6 de junho de 2014

Não tenho culpa de ser preconceituosa...

... em alguns assuntos, que fazer? Eu bem queria ter a mente mais abertinha mas não consigo... e não vale virem para aqui mandar bocas a dizer para eu bater com a cabecinha na parede para que ela fique aberta.
Ora vejamos, vou passar a explicar.
O J. é casado com a M. ele é mais velho dos que ela 11/12 anos, sempre lhe proporcionou uma vida boa incluindo tudo o que a menina queria e desejava, ela quis deixar de trabalhar, deixou, quis uma loja de roupa o J. deu, quis por silicone e ele pagou, quis ir celebrar a colocação do silicone a Paris e lá foram, quis um mercedes e o J. chegou-se à frente. A M. começou a ficar muito moderna, silicone, mercedes, aulas de zumba e noitadas... tem um filho de 18/19 anos... e cá para mim ela ficou a pensar que também tinha essa idade e resolveu andar na noitada, ou seja, não fazia mais nada na vida a não ser gastar o dinheirinho e andar nas noitadas e no zumba. 
"BAI" dai a M. pos um belo par ao J. um lindo parzinho de cornos daqueles bem giros e foi viver com outro fulano, levou o filho mais novo e o mais velho ficou com o pai... mas... depois a M. convenceu o mais velho a ir para o pé dela pois precisava de mais dinheiro.
E agora a parte de eu ser preconceituosa.
A M. exigiu ao J. ficar a trabalhar na florista dele e do tio.
"BEJAMOS" se fosse comigo ela tinha batido de frente... ficava sem o silicone num instantinho... quer dizer o gajo fica, sozinho, abandonado, com um belo de um par de cornos e endividado por tudo o que é canto e ainda tem que olhar para a cara dela todos os dias... ahhhh não, desculpem lá mas se fosse comigo estava tudo lixado, jamais em tempo algum eu suportaria tal coisa... bem sei que são tempos modernos mas estas coisas a mim fazem-me confusão, chamem-me preconceituosa, atrasada o que quiserem mas eu não aceitava tal coisa... não mesmo de maneira nenhuma. Para os curiosos o J. aceitou... só me ocorre dizer isto não basta ser corno e ainda é burro como o raio que o parta.