21 de dezembro de 2010

Eu e o Natal...

Verdade seja dita cada ano que passa o Natal esta a tornar-se “um real frete”.
É sempre a mesma coisa, comprar comprar e comprar… sempre a gastar dinheiro para comprar coisas para os outros e mais uma vez alguma coisa que eu queira, tem que esperar para uma próxima vez.
Todos os anos a mesma coisa.
Qualquer ano pega-me o flash a sério e deixo de comprar presentinhos para toda a gente.
Depois, nem me posso sequer lembrar da noite de Natal, é todos os anos a mesma coisa, uma verdadeira seca e verdade seja dita não vejo que algum dia melhore muito pelo contrário acredito que cada ano que vai passando vai ser o degredo total.
Enfim! Já o outro dizia “cada um tem o que merece”, como eu costumo dizer à minha mãe “eu devo ter sido alguma assassina ou alguém muito mau em outra vida, para ter que estar a pagar tanto nesta” ao que a minha mãe responde “cala-te tola, que outra vida que “carago” não digas asneiras”
Enfim...!