6 de novembro de 2016

Factos sobre um hospital privado e um público...

Pois sexta feira assim sem contar tive uma breve passagem... umas horas... num hospital privado.
Estou a falar do hospital da Lapa no Porto.
Os meus contactos com hospitais privados baseavam-se em ir fazer exames e coisas do gênero.
Desta vez apesar de terem sido só horas, fui ao bloco fazer uma intervenção à minha fistula no braço.
Verdade seja dita, aquilo é um luxo... é lógico que se paga tudo.
Tem umas instalações fantásticas, tudo extremamente limpo, tudo impecável, trouxeram-me um chá num bule e uma chávena em loiça mesmo, com dois pacotes de bolachas para escolher; tem um atendimento do melhor, desde recepção, a enfermeiros, médicos e auxiliares, fui muito bem atendida, todos muito educados e simpáticos; tive um tratamento em que sinceramente não consigo apontar nenhum defeito.
Lá esta que se paga tudo isso... no meu caso não paguei nada porque isso é entre a clínica e o hospital.
Acredito que com estas condições todas para todos os que trabalham neste hospital até se sintam mais confortáveis e até tem outro incentivo para trabalhar.
Já num hospital público a conversa é bem diferente... neste caso falo do Centro Hospitalar Gaia/ Espinho unidade 1... porque a unidade 2, deus me livre, pelo menos estive lá com a minha mãe em 2012 e aquilo estava uma desgraça, não sei se entretanto já arranjaram alguma coisa.
Apesar de encontrar excelentes profissionais, acredito completamente que muitas vezes não conseguem fazer melhor por falta de condições e de incentivos.
Existem serviços que aquilo é mesmo terrível, paredes a cair a baixo, tudo velho, tudo sem condições, enquanto que existem outros serviços que já foram renovados e que parecem verdadeiros hotéis de 5 estrelas o caso da cardio torácica e cardiologia que foi onde estive em 2013, tudo novo e tudo muito organizado.
As novas obras por exemplo a ligação do pavilhão central ao satélite também estão excelentes e era mesmo necessário essa ligação.
Lembro-me o ano passado quando fui operada e estava internada no pavilhão central, para ir fazer os meus tratamentos tinha que me deslocar ao pavilhão satélite, o transporte era feito de ambulância e apanhava-se tudo frio, chuva, além de se demorar bastante tempo nestas deslocações. Hoje em dia com o túnel de ligação as coisas são muito mais simples e eficazes quer para nós doentes quer para o pessoal que nos levam de um lado para o outro... os maqueiros acho que é assim que se chama.
Para finalizar este post, sou da opinião que toda a gente que necessita de cuidados hospitalares deviam de poder ter esta experiência de experimentar um hospital privado e o público, embora saiba perfeitamente que o hospital privado é muito caro.
Valeu a experiência.