10 de janeiro de 2012

Estes médicos dos dias de hoje são uns verdadeiros f... p...

Em meados de 2011, quando fui fazer os exames de rotina da clínica ao fazer o ecocardiograma, o médico que me fez o exame fez uma serie de perguntas esquisitas e demorou bastante tempo a fazer o exame, no fim disse "menina trate disto com muita urgência" a menina sai do medico com aquela cisma, mas sem os resultados na mão não se pode fazer nada. Quando fui buscar os resultados abri ali mesmo, e no meio daquela linguagem medica toda a única coisa que entendi na perfeição foi "grau da situação: severa", pois bem cheguei à clínica e a doutora T. que estava de serviço ao ver os exames ficou muito séria a olhar e disse "ai M. era só o que te faltava vou falar com a doutora S. porque não podemos fazer nada sem ordem dela, se bem que a mim apetecia mandar-te já no fim do tratamento para as urgências" assim ficou a conversa, quando volta ao pé de mim diz "a doutora S. acha melhor esperar 2 meses e repetir o exame se estiver igual ou pior manda-te para a cardiologia, mas que fique explicado que se eu pudesse mandava-te já hoje" e eu ok, fiquei um bocado lixada e tal, mas ao longos dos tempos com as médicas que eu tenho mais confiança na clínica fui pedindo a opinião todas davam a mesma respostas "já te mandaram para a cardiologia não mandaram" e eu só dizia "não" e explicava a teoria da doutora S. ao que as outras respondias "meu Deus"... comecei a ficar farta da cena e toca a procurar um cardiologista que trabalhe no St. A. e que tivesse consultório particular. Consegui com a ajuda do enfermeiro P. e fui à consulta com o meu irmão. A consulta demorou muitíssimo tempo além de que fez um ecocardiograma durante a consulta. Colocou-me os cenários todos que poderiam acontecer e por Português simples tenho uma válvula do coração que não trabalha e que mais dia menos dia teria de ser operada para substituir por prótese, mas que ia ler o meu processo no hospital e depois telefonava. Pois bem ontem telefonou, disse o que disse na consulta, mas que achava melhor esperar até não aguentar mais, ou seja, o coração vai ir dilatando ao poucos até me dar o treco e eu cair para o lado então aí sim vão operar-me quando eu tombar de vez. É lógico que cá em casa ninguém achou piada este facto do deixa andar até não aguentares mais, se não trabalha, se a tendência é piorar, para que chegar ao fim da linha onde quem sabe as coisas acabam por correr mal, se sabem o que fazer porque não fazer enquanto se esta minimamente bem... mas não é esperar quando tiver mesmo mal aí sim a gente opera... muito bonito... diga-se de passagem... enfim só me aparece merda... desculpando o termo.