18 de novembro de 2014

"A chave de Salomão" de José Rodrigues dos Santos...


"O corpo de Frank Bellamy, o director de Tecnologia da CIA, é descoberto no CERN, em Genebra, na altura em que os cientistas procuram o bosão de Higgs, também conhecido por Partícula de Deus. Entre os dedos da vítima é encontrada uma mensagem incriminatória. 
The Key: Tomás Noronha
A mensagem torna Tomás Noronha o principal suspeito do homicídio. Depressa o historiador português se vê na mira da CIA, que lança assassinos no seu encalço, e percebe que, se quiser sobreviver, terá de deslindar o crime e provar a sua inocência. 
Ou morrer a tentar. 
Começa assim uma busca que o conduzirá às mais surpreendentes descobertas científicas alguma vez feitas. 
Será que a alma existe?
O que acontece quando morremos?
O que é a realidade?
Com esta empolgante aventura que arrasta o leitor para o perturbador mundo da consciência e da natureza mais profunda do real, José Rodrigues dos Santos volta a afirmar-se como o grande mestre do mistério. Apesar de ser uma obra de ficção, A Chave de Salomão usa informação científica genuína para desvendar as espantosas ligações entre a mente, a matéria e o enigma da existência."


Depois de muitos mega electrões, giga electrões, protões, partículas e quântico acabei de ler este livro, gostei mas... para mim que sou um 0 a física tornou-se um pouco mais difícil de ler, foram várias as vezes em que tive que voltar a reler para apanhar o fio à meada.
Gostei da história em si, se bem que este "Tomás Noronha" é inteligente demais para ser minimamente verdade, o raio do homem sabe de tudo e de mais alguma coisa... um exagero, portanto, porque eu acredito que existem pessoas super inteligentes mas este é um bocadinho exagerado.
É um pouco difícil de se ler mas vale a pena, apesar de não ter sido nada por aí além, ficou um bocadinho abaixo das minhas expectativas, sinceramente, mas foi muito bom.