20 de novembro de 2010

Ah! E este...

Já vos contei que pus o M. a “andar”, por mil e um motivos e por me aperceber de coisas que eu não gosto minimamente.
Também porque a vida ofereceu-me um travão e eu fui obrigada a mudar um pouco de tudo no meu dia-a-dia.
Se existiu coisa que não me abalou minimamente foi ficar sozinha, era exactamente isto que estava a precisar, paz e sossego para conseguir enfrentar da melhor forma os tratamentos e tudo o que vai acontecendo.
Sinto-me bem e feliz por estar sozinha.
Ora, ontem durante o tratamento, caiu uma sms no telemóvel, que nem uma bomba.
Fiquei assim um bocadito de boca aberta, tipo não estava mesmo à espera, o enfermeiro P. enviou-me uma sms, não podia crer.

Conheci o P. durante o internamento, via-o mais vezes quando fazia os tratamentos no hospital, é uma pessoa super divertida, daquele tipo que é fácil perdermo-nos nas gargalhadas e nos bons momentos… ironia do destino ou não… nem sei… o P. trabalha também na clínica onde faço os tratamentos, na verdade ainda não o apanhei no meu turno, mas já estive com ele nas transições do turno da tarde para o da noite e lá esta é sempre javardice, sempre brincadeira e gargalhadas á mistura.
Agora quando comecei a receber as sms dele, só me passava em rodapé na tola “Mary Mary, já viste este filme, já entras-te nele, vê lá em que te metes”… sms que recebia, esta frase mais vezes aparecia.
Ufa! Quando uma pessoa encontra a paz e calma que precisa… toma para aprenderes, existe sempre algo que vai contrariar aquilo que tu desejas e queres (pelo menos neste momento)... acho que vou fazer de conta que nem estou a perceber o jogo de palavras que andamos a trocar, porque vai ser o melhor para mim e para os meus pouquinhos neuronios que ainda habitam na minha cabeça.