4 de novembro de 2011

Sinceramente...

Tem dias que tenho que ter uma paciência extra quando vou ao tratamento, como se não bastasse o facto de ter que enfardar com 4 horas de tratamento e consequentemente com os seus tristes e deprimentes efeitos ainda levo com perolas do genero:
... terça e ontem adormeci durante o tratamento, eis que ontem vem a médica ao pé de mim e me pergunta "passa-se alguma coisa, você não costuma dormir e já á dois tratamentos seguidos que dorme" ao que respondo "tal como lhe disse no sabado sinto-me muitissimo cansada e estar a fazer o tratamento ainda me cansa mais" ficou a olhar para mim, se dorme é porque dorme, se não dorme podia dormir para o tempo passar mais depressa... à cá cada maluco.
... houve uma epoca que levava peso a mais... tipo bebia demais uma coisa que não posso fazer tenho que beber o menos possivel... agora que até tenho bebido pouco chego à clinica e lá vem elas " o que se passa contigo, tás com algum problema, nós notamos que já não és a mesma pessoa que entrou aqui à um ano e tal atrás estas sempre com um ar cansado, com olheiras, pareces deprimida, até trazes pouco peso quando costumavas trazer bastante e a gente ate se divertia a pegar e a ralhar contigo" ao que eu respondo "não querem que eu nesta fase da vida ande a saltar à corda e aos pinchos pois não?" e mais uma vez ficam a olhar para mim.
Será dificil entender que uma jovem de 26 anos que tem a vida dependente de uma máquina e tratamentos nem sempre pode andar bem disposta e feliz, que cada dia que passa é como se fosse mais um dia de surpresas, pois nunca se sabe o que pode acontecer, que infelizmente não são só os tratamentos que me deitam abaixo, esta maldita anemia que se colou a mim cada vez mais, o peso extra que ganhei graças à bela da cortizona, que as operações que este ano já vão em 5 e o ano ainda não acabou dão cabo de mim e da minha paciência. Sinceramente as vezes juro que penso como diz a música "e que tudo mais vá para o inferno" simplesmente é está a minha vontade mandar tudo para o inferno e fechar-me em casa descansada da vida sem ninguem a chatear-me, sem ninguem a pedir justificações seja do que seja, sem ninguem a dar-me cabo do juizo e da alma, porque o que eu quero e o que eu preciso é de estar sozinha... mas as pessoas não entendem isso e eu ainda fico pior do que já ando por assistir a tanta teimosia.... tá desabafado... licencinha!