25 de julho de 2016

Tinha tudo para ter sido um bom dia...

Tudo mesmo...
Aniversário da madrinha, festa em família apesar de existirem coisas que eram desnecessárias.
Fui até ao pé do mar apanhar ar.
Já disse que não levo mais a minha mãe se for nos dias em que quero ir distrair a mente, porque a mulher está sempre cheia de pressa.
Hoje alguém que não conheço de lado nenhum deu-me um sorriso, tão puro, tão genuíno que me encheu o coração.
Alguém que eu não conheço foi capaz de preencher o meu dia apenas com um sorriso.
E assim fui para a festa de anos, contente por ainda existir gente tão genuína.
Os almoços são sempre confusos porque as pessoas geralmente não falam, berram... tornando tudo numa grande confusão.
Vim para casa para tomar conta da nina a gatinha do meu irmão, uma vez que eles foram sair uns dias.
Digam o que disserem a gata esta triste, meiguinha de mais, nota-se que sente a falta dos donos.
Tenho tratado dela da melhor maneira possível, dentro daquilo que me ensinaram e do que sei também.
A verdade é que sinto pena da bicha porque se nota mesmo tristinha.
Fomos jantar.
Mais uns quantos temas de forma a se poder discutir em alto e bom som.
Voltei para casa feliz, apesar de um ou outro contratempo o dia tinha sido bom... muito bom.
E de repente vejo algo no Facebook que me faz "abanar" e sentir-me triste, muito triste.
Nesses momentos quero sempre fazer questão de lembrar aquele sorriso daquele desconhecido que me encheu a alma a ver se alivia a dor que ela sente.
Tem dias em que tudo parece tão bem mas que de repente fica tudo tremido e nesses momentos contínuo a perguntar a mim mesma "porque?" 
E nunca tenho resposta, nunca