21 de fevereiro de 2017

Parece que anda tudo muito nervoso...

Na clínica onde ando no meu turno, já é o segundo doente que se pega com uma das doutoras.
A doutora é um doce, muito preocupada, talvez seja esse o maior defeito dela esse e o facto dela ser muito novinha e eles tem a mania que são muito machões. 
Ela esta sempre preocupada, faz o que pode e o que não pode e depois aparecem dois cromos destes a implicar com a miúda.
Confesso que gostei da postura dela, de não se deixar intimidar, fico triste ao ver o ar dela triste depois e fico a pensar afinal de contas quem é que estudou e é médica ela ou aqueles dois nabos.
Deus do céu só à lapadinha mesmo e ainda assim não sei se a coisa ia lá.
Ontem fui ao hospital, quando lá se chega tira-se o papelinho na máquina e aguardamos pela nossa hora que esta na marcação.
Por exemplo ontem tinha marcação as 10:30 cheguei lá as 10:05 e sentei-me e aguardei eram 10:45 quando apareceu o meu numero no ecrã, entrei sentei-me na marquesa e nisto vem duas senhoras de idade que entraram pela sala dentro a dizer que estavam pessoas a chegar atrás delas e a irem à frente.
Lá teve a auxiliar que explicar que existe a marcação com hora para alguma coisa e que ninguém tem culpa que as senhoras queiram ir para lá de madrugada quando a consulta é as 11:00, lá resmungaram e saíram.
Na semana passada na quarta tive que voltar ao banco de sangue e tinha que lá estar as 8, mas eram 07:50 e já estava na fila aguardar vez uma vez que os lugares costumam encher logo e caso se faça transfusão quanto mais cedo se entrar mais cedo de sai ainda assim  no outro dia sai quase as 16:00. 
O meu pai estava comigo, pois é ele que tem servido de táxi uma vez que não posso conduzir.
Bolas eu estava tão cansada tinha ido segunda e terça para o hospital de manha cedo e tinha feito tratamento também nesses dois dias seguidos, a verdade é que mal me segurava de pé e tinha a cabeça a explodir.
Digo eu ao meu pai "tenho que me por atenta para arranjar uma cadeira" e sai do lado de uma senhora já de idade o seguinte sem ninguém lhe dirigir a palavra "ficas de pé e ficas muito bem que és muito nova" eu olhei para ela, fixei a cara, mas estava tão cansada, mas tão cansada que decidi nem abrir a boca para não me chatear, fiz de conta como se costuma dizer o que revoltou a mulher porque começou a bufar e a abanar a cabeça e a falar sozinha.
Entramos e lá fui eu para o banco de sangue e ela lá estava também, ficou muito séria a olhar quando eu me sentei num cadeirão.
As tantas perguntou a uma auxiliar se eu tinha algum problema de saúde, quereis ver que fui para lá porque sou tolinha e a senhora disse-lhe infelizmente ela tem mais problemas do que vocês os três juntos.
Quando sai peguei nas minhas coisas que estavam no cabide ao pé da tal senhora e diz ela "oh menina tudo de bom, as suas melhoras, muita forcinha" e eu olhei e disse o meu mais azedo "obrigado e igualmente" e sai porta fora.
Como podem ver parece que anda tudo com o neurônio fora do sitio,  tudo muito nervoso, tudo muito revoltado.