22 de janeiro de 2014

"A persistência da memória" de Daniel de Oliveira...


"Camila está em conflito permanente com a sua consciência. Dotada de uma aptidão rara, a que a medicina designa por síndrome de memória superior, tem a capacidade de se recordar ao pormenor de todos os acontecimentos da sua vida, mesmo aqueles que desejaria esquecer. Nesta teia de emoções, onde se misturam passado e presente, amor e perda, culpa e prazer, Camila busca a liberdade que a memória não lhe concede, sobrevivendo entre relações extremas e perversas.
Um segredo inconfessável e a frágil fronteira entre sonho e realidade atravessam este romance desconcertante sobre a intimidade de uma mulher perseguida pelas sombras da sua própria história."


O livro não é mau, é muito mau mesmo, o que é completamente diferente. Estava à espera de uma história fantástica, uma vez que tinha visto pelo facebook que muita gente o andava a ler. A verdade é que fiquei completamente decepcionada, a história é... como é que explico... sem sentido, parece que não tem consistência que se lê e lê e não se consegue absorver nada de nada, é só confusão, é tão banal que chega a o roçar na estupidez... simplesmente detestei, sinceramente se querem o vosso bem "mental"... salvo seja... não leiam este livro.