31 de maio de 2016

Nunca tinha pensado...

... que estar sozinha aos 31 anos fosse assim tão bom, tão libertador.
O que no início parecia um drama, agora esta a revelar-se algo muito bom.
Acredito que com o tempo irei encontrar finalmente um pouco daquela paz interior que tanto queria/quero.