pelo seu rosto, num reconhecimento que tem sempre algo de milagre, quando lemos um livro juntos na cama, as faces encostadas, quando nos perdemos no corpo um do outro, quando nos encontramos a nós mesmos no fundo do copo um do outro. Somos quase felizes.Mas o fim é inevitável. Ambos o sabemos. Só não sabemos quando. Ou qual de nós o fará."Tell me you still love me like I love you".Quando o amor acabar...»

Sinceramente, não achei nada de especial este livro.
É justo que é fácil e rápido de ler, tem a letra grande, a linguagem é simples, mas a história em si para mim não foi grande coisa, não teve nada que me conseguisse "agarrar", "prender" à história,mas lá esta nem todos os livros podem ser assim. 

Mensagens populares deste blogue

Post chato como a putassa ou putaça...

... não sei, escolham a que quiserem.  Desde sábado que ando arreliada e chateada, comigo mesma e não só. Já ando à 3 semanas com muitas dores no corpo, principalmente costas e pernas, arrepios de frio, mal estar, etc, etc. Feita estúpida este sábado resolvi falar com a médica da clínica a ver se me podia ajudar. Se o arrependimento matasse tinha ficado ali esticadinha no mesmo minuto em que abri a boca. "Ah vamos aumentar o peso porque anda com as tensões muito baixas e é por causa disso" disse a médica eu ainda tentei explicar que não tinha nada a ver com as tensões uma vez que apesar de estarem baixas eu tenho me sentido bem no que diz respeito às tensões e até conseguia ir abaixo do peso 400 gramas no fim do tratamento... "não, não, não, e não vamos subir porque eu é que sou a médica e é que sei". Fiquei f.... mesmo, no seu maior esplendor apeteceu-me mandar dois berros ou até mesmo arrancar as agulhas do tratamento... mas não o fiz infelizmente por uma questão de…

Olá Setembro...

Geralmente considero como um novo início. Uma nova oportunidade. Vamos ver como vai ser a partir de hoje até ao fim do ano. Setembro querido vê só o que te peço... dá-me paz, calma, sorrisos, abracinhos bons e se por algum momento houver momentos mais tristes em que eu tenha vontade de desistir tu dá-me força, fé e coragem para seguir em frente mais uma vez. Por isso Setembro sê bem vindo!!!

Adeus Maio...