11 de abril de 2016

Eu posso até perdoar, mas nunca esqueço...

E as vezes penso que mais valia eu esquecer em vez de perdoar.
Isto já aconteceu em várias vezes na minha vida.
Nunca consigo perdoar a 100%, não consigo simplesmente.
Vai existir sempre alguma coisa que fica a "bater" na cabeça tipo um "se eu soubesse".
No meu último trabalho, andava a fazer umas folhas, tipo folhas de serviço com todo o material existente de forma a ser mais fácil para os colegas que andavam nas obras selecionar o material que gastavam, porque o que acontecia muitas vezes nas folhas de serviço era nós o pessoal do escritório não perceber nada do que lá vinha escrito e assim com a folhinha eles só tinha que assinalar o material e colocar a quantidade, ou seja, ia facilitar o trabalho de todos, dos das obras e nosso no escritório.
O meu trabalho de fazer essa folha estava mesmo na fase final, só faltava uns retoques, quando eu fiquei doente.
Apenas faltava dar um mini ajuste e imprimir.
Qual o meu espanto quando uma vez me pedem para ir ao escritório por causa de um computador e vejo a minha folha a ser entregue pelos colegas das obras e existe algum que diz "olha a ideia fixe que a M... a outra colega de trabalho fez, teve uma ideia fantástica".
Ela olhou para mim com aquele ar de convencida e naquele preciso momento eu soube que ela não valia nada de nada.
Apoderou-se do meu trabalho, da minha ideia e não teve a sensatez de assumir que não tinha sido ela a ter aquela ideia nem a coragem de dizer que não foi ela que fez.
Senti raiva, tive vontade de lhe dar duas palmadas bem dadas naquela cara, mas não controlei-me, sorri, e jurei a mim mesma nunca mais na minha vida lhe iria dar qualquer crédito, qualquer oportunidade que fosse de me voltar a afetar.
Bem me diziam que ela não valia nada.
Eu só não quis acreditar.
Depois disso e de muito mais que me contaram que aconteceu simplesmente cortei com a relação.
Todos os dias tento esquecer coisas que aconteceram na minha vida, mas simplesmente não consigo, as vezes até penso que é bom não esquecer que assim pelo menos ando atenta para que não me voltem a calcar.