14 de outubro de 2015

As pessoas abusam da bondade...

Acabo de chegar do hospital de Gaia.
Vinha a sair e uma senhora com uma mascara e com um aspecto terrível, diz-me que pediu que lhe fossem buscar alguma coisa para comer, mas que ninguém trouxe nada.
No início fiquei a olhar mas pronto, cedi diz ela "quero um croissant com manteiga e uma pepsi natural" eu confesso que tive uma vontade louca de me passar da cabeça, quer que lhe pague o pequeno almoço e ainda exige o que vai comer, eu tinha acabado de ir comer e comi um pão com manteiga e bebi descafeinado e não morri, mas lá fui eu buscar, chego ao pé da senhora e diz ela  num tom que não me agradou minimamente "ah vai buscar um copo" e eu respondi "não vou buscar copo nenhum que eu trouxe uma palhinha se quer copo vá lá a senhora busca-lo" olhou muito séria para mim e disse "ah agora vou ter que ir a pé até à Madalena porque não tenho dinheiro para ir de transporte" aí sim saltou-me a tampa "a senhora não acha que esta a abusar, escolhe o que quer e lhe apetece para pequeno almoço, vou buscar, pago, a senhora começa a mandar vir que quer um copo e agora diz que não tem como ir embora, o que quer que eu lhe faça olhe diga-me lá?"... "quero dinheiro" e eu a tentar manter-me calma... coisa que estava a ser difícil respondi "isso já não é problema meu, e veja se aprende a pelo menos dizer um obrigado as poucas bestas como eu que podem cair na sua cantiga e ir buscar comida para a senhora comer" e lá começou ela "ah mas eu tenho sida e tenho mais não sei o que" e eu comecei a caminhar e disse "ta ta bem, não quero saber disso para nada" e dois passos à frente arrependi-me amargamente de ter ido gastar o meu dinheiro no raio do croissant com manteiga e na pepsi, porque nem um simples obrigado tive direito e ainda por cima estava a fazer-me de estupida e a querer que me sentisse culpada por não ter como ir embora... coisa que simplesmente não é problema meu... mais um bocadinho e estava  a pedir para lhe ir pagar uma mariscada ao almoço.
Uma coisa é certa não vou cair mais nesta, quer comer, um pão com alguma coisa e beber leite ou cafe tudo bem, eu pago, agora assim a fazer exigências e a ser mal educados é que não vamos a lado nenhum.
Com ar de alerta estava a minha mãe a assistir a isto tudo e que no fim comenta "eu se não estivesse a assistir a isto nem acreditava" ao que eu disse "nem eu".
Tudo se quer e como em tudo na vida as pessoas têm que saber ter limites, porque depois por uns pagam os outros, como é costume.