9 de maio de 2017

O vestido de dama de honor...

Já mencionei algures em algum post que fui convidada para dama de honor num casamento em Junho.
Também já referi que já tinha ido quando era mais adolescente de dama mas tivemos que ir com o nosso vestido da comunhão solene.
Quanto a ser menina das alianças fui um monte de vezes, foram tantas que lhes perdia a conta.
Desta vez a noiva escolheu azul, aquele azul que se usa agora, eu tenho por hábito chamar-lhe azul Porto... não vamos falar de futebol ok... pronto já estão a ver qual é a cor.
Fui com a noiva e minha amiga J. a Matosinhos a uma loja de vestidos de festa e a verdade é que além de me ficar um bocado justo eu não gostei de nenhum em particular.
Vim um bocado deprimida embora porque a minha amiga J. consegui comprar um para ela e eu até ia com alguma expectativa e vim de mãos a abanar.
Mas não me dei por vencida.
No dia seguinte enfiei-me no El Corte Inglês mal abriu e comecei a minha procura.
É certo que existem muitos vestidos dessa cor mas a maioria deles eram curtos e a noiva gostaria de comprido.
Depois existe o problema de ter que ter mangas para tapar o penso do braço, o único vestido que encontrei com todos os requisitos, comprido, cor e manga custava quase 300€, ou seja, estava completamente fora de questão.
Andei, andei até que encontrei um que era a minha cara chapada, azul, comprido, simples, só tem um bocadinho de renda nas costas, algo muito simples só que sem mangas.
Era aquilo mesmo que eu queria, só que  por mangas ia tirar a "piada" ao vestido.
Resolvi ontem falar com o médico a ver se existia a possibilidade de no dia do casamento levar um penso mais pequenino e sem o aparelho e qual o meu espanto... confesso que estava um pouco pessimista... quando ele me disse que sim, que tiravam o aparelho e colocariam um penso pequenino.
Oh pá só me apeteceu dar-lhe um abraço.
Resumindo e concluindo vou só à costureira para cortar em baixo pois é comprido de mais, de resto não vou fazer mais nada.
Estou muito feliz porque este vestido é exatamente a minha cara sem tirar nem por, simples como eu gosto.