6 de dezembro de 2016

O raio do homem...

Domingo à tarde levei a minha mãe aqui a uma freguesia ao lado onde tem comércio tradicional para ela comprar umas prendas de natal.
Entramos lá numa lojinha e ela lá comprou o que quis.
É certo que tenho andado mais nervosa e qualquer coisinha faz-me logo ficar com uma vontade enorme de discutir.
Mas tenho tentado controlar este problema que sei perfeitamente que é de toda a situação toda que estou a passar, lá tento respirar fundo e arranjar forma de não me chatear.
Mas caramba no domingo estava a ver que ia ter mesmo que me chatear a sério.
Fomos pagar os casaquinhos que comprou para as miúdas.
O senhor perguntou se era para oferta eu disse que sim e começou ele "e os nomes das pessoas?" e eu educadamente disse "não se preocupe deixe a saquinha aberta que depois decidimos em casa e eu depois fecho" isto porque são gémeas e escolhemos cores diferentes.
Pronto começou o circo "e porque eu tenho que saber os nomes e porque eu quero os nomes" eu educadamente disse "S. a M.a G.e a L." e ele continuou "sim e este?" que é um conjuntinho para recém nascido de luvas e gorro em branco, dei-me ao trabalho de explicar... aqui já estava a explodir, confesso... "de que não havia nome porque ainda não sabíamos se era menino ou menina logo não havia nome" e o raio do homem continuou "mas eu preciso de saber o nome" pois foi aqui que eu disse "olhe fique a saber que se fosse eu que estivesse a comprar já não levava nada o senhor ainda não percebeu que nós não sabes se vai ser menino ou menina como se vai chamar ou deixar de chamar, o senhor quer vender vende não quer não vende não me esteja a dar cabo da pouca paciência que ainda me resta com esta conversa sem sentido nenhum, não é possível vender simplesmente só isso e nada mais do que isso?" nisto lança um sorriso e diz "ah já percebi não sabem se é menino ou menina".
O que??????
Pelas almas, só me apeteceu dar-lhe dois abanões.
Foi preciso mais de 5 minutos e uma eternidade a explicar a mesma coisa???
Depois dizem que eu é que ando enervada, por favor.
Acho que qualquer santo se enervava.